A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Cascata e Scrum

Pré-visualização | Página 1 de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE
EAJ - ESCOLA AGRICOLA DE JUNDIAI
TECNOLOGO EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
PROCESSO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE
PROFESSOR: EDUARDO SILVA
TARCISIO DANTAS CÂMARA
CASCATA E SCRUM
MACAÍBA
MAIO/2019
1. OS PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO
1.1. CASCATA
1.1.1. Sobre o modelo
O modelo cascata é um processo de desenvolvimento de software do tipo tradicional,
muito usado por equipes inexperientes. Considerado péssimo para o desenvolvimento
do sistema, mesmo assim, é melhor do que não usar sistema algum. Para que o processo
ande uma etapa, antes a anterior tem de ser finalizada, o que atrasa o projeto, o cliente
só receberá seu produto no final do projeto.
1.1.2. Etapas e Stackholders
O modelo cascata segue uma sequencia de fases em perfeita ordem, são elas:
1. Requerimento
2. Projeto
3. Implementação
4. Integração
5. Teste
6. Instalação
7. Manutenção de software
No requerimento são analisados o que o cliente quer e como quer o seu
produto(software), analisa todas as informações pertinentes e tenta idealizar junto ao
mesmo o projeto. Os stackholders envolvidos nessa fase seriam o cliente e o gerente do
projeto. Com os requerimentos na mão, o software em questão é projetado e gerado um
blueprint para os implementadores seguirem. Nessa fase o Design poderia ser o
stackholder em questão. Já na implementação é uma parte que envolve toda uma equipe
de codificação do processo, uma parte pode esta envolvida, por exemplo, no front end
de uma página, enquanto outra parte no backend. Nessa etapa os programadores serão
os stackholders da etapa.
Com o fim da codificação da fase de implementação e integração, começa-se a fase
de testes do software, analisam-se dois pontos principais, as lógicas internas do software
e suas funcionalidades externas, os colaboradores que fazem os testes são os
stackholders da fase. Após análise de problemas, é feita a instalação do software e se
observa se ainda há bugs no sistema para ai sim realizar uma manutenção com
finalidade de tirar todos os erros encontrados. Nessa fase os programadores ainda são os
stackholders, para aí sim entregar o produto finalizado ao cliente.
1.2. METÓDO ÁGIL/SCRUM
1.2.1. Sobre o modelo
Scrum é uma metodologia ágil para gestão e planejamento de projetos de software.
O métodos ágeis enfatizam a comunicação em tempo real, preferencialmente cara a
cara, do que documentos escritos. A maioria dos componentes de um grupo ágil devem
está em uma sala. Isso inclui todas as pessoas envolvidas no desenvolvimento do
software: os programadores, seus clientes, testadores, projetistas, redatores técnicos e
gerentes. As metodologias ágeis de desenvolvimento de software são interativas, ou
seja, o trabalho é dividido em interações que no caso do SCRUM são chamados de
Sprints, que veremos no tópico a seguir.
1.2.2. Etapas e Stackholders
No scrum, os projetos são divididos em ciclos chamados de sprints, eles geralmente
ocorrem mensalmente. O sprint é um conjunto de atividades para serem executadas no
prazo chamado de Time Box. Antes de tudo é criada uma série de funcionalidades em
uma lista conhecida como Product Backlog, onde a equipe junto ao cliente
(Stackholders - Cliente e Colaboradores), definem o programa e quais serão as etapas.
Definidas as atividades, selecionam as que serão implementadas inicialmente e
transferem essas atividades para o Sprint Backlog, todo dia se faz uma reunião breve
conhecida como Daily scrum meeting, onde se definem as atividades do dia.
Ao final da Sprint completa, a equipe se reune novamente, para apresentar
todas as funcionalidades implementadas. Faz-se uma Sprint Retrospective
mostrando todos os passos que foram feitos e partem para uma nova Sprint, até
que o produto seja completamente implementado. O cliente seria o Stackholder da
https://www.desenvolvimentoagil.com.br/xp/manifesto_agil
reuniões de começo e final da Sprint, junto com o Scrum Master e o Scrum Team, que
participam de todas as etapas.
