A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Filosofia ciência e tecnologia

Pré-visualização | Página 1 de 3

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO
INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RIO GRANDE DO NORTE – CAMPUS SÃO GONÇALO DO AMARANTE
COORDENAÇÃO DE PESQUISA
SEMINÁRIO DE FILOSOFIA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA- 3M - SUBSEQUENTE
FILOSOFIA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
Tarcisio Dantas Câmara
Prof Edney Cavalcante
SÃO GONÇALO DO AMARANTE/RN
Janeiro de 2018
FILOSOFIA, CIÊNCIA E TECNOLOGIA
1 – INTRODUÇÃO
A filosofia pode ser entendida como um tipo de conhecimento cuja preocupação básica consiste em fundamentar conceitualmente a realidade através da razão. Dentro desta perspectiva, dedicaremos este capítulo à investigação e esclarecimento dos conceitos de ciência, técnica e tecnologia, dada a sua relevância na sociedade atual, e, sobretudo no nosso ambiente escolar. Vivemos hoje em numa sociedade onde se prima pelas explicações científicas, pela valorização da formação técnica e num constante avanço da tecnologia – transformando a nossa sociedade na chamada sociedade da informação –. Podemos constatar isso ao nosso redor, quando acessamos a internet, quando vamos a um caixa eletrônico, ou mesmo quando assistimos a uma aula com recursos de multimídia. Mas será que sabemos definir ciência, técnica e tecnologia? O que a filosofia tem a dizer sobre isso, ou, de que forma a mesma pode nos ajudar a falar e entender sobre isso? Logo abaixo, apresentaremos como a filosofia compreende e define a ciência, a técnica e a tecnologia e a importância que possam ter na nossa sociedade atual. 
2 – O QUE É A TÉCNICA?
	 Desde as épocas mais remotas de sua história o homem vem desenvolvendo habilidades cuja finalidade consiste em tornar mais fácil e prática sua vida em meio à natureza, de fazer com que esta última se torne cada vez mais acessível a ele, e possa ser transformada. Mais do que isso, ele vem aperfeiçoando e organizando tais habilidades, chegando a criar utensílios, máquinas, autômatos e o que chamamos de ofícios. A essas habilidades, portanto, passamos a atribuir o nome de técnica. Como exemplo da aplicação da técnica, podemos citar a invenção, o aperfeiçoamento e a utilização sistemática da roda. 
Para saber mais!
	“Um bom exemplo do efeito transformador da técnica é a pólvora. Conhecida há muito nas civilizações orientais como a China, onde era utilizada na confecção de fogos de artifícios, ao ser levada para a Europa, irá redimensionar as artes bélicas, ao ser usada em canhões para o ataque aos até então quase inacessíveis castelos da nobreza” (ARANHA, pg. 39) [footnoteRef:2] [2: ARANHA, Maria Lúcia de Arruda, MARTINS, Maria Helena Pires (1998). Temas de Filosofia. São Paulo: Moderna.] 
	A palavra técnica vem do termo grego techné que significa arte, habilidade, no sentido mesmo de ofício, mas uma arte e uma habilidade que estão sujeitas a certas regras. A techné, para os filósofos gregos antigos, aqueles que primeiro pensaram-na e assim a conceituaram, era uma atividade relacionada ao “como fazer”– fazer certas coisas de forma eficiente e útil – diferentemente da atividade intelectual, ou epistéme (ciência), voltada ao por que das coisas. 
	Na mentalidade grega antiga a atividade intelectual era direcionada para a contemplação do conhecimento do mundo, isto é o que os gregos chamavam de epistéme. Os gregos diziam que o conhecimento científico é superior, independente e dissociado das atividades que envolvessem trabalhos manuais, dentre as quais estava incluída a techné. A epistéme (o conhecimento científico) era considerada boa e nobre, reservada aos aristocratas, àqueles que tinham tempo e condições materiais para exercê-la, e, a techné (sabedoria prática), àqueles provenientes de classes sociais inferiores, que não tinham terras ou bens materiais e por isso dedicavam o seu tempo tão somente à sua sobrevivência por meio de ofícios como a escultura e a agricultura. 
	Nos dias atuais a relação entre técnica e ciência mudou bruscamente. A técnica tornou cada vez mais a ciência precisa e objetiva, mudando sua própria concepção, e por outro lado, a ciência vem possibilitando uma considerável evolução da técnica, fazendo com que surja assim, outra concepção, a de tecnologia. 
Tendo em vista a concepção de técnica apresentada até aqui, podemos passar assim à investigação dos conceitos de ciência e tecnologia, mas antes vamos praticar um pouco o que aprendemos até aqui: 
EXERCÍCIO
	
