A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
20 pág.
Agressão e Defesa II - 3º SEMESTRE (FMU)

Pré-visualização | Página 1 de 5

Ag�e�são � D�fe�� I�
Agente agressor: Bactéria
Staphylococcus (gram positiva)
O que é dermatite? É um conjunto de
afecções que levam à inflamação da
pele. Dermatites alérgicas, induzidas
por corticosteróides, dermatites por
conta de agente infecciosos, causas
endócrinas.
Bactéria oportunista, faz parte da
microbiota natural e a partir do
momento que existe uma alteração no
sistema imune a bactéria passa a se
multiplicar e se instalar no quadro de
dermatite. Na maioria das vezes é um
processo bacteriano secundário.
- Classificação:
Familia: Micrococcaceae
Gêneros: Micrococcus e
Staphylococcus
Espécies: S. aureus / S.
pseudintermedius / S. saprophyticus (+
de 20 especies) / S. epidermidis /
M.luteus
Piodermite: dermatite associada a uma
infecção úmida e resposta inflamatória
na pele.
Dermatite:
O ser humano pode transmitir para o
animal e o animal pode transmitir para
o humano.
Staphylococcus aureus é o mais
patogênico nos humanos
S. pseudintermedius mais prevalente
em cães
Infecções de pele, pneumonia;
endocardite; osteomielite. - Na maioria
das vezes causa abscesso.
- Diagnóstico: coloração de gram
e cultura.
- Tratamento: antibioticoterapia,
algumas cepas são parcial ou
totalmente resistentes a todos,
exceto aos novos antibióticos.
Nas positivas existe uma camada de
pipitico decano mais espessa e a
coloração roxa empregrina, nas
positivas consegue tirar o cristal violeta
com acetona, e dessa forma o segundo
corante que dá a coloração rosa
impregna na camada da bactéria
gram negativa.
- Staphylococcus spp:
São cocos Gram positivos
Anaeróbio facultativo (podem
sobreviver sem oxigênio)
Formam aglomerados: “cocos em
cacho”
Catalase positiva- a catalase (proteína)
ela permite com que a bactéria
consiga quebrar o peróxido de
hidrogênio (água oxigenada) e separar
em moléculas de água e oxigênio,
aumentando a quantidade de oxigênio
molecular no meio para sobreviver.
Imóveis
Halófilo: cresce em teor de NaCl (10%)
Fatores de virulência: agentes
microbianos podem ser infecciosos ou
não. Infecção = agente que apresenta
antígenos específicos que se ligam a
receptores específicos de hospedeiros
suscetíveis se instalando e
multiplicando ou replicando.
Os flagelos são fatores de virulência
São fatores de virulência as
características do agente microbiano
que facilita o replicamento e
multiplicando ocorrendo lesão e
consequente manifestações clínicas.
@VeterinariaAndress�
1
Ag�e�são � D�fe�� I�
Que fazem com que se tornem mais
patogênicos.
Doenças infecciosas são pontas do
iceberg.
Fatores de virulencia:
Cápsula: protege o microorganismo da
fagocitose fazendo com que não seja
reconhecida pelo sistema imune.
Toxinas extracelulares:
- Enterotoxina: são toxinas
produzidas por diversos
microorganismos que agem no
intestino causando efeitos como
dores, diarréias e vômitos.
- Catalase:
- Toxina esfoliativa: tem a
capacidade de quebrar
moléculas que promovem a
ligação das células da epiderme
gerando uma descamação
presente nas piodermites.
- Toxina Pirogênica: presença de
toxinas superantígenos que
ativam linfócitos promovendo
resposta imune exacerbada.
Pode levar ao choque.
Diagnóstico laboratorial:
- Microscopia
- Cultivo (baixo nível de exigência)
- Testes enzimáticos: teste da
coagulase, a presença de
coagulase permite a formação
de coágulos,
Caso clinico:
Cão, Teckel, 4 anos, evolução crônica 2
anos.
Sinais: alopecia/rarefação pilosa,
escamas, eritema, hiperpigmentação
cutânea, hiperqueratose, untuosidade
do pelame, pústulas, prurido de
intensidade moderada a intensa,
presença de pulgas.
É possível dar um diagnóstico clínico
definitivo? R: Não. Necessário
comprovação laboratorial.
Quais as hipóteses diagnósticas? R:
Piodermite, dermatite a picada de
ectoparasitas,
Quais prováveis agentes agressores? R:
pulgas, S. pseudintermedius.
Fungos: dermatófitos e Malassezia
pachydermatis
Micologia médica: infecções causadas
por fungos, actinomicetos, algas e
alguns protistas.
