A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
MANCHAS E EFLORESCÊNCIA

Pré-visualização | Página 1 de 1

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RIO GRANDE DO NORTE – CAMPUS SÃO GONÇALO DO AMARANTE
MANUTENÇÃO PREDIAL II 4M - SUBSEQUENTE
MANCHAS E EFLORESCÊNCIA
TRABALHO ELABORADO POR:
MARIA HELOYZE MEDEIROS DE ARAÚJO,
JOATÃ ARAÚJO AVELINO DA SILVA,
TARCÍSIO DANTAS CÂMARA.
DOCENTE: FRANCILENE PERREIRA.
SÃO GONÇALO DO AMARANTE/RN
ABRIL DE 2018
1. INTRODUÇÃO:
	Em toda obra por mais que haja empenho de toda a equipe e a tentativa de escolha de bons materiais, nem sempre se acerta em tudo e com isso acontecem as falhas que com um tempo aparecem na obra em forma de manifestações patológicas. 
Dentre tais manifestações, podemos citar duas que afetam o concreto armado e assim, prejudicando assim a sua estrutura, são as manchas e a eflorescência. De acordo com Miotto (2010), as manchas e eflorescências são manifestações patológicas mais comuns de uma edificação. Ele cita que as manchas são formadas pela água que fica aderida a substratos e a eflorescência são formações salinas que ocorrem nas superfícies das paredes, trazidas de seu interior pela umidade.
Este trabalho tem como finalidade demonstrar tais patologias, suas causas e meios de tentar evitar que tal coisa aconteça na obra. 
2. DESENVOLVIMENTO:
2.1. Manchas
As manchas são uma manifestação patológica na construção civil, devido as edificações ficarem expostas a umidade ou agentes agressivos, uma série de manchas podem aparecer e isso pode ser sinal de que há oxidação do concreto armado, podendo levar a um dano sério à estrutura se caso não seja reparado, diminuindo assim a sua vida útil. 
Imagem de condomínio com manchas devido a umidade do ar.
Fonte: condominiosc
Há três causas básicas para o aparecimento de manchas: 
· Primeira: ocorre em decorrência da pega diferenciada do concreto, ocorrida por um atraso no processo de concretagem. Em alguns casos, essas manchas apresentam delaminação. 
· Segundo: é causado pelo posicionamento dos agregados graúdos muito próximos da superfície. Nesse caso, a causa do problema pode ser falta de argamassa ou vibração insuficiente. Algumas vezes, a argamassa que recobre os agregados é tão fina que se desprende, necessitando de um pequeno reparo, similar ao da delaminação.
· Terceiro: é causado pela má aplicação das mantas de cura. Caso não fiquem perfeitamente em contato com a superfície do concreto, formam bolsões de ar, escurecendo o concreto nessas regiões e possibilitando a identificação de frisos e dobras do tecido mal posicionado.
COMO EVITAR AS MANCHAS:
- Utilizar sempre materiais adequados para cada etapa da obra
- Se a obra for em lugares com umidade alta, usar técnicas e materiais que protejam melhor a armadura da edificação.
- Tomar cuidado com o tempo de pega da concretagem para que não ocorra aprisionamento de água exsudada ou ar.
- Colocar a quantidade de argamassa adequada e vibrar bem para a armadura ficar protegida e que os agregados miúdos não fiquem próximos da superfície. 
- Evitar a formação de bolsões de ar.
- Ser atento com as manchas que aparecem, para que seja feito reparos, antes que prejudique a armadura e consequentemente a estrutura da edificação.
2.2. Eflorescência 
A Eflorescência é outra manifestação patológica que pode aparecer em ambientes que haja água e que tenha falta de impermeabilização correta. É muito comum aparecer essa patologia em reservatórios de água e estações de tratamento. 
Ela pode ser indicada de acordo com Cincotto (1988), a partir de manchas de umidade por causa da existência de umidade constante, ou por uma espécie de pó branco que se acumula sobre a superfície. Entre juntas de alvenaria aparente, que apresentem fissuras devidas à expansão da argamassa de assentamento, essa anomalia ocorre como um depósito de sal branco.
Muro de uma edificação com sinais de eflorescência.
Fonte: souzafilho impermeabilizantes.
PORQUE OCORRE A EFLORESCÊNCIA?
Alguns fatores podem levar a tal patologia, pois o próprio concreto é um material alcalino que são formados vários sais quando ocorre a reação de água e cimento, se o concreto não for bem impermeabilizado, fará com que a água penetre nos seus poros, alterando a estrutura e consequentemente prejudicando-a.
Outros fatores é que o material utilizado já contenha uma quantidade razoável de sais ou o excesso de água tenha prejudicado o concreto, além disso, impurezas na areia, fissuras nos rebocos, rejuntes ou selantes das juntas de movimentação e uma pressão hidrostática favorável à migração das moléculas de sal contribuem para o aparecimento dessa patologia.
COMO IMPEDIR A EFLORESCÊNCIA?
Uma série de cuidados devem ser tomados antes de ser iniciada a obra para que a edificação não seja atingida pela eflorescência, uma das medidas é o tipo de cimento usado. Aconselha-se usar CP-IV, também conhecido como cimento Portland Pozolânico, já que é pouco poroso e adequado para obras expostas à ação de água corrente. Já o cimento de tipo CP-III, ou Portland de Alto-Forno, tem baixa concentração de hidróxido de cálcio, o que também o torna uma opção adequada para esse tipo de obra.
 Cimento Pozolânico CP IV			 Cimento Alto Forno CP III
 
