A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Fisiologia Renal

Pré-visualização | Página 1 de 1

1. Rim 
• Cada rim pesa aproximadamente 150g 
• Recoberto por cápsula fibrosa e dura, 
• Dividido principalmente em córtex (externo) e. Medula (interna) 
•Medula é dividida em 8 a 10 massas (em formas de cone) -> pirâmides renais 
• A base de cada pirâmide tem origem na borda entre o córtex e a medula e termina 
na papila, com projeção para dentro do espaço renal, uma continuação da extremidade 
superior do ureter, em forma de funil. 
• A borda externa da pelve é dividida em grandes cálices, que se estendem para baixo e 
se dividem em cálices menores, que coletam a urina dos túbulos de cada papila. 
• As paredes dos cálices, da pelve e do ureter contêm elementos contráteis, que 
impulsionam a urina em direção à bexiga, onde é armazenada até que seja eliminada 
pela micção. 
Vascularização Renal 
O sangue flui para cada rim pela artéria renal, que se ramifica em: artérias interlobares, arqueadas, interlobulares e arteríolas aferentes, que 
levam aos capilares glomerulares. 
Os capilares de cada glomérulo se juntam para formar uma arteríola eferente, que leva a uma segunda rede capilar, os capilares peritubulares. 
Eles se esvaiam nos vasos do sistema venoso, que correm paralelos aos vasos arteriolares e formam a veia interlobular, veia arqueada, 
interlobar e veia renal. 
Vasa Recta: capilares peritubulares especializados que se estendem para o interior da medula renal e cursam em paralelo às Alças de Henle. O 
córtex recebe a maior parte do fluxo sanguíneo renal. Apenas 1-2% passa pela vasa recta, que suprem a medula. 
• A circulação renal ocorre em alta taxa de fluxo de sangue e há dois leitos capilares (glomerulares e peritubulares), que são organizados 
em série e separados pelas arteríolas eferentes. 
2. Néfron
•Unidade funcional renal 
•Formada por: corpúsculo de Malpighi, que contém o sistema tubular (túbulo 
contorcido proximal, alça de Henle, túbulo contorcido distal e túbulo coletor). 
•Responsável pela produção do filtrado glomerular e por processar esse filtrado 
•No córtex ficam: corpúsculo de Malpighi, túbulos contorcidos proximal e distal e 
parte inicial do túbulo coletor. 
•Na medula: alça de Henle e a maior parte dos túbulos coletores. 
3. Filtração Glomerular
•Gênese da urina ocorre com a formação do filtrado glomerular, nos Corpúsculos de Malpighi 
•Dentro dos capilares glomerulares há uma pressão hidrostática (60mmHg), que força o sangue a fluir para frente, em 
direção à arteríola eferente. 
•No interior da capsula de Bowman, há menor pressão hidrostática (18mmHg). Há também a pressão oncótica/ 
coloidosmótica (32mmHg) no interior dos capilares glomerulares. Este tipo de pressão atrai a água do exterior para o 
interior capilares glomerulares. 
•A pressão resultante é de 10mmHg (Pressão de Filtração) -> favorece a saída de líquidos do interior para o exterior 
dos capilares glomerulares, proporcionando uma boa filtração de sangue. 
•A cada minuto, cerca de 125ml de filtrado se formam no interior da capsula de Bowman (Filtrado Glomerular) 
•Se houver queda na PA, haverá, também, queda na pressão hidrostática no interior das cápsulas glomerulares. Isso 
provocará uma queda acentuada na pressão de filtração, o que reduzirá a filtração glomerular, poupando líquido 
(volume) para o corpo, numa tentativa de se corrigir a queda da pressão. 
•O contrário se verificaria num caso de aumento da pressão sangüínea.
Ívena B. Fiuza


