A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Mapa Mrntal-H Pylori

Pré-visualização | Página 1 de 1

Epidemiologia 
e Diagnóstico
Precárias condições 
sanitárias e 
socioeconômicas
teste padrão ouro
não-invasivo
respiratório com 
13C-uréia
Fator de risco 
para adquirir a 
infecção 
Métodos 
para o 
diagnóstico 
teste do antígeno fecal com 
anticorpos monoclonais (SAT)
teste rápido da urease (RUT)
coleta de 1 biópsia do 
antro e 1 do corpo
teste padrão ouro Exame histopatológico
coleta de 2 biópsia do 
antro e 2 do corpo
Triagem de HP 
pós tratamento
Até 4 semanas depois 
do final do tratamento Métodos de escolha
teste 13C-UBT 
teste do antígeno fecal com 
anticorpos monoclonais (SAT)
Testes ​​para avaliar a resistência 
aos antimicrobianos de HP
Testes moleculares
Cultura e antibiograma
Teste de 
Sorologia 
Teste inicial 
não invasivo
Usado em situações de sangramento, câncer, gastrite atrófica e linfoma
Recomendada 
nos pacientes 
com sangramento 
gástrico alto
Recomendaçõoes pré-
testes 
Interrupção de 
IPB até 14 dias
interrupção de antibióticos e 
sais de bismuto até 28 dias
Dispepsia, 
microbiota e e
outras doenças
Pacientes < 40 anos 
e apenas com 
dispepsia
testar e tratar o HP 
com 13C-UBT
Dispepsia
Investigativa
Não-investigativa
orgânica
Associada 
ao HP
Funcional
Úlcera péptica e 
câncer, por exemplo
sem infecção por HP e 
endoscopia normal
Síndrome do desconforto 
pós-pandrial
Síndrome da dor 
epigástrica
Endoscopia normal e 
HP positivo
Uso de probióticos 
durante o tratamento 
Necessita-se de mais 
estudos sobre a sua 
indicação
Doenças que 
podem estar 
relacionadas ao HP
Esôfago de Barret e 
adenocarcinoma de esôfago distal 
púrpura trombocitopênica imune (PTI)
Deficiência de Vit. B12
Anemia Ferropriva
AINES, AAS e anticoagulantes em pacientes 
com HP
Aumenta risco de úlcera/sangramento 
Mudanças na microbiota 
pós tratamento 
HP erradicado
Medicamentos 
durante o tratamento
pode erradicar bactérias 
comensais da microbiota 
Não irá mais estimular a liberação de sais biliares e enzimas 
pancreáticas os quais ajudam a manter o equilíbrio da microbiota
Câncer gástrico
Estadiamento de 
lesões pré-
neoplásicas 
causa de 80% dos 
tumores gástricos 
malignos
Câncer 
gástrico por 
HP
2 biópsias de 
corpo e 2 de 
antro
0 a IV Classificação 
histológica de OLGA 
avaliação histopatológica + 
imuno-histoquímica de biópsia 
gástrica + rastreamento de HP
Linfoma MALT
Diagnóstico 
Pós erradicação do 
HP 
Identificação de pessoas em risco de CG sorologia com pepsinogênio l e ll + anticorpos 
contra HP + gastrina 17
Incidência intermediária 
no Brasil
uma das 5 prinicipais
causas de morte por 
câncer no Brasi
segunda principal causa de morte 
de morte por câncer no Mundo 
avaliação histopatológica 
periódica Utilização da classificação GELA
lll a IV requer 
endoscopia a cada 
2 anos 
Tratamento 
Diminuição 
da eficácia 
terapêutica 
Principalmente 
resistência de HP 
a antimicrobianos
Teste de resistência 
feito pela técnica de 
PCR 
Terapia
14 dias de duração
Uso de IBP´S pós 
tratamento de HP 
por 4 a 8 semanas 
de duração 
Sintomas persistentes 
após tratamento
Úlceras persistente >10mm
Persistência de sangramento 
gastrointestinal superior por HP
Tripla de 
primeira linha
IBP´S, amoxicilina e 
claritromicina
Quádrupla 
alternativa
IPB, bismuto, tetraciclina e 
metronidazol
10/14 dias de 
duração
Terapia concomitante
IBP´S, amoxicilina, 
claritromicina e metronidazol
14 dias de duração
IBP: dose completa em 12/12h. 
Amoxicilina: 1g em 12/12h 
Claritromicina: 55mg em 12/12h.
Tripla de 
segunda linha IBP´S, amoxicilina e levofloxacina
Quádrupla de 
segunda linha
IPB, bismuto, tetraciclina 
e metronidazol
10/14 dias de 
duração
10/14 dias de 
duração
Após 3 falhas 
terapêuticas
Necessidade de testes fenotípicos 
ou genotípicos de suscetibilidade 
antimicrobiana
IPB, RIFABUTINA, 
amoxicilina
10 dias de 
duração
Para pacientes 
alérgicos à 
amoxicilina
IBP´S, levofloxacina e 
claritromicina
IPB, bismuto, tetraciclina e 
metronidazol
14 dias de duração