A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Resumo MIP NP2

Pré-visualização | Página 1 de 6

1 VALÉRIA SANTOS – MIP NP2 
VÍRUS 
Os vírus são considerados acelulares, tem a característica 
parasita intracelular obrigatório, só sobrevive se estiver 
parasitando outra célula, a célula pode se fungo, animal. 
• Vírus se replica, faz suas copias.( replicação viral) 
• Vírus não se reproduz e não se multiplica. 
• Só pode ser observado por microscópio 
eletrônico, porque ele é menor do que a 
bactéria, por ser menor ele é mais fácil passar 
pelas membranas (Placentária e 
transplacentária) . 
• São constituídos de proteínas e ácidos nucléicos 
• São considerados DNA vírus ou RNA vírus. 
• Utiliza todo seu material para realizar o processo 
de replicação e consequentemente causar 
infecção. Utiliza seu material genético junto ao 
material genético da célula para produzir copias 
dele que se chama processo de replicação. 
• Os vírus só replicam e causam infecção. 
PROPRIEDADES DE UM VÍRUS 
• Agentes filtráveis: consegue ultrapassar várias 
membranas pelo tamanho que ele apresenta 
(Ex.: Membrana Placentária e transplacentária ). 
• São parasitas intracelulares obrigatórios (só 
sobrevivem dentro da célula do hospedeiro); 
• Parasitam todos os tipos de células. (células 
animais, vegetais, fungos e bactérias). 
• São incapazes de produzir energia e proteínas; 
utiliza de tudo o que a célula tem a oferecer para 
poder se replicar. 
• Os genomas virais podem ser constituídos de 
RNA ou DNA, ou seja, utilizam-se de um ou outro 
ácido nucléico para replicarem; 
• Vírion: Alguns vírus tem partes denominadas diferentes; 
 partícula viral completa (íntegra) quando 
 encontrada fora da célula hospedeira; 
ESTRUTURA VIRAL 
Capsid (head) = capsídeo (cabeça) : Guarda o material 
genético 
Sheath = bainha : fixar o vírus na célula 
Tail fiber = fibra de cauda; 
Pin = pino; 
Baseplate = placa de base. 
 
• O vírus replica quando ele parasita a célula, alguns 
vírus tem afinidade com determinada células. Que 
favorece sua aderência na célula. 
Ex.: Vírus hepatite A B C , tem afinidade por hepatócitos, 
células do fígado. 
• O processo de infecção acontece quando ele 
insere seu genoma viral( DNA ou RNA) na célula 
hospedeira. 
• Bacteriófagos: 
✓ são os mais conhecidos; 
✓ são responsáveis pela infecção apenas em 
bactérias; 
Para replicação viral existe dois tipos. 
CICLO DE VIDA DOS BACTERIÓFAGOS 
Ciclo Lítico ou virulento: 
• Possui 5 etapas 
1. Ancoragem ou adsorção 
 
Nessa fase, os bacteriófagos, que possuem fibras 
aderentes na cauda, aderem-se aos sítios 
receptores existentes na parede celular; (se fixa 
na célula) 
 
2. Penetração: 
 
O genoma do fago penetra na célula. Os 
bacteriófagos injetam seu material genético. A 
cauda libera a lisozima que destrói a parede 
celular bacteriana. (Insere seu genoma viral na 
célula) 
3. Biossíntese: 
 
 
Conversão da célula hospedeira em célula 
produtora de fagos (partículas virais). A síntese 
protéica é interrompida; 
 
 
 
 
2 VALÉRIA SANTOS – MIP NP2 
 
4. Maturação: 
 
montagem das partículas dos fagos (vírions); 
(formar novos vírus). 
 
5. Liberação 
 
 
ocorre a lise celular (rompimento da célula), os fagos 
são liberados das células e invadem outras; 
 
 
❖ Exemplo do ciclo lítico ou virulento: gripe, raiva e 
poliomielite. Ocorre os sintomas quando o vírus 
completa esse ciclo. 
❖ Não existe medicamento para curar infecção 
viral, os antivirais e retrovirais são utilizados para 
evitar a replicação e não para curar. 
❖ Tratamento antivirais (geral) e antirretroviral 
(especifico RNA vírus) 
 
