A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Dermatologia

Pré-visualização | Página 1 de 2

ESTRUTURA DA PELE 
 A pele é o maior órgão do corpo, e 
um dos melhores indicadores de 
saúde geral. 
 É dividida em 3 camadas: 
o Epiderme (mais externa) → camada 
fina (podendo ser mais espessa no 
pé), constituída por células 
epiteliais escamosas dispostas em 
camadas e que estão em continuo 
processo de renovação. Não possui 
vascularização. As terminações 
nervosas e os corpúsculos 
sensoriais situam-se na camada basal (que 
é a camada mais profunda da epiderme, 
suas células são entremeadas por 
melanócitos). 
*Obs: a pessoa que tem a pele mais escura, 
não quer dizer que ela tem menor 
quantidade de melanócitos, a quantidade 
de melanócitos é igual para todo mundo, o 
que varia é a quantidade de melanina 
produzida por esses melanócitos. 
o Derme→ tecido conjuntivo rico em vasos 
sanguíneos, linfáticos, nervos, receptores 
sensoriais, fibras elásticas, glândulas 
sebáceas, glândulas sudoríparas, 
elementos 
celulares e corpúsculo de Merkel, Pacini, 
Meissner e Krause. 
 
o Hipoderme ou tecido celular subcutâneo 
(mais profunda) → rica em gordura 
(panículo adiposo), glândulas sudoríparas e 
sebáceas e vasos sanguíneos. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
FUNÇÕES DA PELE 
 Proteção (de traumas, raios UV). 
 Termorregulação (vasodilatação e 
vasoconstrição). 
 Percepção (terminações nervosas). 
 Reserva alimentar. 
 Excreção: ureia, amônia, ácido 
úrico. 
 Metabólica: vit D > calcificação 
óssea. 
 Imunológica: células de Langerhans 
(captam e processam antígenos). 
 
ANAMNESE 
 IDADE, SEXO, ETNIA (A pele muda 
com a idade. Doenças autoimunes 
são mais frequentes em mulheres. 
Característica da composição da 
melanina tem fatores de 
proteção/exposição dependendo 
da etnia. 
 PROCEDÊNCIA GEOGRÁFICA 
(fatores ambientais). 
 ESTAÇÃO DO ANO (dependendo da 
estação a pele pode apresentar 
diferentes características). 
 OCUPAÇÃO (trabalhador rural/ 
praia x trabalhador interno). 
 NÍVEL SÓCIO-ECONÔMICO 
(ambientes fechados, 
aglomerações, ventilação, higiene 
ruim). 
 ANTECEDENTES PATOLÓGICOS 
(manifestações cutâneas 
relacionadas a doenças que os 
pacientes possam ter) 
ANAMNESE DERMATOLÓGICA 
 MORFOLOGIA DA LESÃO (número 
de lesões, são iguais ou diferentes, 
tamanho e formato da lesão). 
 TEMPO DE EVOLUÇÃO (quanto 
tempo tem essa lesão?). 
 INÍCIO DOS SINAIS E SINTOMAS (os 
sintomas são só cutâneos?). 
 ÉPOCA DE APARECIMENTO 
(estação que a lesão aparece). 
 DISTRIBUIÇÃO (pega o corpo 
inteiro, ou locais específicos como 
mãos, pernas, face, regiões de 
dobras). Regional ou universal 
 ORGANIZAÇÃO (pápulas, em um 
dermátomo). 
 MANEIRA DE PROGRESSÃO (ordem 
de evolução da lesão). 
 FATORES: 
 o De piora, 
 o De melhora, 
 o Desencadeantes, 
 SINTOMAS ASSOCIADOS (febre, 
falta de ar, diarreia, dor articular). 
MORFOLOGIA 
 
 
 
 
 
Lesão anular: 
 
 
Lesão numular: 
 
 
Lesão em alvo: 
 
 
Lesão em placa: 
 
Lesão em mancha: 
 
Lesão gutata: 
 
 
Lesão serpinginosa: 
 
 
DISTRIBUIÇÃO 
 
Regional :
 
 
Universal: 
 
 
 
 
 
 
 
D 
 
 
 
 
ORGANIZAÇÃO 
 
 
 
 
Lesão linear: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Lesão zoosteriforme: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Lesão Herpetiforme: 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Lesão reticulada: 
 
 
 
EXAME FÍSICO 
 Paciente despido 
 Local bem iluminado 
 Inspeção pele e mucosas 
 Palpação 
 Exame físico geral 
-Serão sistematicamente investigados os 
seguintes elementos: 
*Coloração: 
PALIDEZ: significada atenuação ou 
desaparecimento da cor rósea da pele. 
 
HIPEREMIA: aumento da circulação na 
derme, pode ficar mais avermelhado. 
 
CIANOSE: cor azulada da pele e das 
mucosas. Manifesta-se quando a 
hemoglobina reduzida alcança no sangue 
valores superiores a 5 mg/ 100 ml. 
 
ICTERÍCIA: cor amarelada da pele e das 
mucosas, ocorre devido ao acumulo de 
bilirrubina no sangue. 
 
CAROTENOSE: aumento de betacaroteno, 
pele mais alaranjada. 
 
*Umidade: 
o Normal. 
o Pele seca: pode ser encontrado em 
paciente desidratado. 
o Aumentada ou sudorenta. 
 
