A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Analise Demonstrações Financeiras - Aula 4

Pré-visualização | Página 1 de 2

Análise das Demonstrações
Financeiras
Aula 4 - Análise Horizontal e Análise Vertical
INTRODUÇÃO
Por meio das análises horizontal e vertical, pode-se avaliar cada conta isoladamente ou grupo de contas das
demonstrações �nanceiras com comparações entre as contas ou grupos, como também entre diferentes períodos.
Desta maneira, é possível identi�car, de modo especí�co, a importância da conta no contexto do grupo, como também,
sua evolução/involução (crescimento ou redução) ao longo dos anos.
As análises horizontal e vertical devem ser feitas conjuntamente e complementam as observações efetuadas pela
Análise de Indicadores (Quocientes) e com, no mínimo, dois períodos de comparação das demonstrações �nanceiras
no decorrer do tempo.
OBJETIVOS
Identi�car os aspectos gerais da Análise das Demonstrações Financeiras.
Reconhecer a �nalidade principal da Análise Horizontal.
Avaliar a estrutura e a evolução da composição de itens pela Análise Vertical.
ASPECTOS GERAIS DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS
A Análise de Balanços é composta por, basicamente, três técnicas:
A Análise Vertical (ou de estrutura) e a Análise Horizontal (ou de comportamento) são técnicas 
da Análise de Balanços que permitem uma análise mais apurada, ou seja, demonstram qual 
a conta mais relevante do grupo investigado e sua variação ao longo do tempo.
Por exemplo, se foi identi�cado um nível elevado de endividamento, pode-se veri�car qual o credor de mais impacto na
estrutura das obrigações e seu comportamento (crescimento) ao longo dos anos.
A Análise Vertical indica a importância, em percentual, de cada conta em relação ao conjunto. Na análise do
Balanço Patrimonial, o valor base de 100% é a conta de Ativo. Já na análise da Demonstração do Resultado do
Exercício, a conta de parâmetro é de Vendas.
O acompanhamento da evolução de cada conta, de uma série das demonstrações �nanceiras, é realizado pela
Análise Horizontal. Nesse sentido, o parâmetro base, normalmente, é a série das demonstrações mais antigas que
serve de ponto de partida para a veri�cação do seu comportamento (aumento ou redução ao longo do período
analisado).
Fonte da Imagem:
Por intermédio da Análise Vertical/Horizontal, é possível conhecer detalhes das demonstrações �nanceiras que não
são evidenciadas através da análise de indicadores, ou seja, a conta ou grupo de contas é investigado tanto no seu
contexto estrutural da demonstração contábil (seu impacto na composição do parâmetro base) como no seu
respectivo comportamento (aumento/redução) ao longo dos anos.
Desta maneira, pode-se conhecer o histórico dos dados econômico-�nanceiros e avaliar tendências futuras.
Saiba Mais
, A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) foi criada em 07/12/1976, pela Lei 6.385/76, com o objetivo de �scalizar, normatizar,
disciplinar e desenvolver o mercado de valores mobiliários no Brasil., , A CVM é uma entidade autárquica em regime especial,
vinculada ao Ministério da Fazenda, com personalidade jurídica e patrimônio próprios, dotada de autoridade administrativa
independente, ausência de subordinação hierárquica, mandato �xo e estabilidade de seus dirigentes, e autonomia �nanceira e
orçamentária.
Fonte: Onchira Wongsiri / Shutterstock
Análise Horizontal
A Análise Horizontal é utilizada para avaliar a relação, ao longo do tempo, de cada conta das Demonstrações
Financeiras entre, no mínimo, dois períodos. Demonstra a evolução/involução de cada conta ou grupo das
demonstrações �nanceiras e, pela comparação entre si, pode-se extrair conclusões sobre a evolução da empresa.
A evolução de cada conta demonstra os caminhos percorridos pela empresa 
e as suas prováveis tendências.
Como a análise horizontal compara valores em datas distintas, destaca-se como limitação 
desta técnica, o efeito da in�ação nas demonstrações, pois a relação estabelecida 
envolve elementos de períodos diferentes.
A análise horizontal do Balanço Patrimonial, normalmente, considera a demonstração mais 
antiga como ano base (100%) e por meio de cálculos de regra de três são 
acompanhados os valores conforme apresentado nos quadros 1 e 2.
