A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
analista_sist_esp_banco_dados

Pré-visualização | Página 1 de 6

www.pciconcursos.com.br
ELETROACRE - AC - 001/2014
AnAlistA de sistemA - especiAlistA em BAnco de dAdos
Caderno de Prova
LEIA COM ATENÇÃO AS INSTRUÇÕES ABAIXO
Prezado(a) Candidato(a),
1. Ao receber este caderno, confira se ele contém as questões objetivas com 40 (quarenta) itens, ordenados de 1 a 40, 
com alternativas de A a E; sendo que apenas uma alternativa é correta. Caso o caderno esteja incompleto ou tenha 
qualquer defeito, solicite ao Fiscal de Sala as providências cabíveis.
2. Durante a prova não poderá ser utilizado nenhum material de consulta. Não se comunique com outros candidatos, 
não use chapéu, óculos escuros, relógio e nem se levante sem autorização do Fiscal de Sala.
3. O cartão-resposta deverá ser preenchido, pelo(a) candidato(a) com caneta esferográfica TRANSPARENTE de tinta 
azul ou preta, devendo cobrir inteiramente o espaço correspondente à alternativa escolhida. O cartão não poderá ser 
rasurado, dobrado ou amassado. Não haverá substituição de cartão-resposta.
4. As Questões de número 29 a 32 deverão ser respondidas de acordo com a sua opção de Lingua Estrangeira: 
Espanhol ou Inglês.
MARQUE ASSIM
NÃO MARQUE ASSIM
5. A assinatura do(a) canditado(a) no cartão-resposta é necessária e fundamental para sua identificação.
6. No momento da identificação, o(a) candidato(a) deverá escrever, no espaço apropriado do cartão-resposta, com a 
sua caligrafia usual, a seguinte frase:
Pedofilia é crime, denuncie.
7. O tempo máximo de duração da prova é de 3 (três) horas, incluindo o preenchimento do cartão resposta, contadas 
a partir da autorização dada pelo Fiscal de Sala.
8. O(a) candidato(a) somente poderá entregar a prova depois de transcorrida, pelo menos, 1 (uma) hora de seu início. 
Após a entrega, o(a) mesmo(a) deverá retirar-se da sala e do local de prova, não podendo mais ir ao banheiro.
9. Os três últimos candidatos deverão permanecer na sala de prova e somente poderão sair juntos do recinto após a 
aposição em ata de suas respectivas assinaturas.
10. O(a) candidato(a) poderá levar o caderno de questões, SOMENTE, 15 minutos antes do término da prova.
11. O não cumprimento a qualquer uma das instruções deste caderno e do edital no 01/2014 poderá implicar na anula-
ção da sua prova.
12. A avaliação da prova objetiva levará em consideração somente as respostas transferidas para o cartão-resposta.
13. Caberá recurso sobre o conteúdo da prova em até 2 (dois) dias úteis após a divulgação do gabarito, que estará 
disponível no site www.ibeg.org.br.
Desejamos sucesso!
Coordenação Geral do Concurso Público
Edital dE abErtura do ConCurso PúbliCo
ElEtroaCrE - aC no 01/2014
1/12IBEG - InstItuto BrasIlEIro dE Educação E GEstão ElEtroacrE
AnAlistA de sistemA - especiAlistA 
em BAnco de dAdos
www.pciconcursos.com.br
ELETROACRE - AC - 001/2014
 