4. Reabsorção Tubular
• Após a filtração, o filtrado contém substâncias desnecessárias ao corpo, mas também alguns nutrientes e eletrólitos que o corpo não pode 
perder. 
• Na reabsorção, as substâncias essenciais que foram filtradas retornam aos capilares peritubulares. É um processo seletivo já que os túbulos 
possuem elevada capacidade de reabsorção de substâncias necessárias ao corpo e uma baixa capacidade de reabsorção de substâncias 
não necessárias e por vezes prejudiciais ao corpo. 
• Para serem reabsorvidas, as substâncias têm que atravessar cinco barreiras (membrana luminal das células do túbulo, citosol das células do 
túbulo, membrana basolateral das células tubulares, fluido intersticial e parede dos capilares peritubulares), sendo o transporte realizado 
designado por transporte transepitelial.
5. Secreção tubular
•No tubo contorcido distal e no ducto colector pode ocorrer a secreção ativa de substâncias (K+, H+ e ânions e 
cátions orgânicos), a partir do plasma sanguíneo para o lúmen tubular, para formação da urina. 
• ·Secreção de H+: ao nível de todos os tubos constituintes do néfron, permitindo a regulação do equilíbrio ácido-base 
do organismo. Alterações na secreção deste íon podem levar a situações de acidose ou alcalose no organismo; 
• ·Secreção de K+: essencialmente ao nível do tubo distal e colector, de forma regulável, estando esta secreção 
acoplada à reabsorção de Na+ na bomba Na+/K+, dependente de energia, no lado basolateral das células tubulares. 
Com o funcionamento da bomba passa a existir uma menor [K+] no fluído extra celular, que favorece a difusão 
deste íon dos capilares peritubulares para o fluido extra celular. 
•Já no interior das células tubulares, o K+ é transportado a partir de canais até ao lúmen. 
•Secreção de ânions e cátions orgânicos: esta secreção inclui uma série de funções importantes: 
•secreção rápida de íons (mensageiros químicos) da corrente sanguínea, após estes completarem a sua 
função 
•secreção de iões orgânicos que são 
transportados associados a proteínas, e que 
não conseguem ser filtrados a nível glomerular 
•eliminação de componentes estranhos ao 
organismo (o fígado converte estas substâncias 
em formas catiônicas e aniônicas, facilitando a 
secreção) 
•O sistema de secreção de ânions e cátions orgânicos, 
ao contrário da secreção de K+, não está sujeito a 
ajustes fisiológicos, pelo que a maioria destas formas 
iônicas acabam por fazer parte da urina.
Ívena B. Fiuza
6. Barreira Glomerular
• Constitui uma membrana espessa, formada por uma membrana basal das células endoteliais dos capilares glomerulares e a membrana basal 
dos podócitos. 
• É dotada de duas l&aminas raras, uma interna, próxima às células endoteliais e uma externa, junta aos podócitos, além de uma lâmina 
intermediária.. 
• É capaz de filtrar solutos com base em duas propriedades: o tamanho e carga elétrica das moléculas. As moléculas negativas são capazes 
de reter moléculas positivas e o colágeno tipo IV, em parceria com a laminina. 
• Também há o mesângio: complexo de células especializadas, que cercam os capilares glomerulares e garantem sustentação, sintetizam 
matriz extracelular e realizam fagocitose de substâncias retidas pela barreira. 
• A barreira possui 3 camadas principais: 
• Endotélio Capilar 
•Membrana basal 
• Células epiteliais (podócitos), na superfície externa da membrana basal capilar. 
7. AINES e Redução da Filtração Glomerular
•Os AINES inibem a COX, o que impede a conversão do Ácido aracdônico, não ocorrendo a síntese de Prostaglandina 
E2, Prostaciclinas e Tromboxanos. Assim, não há também a ação vasodilatadora renal, que seria exercida pelas 
prostaglandinas.. 
• ·Desta forma, não há aumento da perfusão renal . Levando a uma Injúria Renal Aguda. 
Ívena B. Fiuza