Quadro 1: Análise Horizontal do Balanço Patrimonial da Raia Drogasil S.A. — Ativo
Fonte: A autora, 2017.
Quadro 2: Análise Horizontal do Balanço Patrimonial da Raia Drogasil S.A. — Passivo
Fonte: A autora, 2017.
Comentário
, Pode-se observar que todos os valores do período de 2015 são iguais a 100, pois trata-se do ano base. Já para o ano de 2016, os
percentuais são obtidos por meio de regra de três. Por exemplo, o índice de Contas a Receber foi obtido pela divisão de 877,353
por 700,092 e multiplicado por 100, no qual foi encontrado o índice de 125,3. A variação trata-se do excesso de 100 ou falta de
100. No exemplo de Contas a Receber, pode-se constatar que 2016 teve um aumento de 25,3% em relação ao ano de 2015 (ano
base).
No Quadro 3, nota-se a Análise Horizontal da Demonstração do Resultado do Exercício. Os cálculos dos índices são
realizados da mesma forma, ou seja, divide-se os valores de cada conta do ano posterior pelo valor da respectiva conta
no período base e multiplica-se por 100:
Quadro 3: Análise Horizontal da Demonstração do Resultado do Exercício da Raia Drogasil S.A.
Fonte: A autora, 2017.
Comentário
, Conforme a análise do Quadro 3, veri�ca-se que: 
• As receitas líquidas tiveram um crescimento de 26,5%... 
• Enquanto os custos dos bens vendidos cresceram 25,4%; 
• Com isso, o lucro bruto obteve um incremento de 29,1%; 
• As despesas operacionais tiveram um aumento médio de 26,4% entre os períodos de 2015 e 2016; 
• Nesse mesmo intervalo de tempo, o resultado �nanceiro teve um aumento de 69,8%; 
• Já em relação ao resultado consolidado do período, este teve uma evolução de 32,8%.
Recomenda-se que a análise horizontal seja utilizada em conjunto com a análise vertical, 
pois a relevância das variações ocorridas, no decorrer dos períodos, depende da magnitude de cada 
elemento na composição estrutural da demonstração contábil.
Fonte: Onchira Wongsiri / Shutterstock
Análise Vertical
É calculada por meio da relação percentual entre itens pertencentes à demonstração �nanceira de um mesmo período.
Os índices obtidos podem ser comparados entre si ao longo do tempo, assim como, entre empresas diferentes.
A análise vertical do BP (glossário) considera o Ativo total como 100%, a�nal, este corresponde ao patrimônio total da
entidade. Quando a análise vertical é aplicada ao Balanço Patrimonial, possibilita-se detectar a composição percentual
dos tipos de aplicações e as origens de recursos que compõem o patrimônio da entidade, conforme analisado nos
quadros 4 e 5.
Quadro 4: Análise Vertical do Balanço Patrimonial da Raia Drogasil S.A. — Ativo
Fonte: A autora, 2017.
Quadro 5: Análise Vertical do Balanço Patrimonial da Raia Drogasil S.A. — Passivo
Fonte: A autora, 2017.
Comentário
, Percebe-se pelo Quadro 4 que: 
• Em 2016, 60,6% do patrimônio são aplicados em ativos realizáveis no curto prazo, 0,9% em ativos realizáveis no longo prazo e
38,5% em ativos que não se tem por expectativa transformar em dinheiro (Imobilizado e Intangível, somados); 
• Em 2015, essas proporções eram 57,2% (AC), 0,9% (RLP) e 41,9% (Imobilizado e Intangível, somados), o que nos permite
identi�car que a Droga Raia priorizou, no último ano, aplicações em Ativos Circulantes. 
• Esse mesmo patrimônio, em 2016, é �nanciado 38,6% com dívidas que vencem no curto prazo, 9,5% por dívidas que vencem no
longo prazo e 51,9% por capitais próprios da entidade; 
• Em 2015, essas proporções eram 35,1% (PC), 8,4% (PÑC) e 56,5% (PL) sugerindo que a Droga Raia priorizou a obtenção de
recursos próprios e de terceiros que vencem no curto prazo conforme demonstrado no quadro 5.
A análise vertical da DRE considera a receita como 100%. É a partir da receita que todas 
as despesas são subtraídas até se chegar ao resultado do período (lucro ou prejuízo).
A análise vertical é de extrema importância, especialmente, quando aplicada à Demonstração de Resultado do
Exercício, pois