Características dos fungos (MO
celulares e eucarióticos):
- Leveduras (unicelulares)
- Bolores ou mofos (pluricelulares)
- Cogumelos (espécies
macroscópicas)
Podem ser patogênicos ou
oportunistas. Animais
imunossuprimidos: sujeitos a infecções
profundas ou sistêmicas causadas por
fungos patogênicos ou oportunistas.
*DAPE = dermatite alérgica por
ectoparasitas*
Micoses estão ligadas a processos
imunes, na queda de imunidade.
Importancia dos fungos:
- Ambiental (decomposição,
reciclagem de nutrientes)
- Agricultura
- Indústria (álcool, cerveja, vinho,
antibióticos…)
- Alimentação
@VeterinariaAndress�
2
Ag�e�são � D�fe�� I�
- Saúde (micoses no homem e
animais, micetismo e
micotoxicoses)
Características gerais dos fungos:
Eucariotos com pouca diferenciação
celular
Aeróbicos
Não-fotossintéticos
Quimioheterotróficos: obtém
nutrientes por absorção
Presença de esporos: nem todos
apresentam, podem ser móveis -
zoósporo.
Parede celular com quitina e
polissacarídeos.
Crescem em um ambiente de pH
variando de 5,5 a 6.
Fatores ambientais determinantes:
temperatura, umidade, luz e pH.
Morfologia dos fungos:
- Podem ser filamentosos: formas
de hifas ramificadas (fungos
pluricelulares)
- Leveduras: forma oval ou
esférica (fungos unicelulares)
Esporulação: processo de crescimento
das hifas a partir dos esporos.
Micélio: massa filamentosa - micélio
vegetativo: região da higa que obtém o
nutriente para o seu crescimento. -
micelo reprodutivo: região de hifa que
está envolvida com a reprodução
Classificação das micoses segundo
região afetada:
- Micoses superficiais e cutâneas
(epiderme e anexos com
queratina) - dermatofitose,
candidíase, pitirosporose
- Profundas: acometem tecidos
inferiores a epiderme, lesões
ulcerativas - micetoma,
feoifomicose, pitiose,
esporotricose.
O ser humano pode ser infectado por
esporotricose.
Classificação das micoses segundo
região afetada:
Sistêmicas, acometimento de órgãos
internos e pode levar a óbito. -
Histoplasmose, coccidioidomicose,
asperglicose, criptococose.
- Fungos dermatófitos:
Dermatofitoses: micoses superficiais
causadas por fungos filamentosos.
Queratinofílicos que infectam a pele,
pêlo, lã, pena, chifre, casco, garra e
unha.
Três gêneros: - microsporum* -
trichophyton - epidermophyton.
Apresentam hifas septadas,
crescimento lento, aeróbicos estritos,
formam colônias pigmentadas.
Microsporum canis - zoofilico (felinos) -
25% dos portadores assintomáticos
Microsporum gypseum - geofilico
Trichophyton mentagrophytes -
zoofílico (roedores)
Epidermophyton - antropofílico.
Sinais clínicos: alopecia, eritema,
ausência de prurido, lesões circulares,
com bordos elevados, descamação
discreta, localização na cabeça e
porção superior do corpo.
Queratolíticos - camada córnea da
pele.
Exame: microscópico - micológico
direto, microscópico com hidróxido de
@VeterinariaAndress�
3
Ag�e�são � D�fe�� I�
potássio, exame com tinta nanquim,
metro de gram, coloração panótica:
Giemsa, Wright ou Leishman
Exame macroscópico: cultivo em meio
de cultura: identificação de um agente
fúngico, Agar Sabouraud com
cloranfenicol e cicloheximida.
Lâmpada de Wood: indicação de um
agente fúngico.
Antropozoonose (dos animais para o
ser humano), infecções por fungos
zoofílicos no homem. Lesão
eritematosa, descamativa,
conformação circular. Antebraço,
região cervical, prurido intenso,
crianças: tinea capitis.
Infecção a partir dos gatos
doentes/portadores: 50% pessoas
expostas, 70% das famílias (> 1 pessoa
infectada).
Prevenção: tratamento dos animais
doentes, desinfecção do ambiente
com hipoclorito de sódio, amônia
quaternária em superfícies que sofrem
corrosão por hipoclorito de sódio.
Descartar fômites (camas, tapetes,
carpetes)
- Malassezia pachidermatis
Geralmente está associada com outras
causas, mas pode ser isolada.
Endocrinopatia, DAPE, processo
dermatológico.
Principais espécies:
- M. furfur - microbiota da pele
- M. pachydermatis - pode ser
encontrada na pele de
mamíferos e na das aves,
particularmente junto a áreas
ricas em glândulas sebáceas.
Região anal, o canal auditivo externo,
os lábios e a pele