1- Para você, qual a importância da tecnologia para a nossa sociedade?
Resposta = A nossa sociedade hoje só é o que é graças a tecnologia obtida ao decorrer dos anos. Hoje andamos em veículos automotivos, mas para que chegássemos a isso o homem teve que desenvolver muita tecnologia para os carros que possuímos hoje. A tecnologia facilita a vida da sociedade em vários aspectos, em todos os lugares há um pouco dessa tecnologia e evolução que para muitos é imperceptível, mas quando se estuda de onde surgiu isso, podemos analisar o quão foi importante avançarmos. Processos que durariam anos, hoje podem ser feitos em poucos segundos.
2- Com base no texto defina o que é a técnica.
Resposta = É um conjunto de habilidades cuja finalidade consiste em tornar mais fácil e prática sua vida em meio à natureza, de fazer com que esta última se torne cada vez mais acessível a ele, e possa ser transformada. Com isso o homem cria utensílios, máquinas e ofícios para tornar tudo mais prático. Esse conjunto de habilidades pode ser denominado de Técnica.
Texto complementar (leia atentamente e responda a questão três abaixo)
	As transformações da técnica
	Utensílio, máquina e autômato. Grosso modo, eis as três etapas fundamentais do desenvolvimento da técnica. 
	No estádio inicial, o utensílio é um prolongamento do corpo humano: o martelo aumenta a potência do braço e o arado funciona como a mão escavando o solo. Quando deixa de usar apenas a energia humana, a técnica passa ao estádio das máquinas pela utilização da energia mecânica, hidráulica, elétrica ou atômica. Por exemplo, o carvão queimando faz funcionar a locomotiva, a explosão da gasolina viabiliza o automóvel e a eletricidade põe em movimento a bateria de bolo. 
	Em estádio mais avançado, o autômato imita a iniciativa humana, porque não repete “mecanicamente” as funções preestabelecidas, uma vez que é capaz de autorregulação. A partir de certos programas, é preciso grande flexibilidade nas “tomadas de decisões” o que aproxima as “máquinas pensantes” do trabalho intelectual humano, já que são capazes de provocar, regular e controlar os próprios movimentos. O radar corrige a rota do avião de acordo com as alterações do percurso, a célula fotoelétrica instalada na porta do elevador impede que ela se feche sobre o usuário: em ambos os casos os comandos são alterados automaticamente conforme “informações” externas. 
 Aranha, Maria Lúcia de Arruda e MARTINS Maria Helena Pires. Temas de Filosofia. São Paulo Moderna.
3 – De acordo com o texto acima, como se dá o desenvolvimento da técnica no decorrer da história? 
Resposta = Ela se dá através da evolução, inicialmente com utensílios que seriam um prolongamento do corpo humano, por exemplo, o martelo que aumentaria a potência do braço. Após isso foram criadas as máquinas que deixavam de usar energia humana e começaram a usar energia elétrica, hidráulica, etc. É por último o estado da autômato que seria a máquina como ser pensante e tomando uma série de decisões para facilitar a nossa vida, um exemplo disso seria o radar que corrigiria a rota de um avião quando visse algum obstáculo.
4 – No que diz respeito ao assunto técnica, como podemos interpretar a figura abaixo? 
Resposta = Analisando a figura acima podemos ver a evolução da técnica do homem através dos tempos. O macaco que andava de quatro patas, evoluiu para o homem bípede e ele criou armas para se defender e criou cisco (utensílios) para arar a terra. Mais a frente vemos um homem que criou a britadeira (máquina) para facilitar outros serviços e por último o computador