A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
28 pág.
especialidade-clinica

Pré-visualização | Página 2 de 11

e hidroclortiazida 12,5mg/dia. Do ponto de vista bioquímico está 
normal, exceto creatinina de 2,5mg/dL e hemoglobina glicada 8,2%. Entre as drogas orais 
enunciadas abaixo, qual delas poderia ser utilizada com mais segurança nesse paciente? 
a) Sitagliptina 
b) Linagliptina 
c) Alogliptina 
d) Vildagliptina 
 
Especialidades Clínicas 3 
 
7) Mulher, 65 anos, refere tratamento de osteoporose em UBS há 6 anos com alendronato 70 mg 
por semana, vitamina D3 400 UI ao dia e carbonato de cálcio 1000 mg /dia. Refere dor lombar 
sem trauma associado de longa data. Realizado Raio X de coluna que diagnosticou fratura 
em 2a vértebra lombar. Encaminhado ao ambulatório de metabolismo do cálcio para investigar. 
Antecedentes pessoais: tabagista há mais de 30 anos, nega etilismo. Exames 
complementares: Glicemia: 95 mg/dL; Creatinina: 0,9 mg/dL; Cálcio total: 9,6 mg/dL, fósforo: 
3,0 mg/dL; PTH: 148 pg/mL(10-65); 25 OH vitamina D 10 ng/mL. Assinale a alternativa correta: 
a) Paciente com hiperparatireoidismo secundário e osteoporose com alto risco de fraturas. O 
tratamento com bifosfonato deve ser mantido para prevenir novas fraturas, além de 
reposição de cálcio e vitamina D. 
b) Paciente com hiperparatireoidismo primário e fratura de coluna, sendo necessário localizar 
paratireoide alterada para posterior cirurgia. Aumentar a dose vitamina D e manter a 
reposição de cálcio. 
c) Paciente com hiperparatireoidismo secundário a deficiência de vitamina D e falha 
terapêutica ao uso de bifosfonato, devendo receber tratamento com teriparatida para 
prevenir novas fraturas. 
d) Paciente com hiperparatireoidismo primário, porém sem critérios para indicação de 
tratamento cirúrgico, pois o nível de cálcio sérico está dentro da normalidade. 
Densitometria de rádio distal deve ser realizada para avaliar risco de fratura. 
 
8) Paciente diabético tipo 2 há 18 anos, sexo masculino, 67 anos, tabagista, coronariopata, 
sedentário, IMC 28 kg/m2 em tratamento com endocrinologista. Refere uso das seguintes 
medicações: Vildagliptina 50mg 2x/dia, metformina 850mg 2x ao dia, atorvastatina 80mg/dia, 
losartana 50mg 2x/dia e aspirina 100mg/dia. Exames laboratoriais: Taxa de Filtração 
Glomerular (MDRD): 45 mL/minuto/1,73m2. Colesterol total: 190 mg/dL; LDL-C: 100mg/dL; 
HDL-C: 40mg/dL; VLDL-C: 50mg/dL. Considerando-se que esse paciente tem como meta de 
LDL valores abaixo de 50mg/ dL, qual é a conduta mais adequada? 
a) Associação de fenofibrato, suspensão da metformina devido ao alto risco de acidose lática. 
b) Associação de ômega 3 e aspirina devido a seu efeito cardioprotetor com redução de 
mortalidade em pacientes diabéticos de alto risco cardiovascular portadores de 
hipercolesterolemia familiar. 
c) Associar ezetimiba mais modificação de estilo de vida (MEV). 
d) Associação de ômega 3 devido a seu efeito cardioprotetor com redução de mortalidade 
em pacientes diabéticos de alto risco cardiovascular e troca da estatina + MEV 
 
9) Um paciente de 34 anos queixa-se de fraqueza, que vem piorando progressivamente há 4 
meses. Nega histórico de tromboses. O exame físico não mostra nada de relevante, além de 
mucosas hipocoradas. Um hemograma é, então, solicitado: Hb 7,5 g/dl; VCM 82 fl; Análise 
qualitativa da série vermelha : discreta anisocitose. Leucócitos 4500/mm³; Neutrófilos 70%; 
Linfócitos 25%; Eosinófilos 2%; Monócitos 3%; Plaquetas 180.000/mm³. Diante do quadro de 
anemia, novos exames são solicitados: ferritina 190 ng/ml; DHL 2100 U/l (valor normal até 
280 U/l); Bilirruinas Indiretas 2,4mg/dl; Bilirrubinas Diretas 0,5mg/dl; Bilirrubinas totais 
2,9mg/dl; Coombs Direto negativo. Eletroforese de Hemoglobina: Hb AA 96% com Hb A2 de 
2,8%. Creatinina 1,0 mg/dl. Diante do quadro acima, a alternativa que propõe a melhor 
hipótese diagnóstica seria: 
a) Púrpura Traombocitopênica Trombótica; 
b) Hemoglobinúria Paroxística Noturna 
c) Anemia Hemolítica Auto-Imune; 
d) Linfoma não Hodgkin 
Especialidades Clínicas 4 
 
