A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
73 pág.
AULA CULTURA DO AMENDOIM

Pré-visualização | Página 1 de 3

CULTURA DO AMENDOIM
Eng. Agr. Dr. Samuel de Deus da Silva 
IFTO - CAMPUS ARAGUATINS
CURSO: AGRONOMIA
ARAGUATINS-TO
Aula 1 – primeiro encontro
2
APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA E PLANO DE ENSINO.
INTRODUÇÃO – CULTURA DO AMENDOIM;
ORIGEM;
CLASSIFICAÇÃO BOTÂNICA;
CULTIVARES;
PLANTIO;
PREPARO DO SOLO;
CALAGEM E ADUBAÇÃO.
ATIVIDADES DO CURSO
Amendoim (Arachis hipogaea L.)
Planta: herbácea anual.
Família: Leguminosae.
INTRODUÇÃO
Características
Semente: 
- 25% de proteína e 
- 45% a 50% de óleo comestível.
Frutos: subterrâneos.
3
OLEAGINOSA
CASTANHA
4
ORIGEM DA ESPÉCIE
Sul-americana
Brasil;
Bolívia;
Uruguai;
Norte da Argentina.
Amendoim (Arachis hipogaea L.)
INTRODUÇÃO
Características
Flor fertilizada: emite um esporão ou ginóforo.
Ginóforo: cresce em direção ao solo e forma vagem.
Produção de frutos: subterrâneos.
5
INTRODUÇÃO
Espécie: típica de climas quentes 
Adapta-se: regiões tropicais e subtropicais.
Exceção: regiões excessivamente úmidas.
Temperaturas: > 15 oC.
Prefere: solos de textura leve, bem drenados
Características
6
CLIMA E SOLO
7
TEMPERATURA: 25 a 30 oC;
Ótima germinação: 30 oC
Temperaturas menores: menor velocidade de emergência.
Obs. O crescimento vegetativo está diretamente ligado ao aumento da temperatura (< 15 oC problema).
8
CLIMA E SOLO
PRECIPITAÇÃO PLUVIOMÉTRICA
Relativamente: resistente à seca;
Germinação: semente com 50 a 55%;
Necessidade total: mínima 400 mm;
Brasil – cultivares precoces: ciclo 90-110 dias – água 600 a 800 mm.
INTRODUÇÃO
USOS, FINALIDADES E IMPORTÂNCIA DO AMENDOIM
Produção de óleo
ALIMENTO
ÁSIA
CONFEITARIA
9
INTRODUÇÃO
USOS, FINALIDADES E IMPORTÂNCIA DO AMENDOIM
Principalmente: fonte de óleo.
Sementes: até 50% de lipídio.
Fonte proteína vegetal: dieta.
Óleo – fins medicinais e farmacêuticos.
Ex. solvente de medicamentos (injetáveis).
2a oleaginosa: importância mundial;
11
 Composição química de grãos de amendoim. (Freeman et al., citado por Woodroof, 1983)
	Componentes	Teores (%)	
		Variação	Média
	Água	3,9-13,2	5,0
	Proteínas	21-36,4	28,5
	Lipídios	35,8-54,2	47,5
	Fibra bruta	1,2-4,3	2,8
	Amido	1,0-5,3	4,0
	Açucares redutores	0,1-0,3	0,2
	Cinzas	1,8-3,1	2,9
	Pentosanas	2,2-2,7	2,5
	Dissacarídeos	1,9-5,2	4,5
	Extrato não nitrogenado	6,0-24,9	13,3
Matéria-prima
Óleo – biocombustível (motor diesel);
Biodiesel (mistura) – resultados promissores.
Programa Nacional de Produção e Uso de Biocombustíveis (Lei 11.097 de 13/01/2005).
12
USOS, FINALIDADES E IMPORTÂNCIA DO AMENDOIM
Fonte: Mello et al. (2007)
Após extração do óleo: subproduto – torta – alimentação animal ou fertilizante.
Torta – forma o farelo – mínimo 46% de proteína. 
13
USOS, FINALIDADES E IMPORTÂNCIA DO AMENDOIM
Alimento na forma de grãos in natura.
Vitaminas B1, B2 e outras, 
Niacina e vitamina E. 
Torrado;
Na forma de manteiga (muito nos E.U.A.);
14
USOS, FINALIDADES E IMPORTÂNCIA DO AMENDOIM
Classificação botânica
Subdivisão: Magnoliate (Angiospermae);
Classe: Magnoliatae (Dicotyledoneae);
Subclasse: Rosidae (Rosiflorae);
Ordem: Fabales (leguminosae)
Família: Fabaceae (papilionaceae);
Gênero: Arachis;
Espécie: Arachis hypogeae L.
15
BOTÂNICA
Descrição da planta
16
Herbácea;
Anual;
Ramificada;
Porte: rasteiro ou ereto (até cerca de 70 cm altura);
Raiz: pivotante (bem desenvolvido até > 1m);
60% das raízes - primeiros 30 cm;
BOTÂNICA
17
Leguminosa (Fabaceae): FBN bactérias diazotróficas;
Caule: ereto, ramificado.
Folhas: compostas, alternas, 2 pares de folíolos.
Flores: axila das folhas.
Frutos: legume conhecido como vagem, uniloculado (1 a 5 sementes).
Descrição da planta
18
Dois grupos
Virgínia
Spanish e Valência
19
CULTIVARES
Grupo Virgínia
Axilas: sem flores;
Porte: rasteiro ou ereto;
Plantas: bem ramificadas;
Ciclo longo: 120 dias;
Frutos: grandes, 
 2 sementes, raro 3;
Ramificação: alternada
20
CULTIVARES
Spanish e Valência
Axilas: com flores;
Porte: ereto;
Plantas: pouco ramificadas;
Ciclo curto: 90-110 dias em clima tropical.
CARACTERÍSTICAS GERAIS
Frutos
Spanish: pequenos, acinturados, 2 sementes;
Valência: frutos longos, 
 Até 6 sementes, 
 Comum: de 3 a 4 sementes.
CULTIVARES
IAC Tatu ST
Cultivos familiares;
Semimecanizado;
Porte: ereto;
Ciclo: 90 a 110 dias;
Vagem: 3 a 4 sementes;
Potencial produtivo: 4.500 kg ha-1.
21
CULTIVARES
	Cultivares	Características
	IAC 503	Sistemas tecnificados, porte rasteiro, ciclo de 140 dias, vagens: 2 sementes, potencial produtivo: 6.500 kg ha-1.
	IAC 505	Sistemas tecnificados, porte rasteiro, moderadamente resistente a doenças foliares, ciclo de 130 a 140 dias.
	IAC OL 3	Sistemas tecnificados, porte rasteiro, ciclo de 130 dias, vagens com 2 sementes, cor rosada, potencial produtivo - até 7.000 kg ha-1.
	IAC OL 4	Sistemas tecnificados, porte rasteiro, o ciclo de 125-130 dias, permite melhor ajuste do seu cultivo nas áreas de renovação de cana; vagens com duas sementes de tamanho médio (padrão Runner), película de cor rosada; potencial produtivo - até 7.000 kg ha-1.
22
23
CULTIVARES
RANNER IAC 886 
IAC 503
Fonte: http://www.iac.sp.gov.br/areasdepesquisa/graos/amendoim.php
Descrição de diversas cultivares de amendoim
P
LANT
I
O
 SEMEADURA
 - 5 a 8 cm de profundidade (solos arenosos mais profundos).
Época de plantio: 
fevereiro a março.
outubro a novembro.
 