1.3. PONTOS EM COMUM E DIFERENÇAS
1.3.1 - Vantagens e Desvantagens Modelo Cascata
Vantagens:
Torna o processo de desenvolvimento estruturado. Tem uma ordem sequencial de
fases. Cada fase cai em cascata na próxima e cada fase deve estar terminada antes do
início da seguinte;
Todas as atividades identificadas nas fases do modelo são fundamentais e estão na
ordem certa;
Esta abordagem é atualmente a norma e provavelmente permanecerá como tal nos
próximos tempos.
Desvantagens:
Não fornece feedback entre as fases e não permite a actualização ou redefinição das
fases anteriores;
Não suporta modificações nos requisitos;
Não prevê a manutenção;
Não permite a reutilização;
É excessivamente sincronizado;
Se ocorrer um atraso todo o processo é afetado;
Faz aparecer o software muito tarde.
1.3.2 - Vantagens e Desvantagens do Modelo Ágil/Scrum
Vantagens:
Motivação – Os programadores se sentem muito mais motivados devido ao seu
interesse de entregar o Sprint no prazo.
O projeto pode ser visualizado – Dentro da organização o projeto pode ser
observado por todos. Em outras metodologias esta possibilidade não existia.
Ausência significante de bugs – Como a qualidade é mais importante do que o
prazo de entrega, o produto apresenta uma diminuição significativa de erros (bug).
Alterar as prioridades – Os programadores podem manejar as prioridades sem
problemas, garantindo assim que sprints que ainda não foram finalizados possam ser
alterados sem problemas.
Desvantagens:
Prazo – Como a qualidade é mais importante do que o resultado, pode ser que os
prazos não sejam estipulados de forma coerente, levando a um atraso do resultado final,
o que pode deixar os clientes com uma certa raiva, mas isso pode ser ajustado em
equipe.
Desordem nas funções – a presença de papéis indefinidos nas funções presentes no
projeto pode dar alguns problemas relacionados a comunicação interna e deixar os
programadores confusos quanto as suas tarefas.
Ausência de documentação –A falta de documentações sobre o andamento do
projeto pode ser um grande problema. Por isso é importante documentar aspectos que
sejam verdadeiramente importantes, mas não deixar de lado a documentação de tudo o
que está acontecendo. Porque depois pode ficar difícil voltar em um determinado
instante do projeto e lidar com a situação de não ter aquele momento documentado.
1.3.3 – Semelhanças e diferenças entre os modelos cascata e ágil
Os modelos Cascata e Ágil diferem muito um do outro. Ambos têm seu estilo
próprio de seguir com o andamento do projeto, se assemelhando no quesito de tempo já
que demoram para ficar pronto e em questão a documentação eles também deixam a
desejar.
Já as diferenças são muitas, por exemplo, o Scrum a cada etapa do projeto, tem
como ter uma prévia de como está ficando o produto, coisa que no modelo cascata
diverge, já que só pode ser visto no final. Outra diferença é que no Cascata uma tarefa
só pode ser realizada quando a anterior for finalizada, já no Scrum as prioridades podem
ser alteradas, fazendo com que se vá para outra parte do processo e busque adianta ali.
2. A ESCOLHA PESSOAL
Em minha opinião pessoal eu escolheria a metodologia Ágil/Scrum, devido a
fatores de mercado atual, olhando em sites de emprego, essa é uma metodologia
bastante adotada, mas também adotaria por gostar do andamento do projeto com ela.
Poder mostrar ao cliente um produto sendo feito, trará satisfação e fará com que ele
veja onde seu dinheiro está sendo empregado.
Também acho importante o fator de que o Scrum a ideia de ir se testando as
novas funcionalidades faz com que o produto tenha uma excelente qualidade, o que
acho muito importante, pois entregar um software com muitos bugs e problemas só
acarretará dor de cabeça, retrabalho e gastos financeiros.
Agora o que me deixa insatisfeito é esta falta de documentação o que pode gerar
problemas futuros no uso do sistema e na precisão de uma manutenção futura.
Também acho que os prazos deveriam ser melhor ordenados para um andamento
mais rápido e sem acarretar