10) Um paciente de 55 anos queixa-se de importante fraqueza e edema de MMII bilateralmente , 
que se iniciaram em uma longa viagem para a Europa. Havia ficado 4 meses em Portugal, 
cuidando dos negócios de família. Procurou o médico, que solicitou os seguintes exames: Hb 
12,5 g/dl; VCM 82 fl; Leucócitos 4500/mm³; Neutrófilos 70%; Linfócitos 25%; Eosinófilos 2%; 
Monócitos 3%; Plaquetas 180.000/mm³; ferritina 290 ng/ml; Creatinina 1,0 mg/dl; VHS 10mm; 
Proteína-C-Reativa: 0,8mg/dl (valor normal até 1g/dl). 
Eletroforese de proteínas: Abumina: 2,0 g/dL (Valor Normal: 3,50 a 4,85 g/dL); Alfa 1 : 0,3g/dl 
(VN 0,22 A 0,43 g/dL); Alfa 2 : 0,58g/dl ( VN 0,55 A 1,08 g/dL); Beta 1 : 0,33g/dl (VN 0,32 A 
0,54 g/dL); Beta 2 : 0,3 g/dl (VN 0,24 A 0,54 g/dL); Gama : 0,8g/dl ( VN 0,74 A 1,75 g/dL); 
Proteínas totais: 4,31g/dl (VN 6,60 A 8,30 g/dL); Proteína monoclonal: ausente; Imunofixação 
sérica: presença de cadeias leves lambda monoclonais. Proteinúria 24horas: 3900mg/24h; 
NT-ProBNP: 9800 pg/ml (Valor normal até 247 pg/mL); Cálcio: 9mg/dl ; RX de ossos longos: 
sem lises ósseas ou fraturas. Diante do quadro, um mielograma e uma biópsia de medula 
óssea foram solicitados: Mielograma: medula óssea normocelular, com 6% de plasmócitos 
(Valor normal: até 2% de plasmócitos). Biópsia de medula óssea: raros plasmócitos com 
restrição para cadeia leve de imunoglobulina lambda (grande predomínio de lambda); 
vermelho Congo positivo. Diante do quadro clínico, pode-se afirmar que: 
a) Trata-se de mieloma múltiplo, pois há evidências de monoclonalidade e plasmocitose 
medular; 
b) Trata-se de amiloidose secundária a mieloma múltiplo; 
c) Trata-se, provavelmente, de amiloidose com mutação da transtirretina (forma portuguesa), 
pois a eletroforese de proteínas não revelou componente monoclonal e o VHS e a Proteína 
–C-Reativa são normais, o que tornaria pouco provável o diagnóstico de amiloidose das 
doenças crônicas (AA amiloidose). 
d) As três alternativas acima estão erradas 
 
11) Uma paciente com 42 anos de idade apresenta importante dor abdominal em hipocôndrio 
direito. Ao exame físico,nota-se apenas a palpação dolorosa da região abdominal citada. No 
interrogatório complementar, ela refere apenas prurido após o banho. Alguns testes são, 
então, solicitados: US de abdome: Fígado aumentado em suas dimensões, baço com 450cm³ 
(valor normal até 300cm³) e trombose de veia supra-hepática. Hb 14,5 g/dl; VCM 82 fl; 
Leucócitos 9500/mm³; Neutrófilos 70%; Linfócitos 25%; Eosinófilos 2%; Monócitos 3%; 
Plaquetas 580.000/mm³; DHL 180 U/l (valor normal até 280 U/l). Diante dos dados acima, 
pode-se afirmar que: 
a) Policitemia Vera é mais provável do que hemoglobinúria paroxística noturna, neste caso. 
b) A hipótese de Policitemia Vera está descartada, pois não há policitemia (critério 
fundamental); 
c) A hipótese de Hemoglobinúria Paroxística Noturna é a mais provável. 
d) A pesquisa da mutação V617F da JAK-2 não teria impacto prático, pois é também 
presente em outras síndromes mieloproliferativas crônicas. 
 
12) Paciente de 62 anos com antecedentes de diabetes e hipertensão arterial sistêmica procura 
atendimento médico por estar apresentando visão dupla. Seu exame clínico mostra apenas 
estrabismo convergente à direita sem alterações pupilares. Não foram observados outros 
déficits motores, sensitivos ou comprometimento de pares cranianos. Negava fadigabilidade 
ou melhora com repouso. Realizou TC de crânio sem contraste que mostrou apenas redução 
volumétrica encefálica compatível com a idade do paciente e sinais de microangiopatia. Entre 
as alternativas abaixo assinale o diagnóstico mais provável. 
a) Mononeuropatia craniana 
b) Miastenia gravis 
c) Botulismo 
d) Infarto lacunar 
 
Especialidades Clínicas 5 
 
13) Um paciente de 60 anos, assintomático, comparece ao médico para a realização de exames 
de rotina. Não há achados relevantes ao exame físico. Dentre os testes solicitados, a 
eletroforese de proteínas apresenta uma alteração: Abumina: