A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Análise do Comportamento e Trabalho

Pré-visualização | Página 1 de 1

Organizações
Texto 1: Análise do
comportamento e trabalho
⚫ “Segundo Daniels (1984), não é a natureza do trabalho 
que define o quanto cada um gostará de realizá-lo, mas 
sim de algumas características que o acompanham.”
⚫ É papel do psicólogo identificar as contingências 
envolvidas no processo de trabalho para compreender o 
que mantém comportamentos adequados, tanto por 
parte dos funcionários quanto das 
empresas/organizações através da Performance 
Management (PM)
⚫ A Performance Management (PM) é uma proposta de 
gerenciamento de pessoas e trata-se de uma das 
principais áreas da Organizational Behavior Management, 
também conhecida como OBM.
⚫ PM é considerada por alguns autores, dentre eles, McGee 
(2007), como uma ferramenta de intervenção 
organizacional cujo enfoque principal é a análise das 
contingências vigentes no ambiente de trabalho
⚫ Entre os principais aspectos que constituem essa abordagem 
está a importância do uso de reforçamento positivo nas 
relações de trabalho, os esquemas de reforçamento, os 
antecedentes do desempenho, a análise ABC (Antecedentes – 
Behavior – Conseqüências) e a mensuração de 
comportamentos e resultados.
⚫ Para que isso ocorra, ele deve possuir formas para ordenar e 
analisar as interdependências que existem nos sistemas 
organizacionais e suas contingências entrelaçadas
⚫ Os profissionais que atuam na OBM devem , portanto:
⚫ “expandir as atividades tradicionais de um analista do 
comportamento porque seu objeto de estudo é o 
comportamento organizacional. Deixando claro que, 
“comportamento organizacional” significa ambos, o 
comportamento dos indivíduos na organização e o 
comportamento das organizações como entidades funcionais 
em si. O que deve ser gerenciado é a relação entre o 
comportamento dos indivíduos dentro da organização e o 
comportamento da organização como um todo.”
Texto 2: Psicólogo Organizacional: aplicador de técnicas e 
procedimentos ou agente de mudanças e de intervenção nos 
processos decisórios organizacionais?
⚫ A atuação dos psicólogos dentro das organizações é marcada pelo caráter 
técnico-operacional que, por sua vez, acaba tendo como decorrência um 
fraco poder no seu exercício profissional.
⚫ Devido à deficiente formação básica da profissão, muitas vezes 
encontram-se mal preparados, para o desempenho dessas atividades de 
cunho técnico-operacional (seleção e recrutamento, treinamento, análise 
de cargo e salário, avaliação de desempenho etc). 
⚫ E temos um cenário ainda mais complexo quando se trata de ampliar a 
possibilidade de sua atuação, realizando atividades ditas emergentes 
(elaboração de políticas de recursos humanos, planejamento estratégico, 
desenvolvimento de carreiras e planos de sucessão, desenvolvimento de 
equipes, análise e mudança da cultura organizacional, programas de 
qualidade de vida e qualidade total etc).
⚫ Este cenário se deve ao processo de formação acadêmica dos 
psicólogos, já que este é, muitas vezes, caracterizado pelo 
modelo médico, direcionado para a área clínica, focada nas 
patologias, e com uma tendência de 'psicologização' dos 
fenômenos.
⚫ Somado a isso, outra deficiência que encontramos na 
formação do psicólogo é a pouca atenção que tem sido dada 
à prática da pesquisa no decorrer dos cursos de graduação 
como um recurso para aprender a aprender, aprender a 
pensar e aprender a conhecer, aptidões importantes para um 
bom exercício profissional
⚫ O psicólogo organizacional não pode mais continuar 
sendo um mero aplicador de técnicas, outrora 
aprendidas na graduação, que possibilitam apenas lidar 
com o ser humano como um ser isolado, dotado de 
deficiências e potencialidades. Ele precisa compreender o 
homem como um ser social, em constante interação com 
o meio, um ser que se constitui nas relações que 
estabelece e nas atividades que executa.
⚫ Sem fazer isso, o psicólogo deixará de construir 
possibilidades de trabalho que estão sendo realizadas por 
profissionais de outros campos de atuação como 
administradores, engenheiros, economistas e pedagogos. 
Zanelli ainda considera que "o profissional que se 
pretende não é aquele que vai ajustar-se mecanicamente 
às necessidades do mercado, mas um profissional capaz 
de reestabelecer as condições que o mercado oferece, 
utilizando competentemente os espaços que lhe são 
oferecidos"
Referências
⚫ Aureliano, L. F. G, Arima, C. Y, Careli Análise do 
comportamento e trabalho: Análise do Comportamento 
Aplicada às Organizações. Em: Boletim Paradigma, 
p.37-40, (2013).
⚫  
⚫ Azevedo, B. M., Botomé, S. P. (2001). Psicólogo 
Organizacional Aplicador de técnicas e procedimentos 
ou agente de mudanças e de intervenção nos processos 
decisórios organizacionais. Psicologia Organizações e 
Trabalho, v.1, n.1, p.181-186.