 Fonte: Cimento Itambé			 Fonte: Cimento Cauê
Além dessas medidas citadas acima, outras ações podem ser tomadas para que se evitem a eflorescência, são elas:
· Colocar uma manta impermeável sobre o solo e sob o revestimento;
· Utilizar cerâmica esmaltada de boa qualidade e argamassa colante;
· Empregar aditivos impermeabilizantes que fazem com que a argamassa e o concreto absorvam menos água;
· Realizar manutenções preventivas para trocar rejuntes fissurados e juntas de movimentação danificadas.
CONCLUSÃO:
Analisando essas manifestações patológicas e tendo ciência de várias outras existentes e seus possíveis riscos que afetam uma edificação, a medida mais eficaz para que a construção tenha uma vida útil sem ser comprometida seria a prevenção. Cabe ao projetista ter conhecimento das possíveis causas das patologias em cada tipo de material e em cada tipo de análise.
Para quem irá executar a obra, tem de ter noção de que o ambiente construído foi feito para o homem tirar proveito máximo e que devido a isso, deve-se ser executado com a mais competente equipe (desde funcionários de alta produtividade e performasse e que também possuam um bom conhecimento técnico), material de excelente qualidade e fazendo assim valer a pena dedicar-se na construção de uma obra com a pega certa do concreto ou ainda a impermeabilização das lajes.
REFERÊNCIA:
https://fibersals.com.br/blog/danos-estruturais-causados-pela-infiltracao/
http://www.mapadaobra.com.br/capacitacao/4-sinais-de-problemas-com-o-concreto/
https://cimentomaua.com.br/blog/eflorescencia-descubra-como-evitar/
http://suvinil.custhelp.com/app/answers/detail/a_id/38/~/como-posso-corrigir-problemas-de-efloresc%C3%AAncia%3F
http://civil.uefs.br/DOCUMENTOS/MICHELINE%20GON%C3%87ALVES%20BORGES.pdf
file:///C:/Users/20162160510011/Downloads/antonio-cesar-arivabene-14121142.pdf
http://techne17.pini.com.br/engenharia-civil/154/artigo286669-2.aspx
file:///C:/Users/20162160510011/Downloads/681-1686-1-PB.pdf
file:///C:/Users/20162160510011/Downloads/ivan-rocha-12414181.pdf
http://speranzaengenharia.ning.com/page/patologias-das-edificacoes
https://souzafilho.com.br/blog/posts/eflorescencia