2/12AnAlistA de sistemA - especiAlistA em BAnco de dAdos ElEtroAcrEIBEG - InstItuto BrAsIlEIro dE EducAção E GEstão
LÍNGUA PORTUGUESA 
Leia o Texto a seguir e responda 
as questões de 01 a 04
Texto I - O Jovem, a Escola e o Mercado de Trabalho
 Pesquisas mostram que o excesso de disciplinas na 
grade curricular e a falta de interesse pela escola estão entre os 
principais motivos para o jovem brasileiro evadir do ensino mé-
dio. O que leva à desistência também pode estar influenciando a 
incapacidade desses jovens de se adequarem a outro ambiente: 
o de trabalho. Para a economista Maíra Habimorad, o excesso 
de atenção ao conteúdo e a pouca interlocução das escolas com 
atores externos têm gerado adolescentes com baixa autonomia.
 Responsável pela seleção de jovens para programas de 
estágios e trainees de gigantes como Unilever, IBM, Facebook, 
Google, Samsung e Itaú, Maíra alerta que a qualidade da Edu-
cação Básica no Brasil é um tema que preocupa cada vez mais 
as grandes empresas. “A realidade é que hoje as instituições são 
muito fechadas, em qualquer nível de ensino”, diz.
 Mas seria a escola um local para a instrução ou para 
a educação? Para a CEO da Companhia de Talentos, uma das 
maiores da América Latina, não é papel da escola formar apenas 
para o mercado. Mas ela é taxativa: a escola não pode virar as 
costas para ele.
(...)
Por Paulo de Camargo. Disponível em: <http://revistaeducacao.uol.com.br/textos/203/que-
jovem-e-esse-307926-1.asp>. Acesso em: 26 set. 2014, com adaptação.
QUESTÃO 01
A partir das informações do texto e das relações entre elas, pode-se 
afirmar que
(a) as pesquisas revelam que os dois principais motivos da eva-
são escolar, entre os jovens brasileiros, são o excesso de discipli-
nas e o desinteresse pela escola.
(b) os mesmos motivos que levam à evasão escolar influenciam 
na hora em que o jovem brasileiro desiste de trabalhar.
(c) para explicar a baixa autonomia dos adolescentes brasileiros, 
a economista Maíra Habimorad cita motivos que se relacionam 
diretamente com os que foram apresentados no 1º parágrafo para 
explicar a evasão escolar.
(d) Maíra Habimorad afirma que as escolas, em diferentes níveis, 
estão fechadas para a realidade externa a elas.
(e) O último parágrafo não apresenta uma resposta coerente para 
a pergunta “Mas seria a escola um local para a instrução ou para 
a educação?
QUESTÃO 02
Do ponto de vista da tipologia, o texto classifica-se como, predo-
minantemente,
(a) dissertativo, pois analisa a relação entre a escola e o mercado 
de trabalho.
(b) dissertativo, pois, embora não faça uma relação entre os fatos 
analisados, defende a opinião de que a escola deve, prioritaria-
mente, preparar o jovem para o mercado de trabalho.
(c) descritivo, pois faz apenas um registro objetivo das falas de 
especialistas no assunto retratado.
(d) descritivo, pois manifesta a preocupação de caracterizar os 
indivíduos citados: os jovens, a economista e a funcionária da 
Companhia de Talentos.
(e) narrativo, pois o seu foco principal é apresentar uma sequência 
de acontecimentos que se desenvolvem no tempo e no espaço.
QUESTÃO 03
De acordo a norma padrão e com o período “O que leva à desis-
tência também pode estar influenciando a incapacidade desses 
jovens de se adequarem a outro ambiente”, o uso do sinal indica-
tivo de crase
(a) seria facultativo se, entre “leva” e “desistência”, fosse empre-
gado o pronome aquela.
(b) poderia ocorrer diante de “incapacidade”.
(c) seria obrigatório caso o termo “outro ambiente” fosse substituí-
do por uma outra circunstância.
(d) seria proibido se o termo “outro” fosse substituído pelo prono-
me aquele.
(e) seria inviável, nas duas ocorrências, caso os verbos “influen-
ciando” e “se adequarem” fossem substituídos, respectivamente, 
por causando e se expressarem.
QUESTÃO 04
A respeito das questões morfossintáticas que envolvem o trecho 
“Maíra alerta que a qualidade da Educação Básica no Brasil é um 
tema que preocupa cada vez mais as grandes empresas.”, mar-
que a alternativa correta.
(a) Há três orações que se relacionam por coordenação.
(b) A 2ª oração é subordinada, pois desempenha a função de 
complemento verbal da 1ª.
(c) A 3ª oração apresenta uma explicação sobre o substantivo 
“tema”, por isso classifica-se como coordenada sindética expli-
cativa.
(d) Apenas a 2ª oração está constituída por um predicado verbal, 
pois apresenta um verbo que expressa uma ação realizada pelo 
sujeito.
(e) O termo “as grandes empresas” é o sujeito da 3ª oração.
Leia o Texto a seguir e responda 
as questões de 05 a 08
Texto II- Pechada
 O apelido foi instantâneo. No primeiro dia de aula, o aluno 
novo já estava sendo chamado de “Gaúcho”. Porque era gaúcho. 
Recém-chegado do Rio Grande do Sul, com um sotaque carregado. 
 — Aí, Gaúcho! 
 — Fala, Gaúcho! 
 Perguntaram para a professora por que o Gaúcho falava 
diferente. A professora explicou que cada região tinha seu idioma, 
mas que as diferenças não eram tão grandes assim. Afinal, todos 
falavam português. Variava a pronúncia, mas a língua era uma só. 
E os alunos não achavam formidável que num país do tamanho do 
Brasil todos falassem a mesma língua, só com pequenas