*Textura: 
o Normal. 
o Fina: pode ser encontrada em pessoas 
idosas, no hipotireoidismo em áreas 
recentemente edemaciadas, em algumas 
afecções como mixedema e dermopatias 
crônicas. 
o Áspera: indivíduos que trabalham em 
atividades rudes, pacientes desidratados. 
o Enrugada: vemos em pessoas idosas, 
pessoas que perderam peso rápido ou 
quando se 
elimina o edema. 
 
*Espessura: 
o Normal: encontrada em paciente hígido. 
o Atrófica: acompanha-se certa 
translucidez que permite ver a rede venosa 
superficial. É 
observada nos idosos, prematuros e 
algumas dermatoses. 
o Espessado ou hipertrófica: é vista 
geralmente em indivíduos que trabalham 
expostos ao 
sol. 
 
*Sensibilidade: 
o DOLOROSA: 
▪ Hipoalgesia ou analgesia: ausência de 
dor ao contato com um objeto aquecido 
▪ Hiperestesia: até com os toques mais 
sensíveis se desperta dor. 
o TÁTIL 
▪ Anestesia ou hipoestesia: é uma perda 
ou diminuição da sensibilidade tátil. 
O TÉRMICA 
 
*ELASTICIDADE E MOBILIDADE: devem ser 
analisadas em conjunto. 
o A elasticidade é a propriedade de o 
tegumento cutâneo se estender quando 
tracionado, e a mobilidade refere-se à sua 
capacidade de se movimentar sobre os 
planos profundos subjacentes. 
o Para avaliar a elasticidade, pinça-se 
uma prega cutânea com o polegar e o 
indicador, fazendo, em seguida, certa 
tração, ao fim da qual se solta a pele. Para 
a pesquisa da mobilidade, emprega-se a 
seguinte manobra: pousa-se firmemente a 
palma da mão sobre a superfície que se 
quer examinar e movimenta-se a mão para 
todos os lados,fazendo-a deslizar sobre as 
estruturas subjacentes (ossos, articulações, 
tendões, etc). 
o A elasticidade pode ser: 
▪ NORMAL: observa-se em indivíduos 
hígidos. 
▪ AUMENTADA OU HIPERPLÁSICA: 
lembra características da borracha. Tem 
como 
exemplo a síndrome de Ehlers-Danlos, na 
qual está presente um distúrbio do tecido 
elástico cutâneo. 
▪ DIMINUÍDA OU HIPOPLÁSICA: a pele ao 
ser tracionada volta vagarosamente. Pode 
ser observada em idosos, pacientes 
desnutridos e desidratados. 
o A mobilidade pode ser: 
▪ NORMAL: a pele normal apresenta 
certa mobilidade em relação as estruturas 
mais 
profundas que se relaciona. 
▪ DIMINUÍDA OU AUSENTE: pode ocorrer 
em área-sede de processo cicatricial, na 
esclerodermia, na elefantíase e nas 
infiltrações neoplásicas próximas á pele. 
▪ AUMENTADA: observada na pele de 
pessoas idosas e na síndrome de Ehlers-
Danlos. 
 
*Turgor: avalia-se pinçando com o polegar 
e o indicador uma prega de pele que 
engloba o tecido subcutâneo. 
o NORMAL: quando o examinador obtém 
sensação de suculência em que, ao se 
soltar,observa-se a prega se desfazer 
rapidamente. Indicando conteúdo normal 
de água, ou seja, pele hidratada. 
o DIMINUÍDO: sensação de pele murcha e 
uma prega que se desfaz lentamente. O 
que 
indica desidratação. 
 
*Temperatura 
 
LESÕES ELEMENTARES 
AVALIAR: forma, bordas, cor, localização e 
superfície. 
➢ PODEM SER: 
o Primárias: não é precedida de outra 
alteração cutânea. 
o Secundárias: evolução das lesões 
primárias. 
PRIMÁRIAS: 
•Mácula/Mancha 
•Pápula 
•Placa 
•Nódulo 
•Vesícula 
•Bolha 
•Pústula 
•Abscesso 
LESÕES ELEMENTARES PRIMÁRIAS: 
 Manchas/Mácula 
➢ Alterações, planas e impalpáveis, 
resultado de alteração da coloração da 
pele: 
o PIGMENTARES: alteração do pigmento 
melânico: 
▪ ACRÔMICAS (vitiligo): ausência de 
melanina. 
▪ HIPOCRÔMICAS: diminuição da 
melanina. 
▪ HIPERCRÔMICAS (melasma): aumento 
da melanina, mais escura que a pele do 
paciente. 
 
Mácula: até 01cm 
Mancha:>01cm 
 
OVASCULARES: distúrbios da 
microcirculação da pele, desaparecem a 
digitopressão. 
▪ TELANGIECTASIA: dilatações dos vasos 
terminais. 
▪ MANCHA ERITEMATOSA OU 
HIPERÊMICA: decorrem da vasodilatação. 
 
o HEMORRAGICAS: não desaparece a 
digitopressão. 
▪ PETÉQUIA: são puntiformes. 
▪ VÍBICE: forma linear. 
▪ EQUIMOSE: são em placas. 
 
o DEPOSIÇÃO