CICLO LISOGÊNICO: 
Duas formas de divisão celular 
 Mitose : da origem células somáticas. Cabelo 
 Meiose: gametas 
✓ Nesse ciclo, o vírus insere seu material genético 
na célula hospedeira; 
✓ O DNA viral torna-se parte do DNA da célula; 
✓ Durante o processo de divisão celular, o DNA da 
célula e do vírus incorporado, sofrem duplicação 
e são transferidas as células-filhas. 
• O VIRUS CONTAMINA UMA CELULA, quando a 
célula for se dividir, as que foram originadas a 
partir dela já estarão contaminadas. O vírus que 
realiza esse ciclo geralmente é INCURÁVEIS e 
demoram a aparecer. 
• Ex. Herpes e AIDS. 
VÍRUS DE DNA ONCOGÊNICOS 
• DNA Oncongenico – desenvolvimento/ origem 
de tumores/câncer 
→ Herpesviridae - EBV (Epstein Barr): causador de 
carcinoma nasofaríngeo e linfoma de Burkitt 
(câncer linfático) Câncer mais predominantes em 
crianças africanas; responsável pela doença do 
beijo ou mononucleose. 
(HEPATITE A/C são vírus DNA) 
VÍRUS DE RNA ONCOGÊNICOS 
RNA ONCOGÊNICOS :Infecção associado ao 
desenvolvimento de câncer . 
• Retroviridae – HTLV-1 e HTLV-2: podem causar 
leucemia; 
• Papaviridae – Papilomavírus - causa câncer de 
colo de útero; 
• Familia - Hepadnaviridae – Hepadnavirus - HBV: 
causa câncer de fígado. 
INFECÇÕES VIRAIS LATENTES 
→ Latente, porque uma vez que se contamina 
permanece com o vírus pelo resto da vida, são 
incuráveis. Ex.: Herpes vírus. 
→ Só sabe quando o vírus esta ativo, quando aparece 
as lesões. 
 Vírus causador de doenças crônicas (incuráveis) 
que são ativados quando: 
▪ Exposição/ queimadura ao sol 
(imunossupressor). 
▪ Febre, 
▪ ocorrem mudanças ou deficiência no 
sistema imunológico; 
▪ são utilizados imunossupressores. 
 
 
 
 
3 VALÉRIA SANTOS – MIP NP2 
DOENÇAS VIRAIS 
• Muitas doenças virais são subclínicas (não 
apresentam sintomas ou causam qualquer 
doença aparente); 
• Assintomático não apresenta sintomas da 
doença mesmo estando contaminado, mesmo 
sendo assintomático ele continua provocando 
lesões na pessoa. 
• Pode ser passado de pessoa para pessoa, mesmo não 
estando com as lesões aparente, porem é raro 
acontecer. 
• Só descobre e a doença quando os sintomas 
estão avançados. 
• Exemplo: os vírus da hepatite e pólio podem ser 
transportados por pessoas que nunca 
desenvolveram a doença. 
• A mesma doença pode ser produzida por uma 
infinidade de vírus; 
Exemplo: Influenza (vírus da gripe), porque a 
cepa do vírus muda. 
Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV): 
✓ é um retrovírus, genoma viral RNA vírus 
✓ não é oncogênico; (não tem desenvolvimento de 
câncer). 
✓ infecta as células do sistema imune (linfócitos do 
tipo CD4 e CD8); Tem afinidade com as células. 
✓ o vírus é mutante; 
 
• Pode ser transmitido: 
• através de relações sexuais (o sexo anal 
aumenta a progressão para a AIDS); 
• amamentação; 
• transplante de órgãos; 
• transfusão sanguínea; 
• uso de drogas intravenosas; 
• Pode ser detectado: 
• gânglios linfáticos; 
• sistema nervoso; 
• sangue; 
• soro; 
• sêmen; 
• urina; 
• leite materno; 
• saliva; 
• lágrimas; 
• secreções vaginais; 
• secreções otológicas (cera de ouvido) 
 
 
• Um vírus que persiste no hospedeiro (podendo 
apresentar taxas mais baixas); 
• A pessoa pode ser portadora do vírus sem 
necessariamente apresentar sintomas da doença 
(portador assintomático); 
• O tratamento é feito com utilização de antivirais. 
• Medicamento Profilaxia Pré-exposição (PREP). 
 
✓ Prevenir a infecção HIV (via oral). 
✓ 2 comprimidos diários (via oral) 
✓ Bloqueiam os caminhos para a infecção. 
✓ Efeito 7 dias ( relação anal) 20 dias ( 
relação vaginal) 
✓ Não protege contra outras IST’s. 
✓ Quem deve usar: Homossexuais ; HSH 
 (homens que fazem sexo com 
homens); transsexuais; profissionais do 
sexo; IST’s; quem não utiliza 
preservativos; relação com 
soropositivo. 
 
• Medicamento profilaxia Pós – exposição ( PEP). 
Evitar Contaminação por: HIV; 
HEPATITE; IST’s 
✓ Usada em : violência sexual; relação sem 
preservativos; acidente ocupacional; 
✓ Medicamentos antirretrovirais (fazem 
parte do “coquetel”). 
✓ Urgência médica até 12h 
✓ Duração de 28 dias 
✓ Após 28 dias faz o teste novamente para 
verificar se não tem contaminação. 
Papilomavírus Humano (HPV): 
 
✓ encontrado em 85% a 90% dos casos de câncer 
cervical e uterino; 
✓ HPV