24
P
LANT
I
O
 SEMENTES
Vulneráveis ataque de fungos (aflatoxina).
 
25
Aflatoxina
26
Micotoxina que pode está presente no amendoim.
Aspergillus flavus e Aspergillus parasiticus
- Problemas de saúde e comercialização (atividades imunossupressora, mutagênica, teratogênica e hepatocarcinogênica).
Fonte: https://alimentusconsultoria.com.br/aflatoxina-micotoxina-no-amendoim/
27
Aflatoxina
Dentre as modificações, no Art. 9º da Instrução Normativa nº 32/2016, determina que será desclassificado e considerado impróprio para o consumo humano, com a comercialização proibida, o amendoim que apresentar uma ou mais das condições indicadas a seguir:
I – mais de 5% (cinco por cento) de grãos mofados e ardidos;
II – mau estado de conservação;
III – odor estranho, impróprio ao produto que inviabilize a sua utilização para o uso proposto;
IV – presença de sementes tóxicas ou sementes tratadas; e
V – teor de aflatoxinas acima do limite estabelecido na legislação específica vigente.
20 (µg/kg), somadas as aflatoxinas B1, B2, G1 e G2.
Fonte: https://alimentusconsultoria.com.br/aflatoxina-micotoxina-no-amendoim/
28
ESPAÇAMENTO
5,5 – 5,0 cm entre plantas
respectivamente.
29
ESPAÇAMENTO
30
ESPAÇAMENTO
PREPARO DO SOLO
ARAÇÃO: 1 PASSADA.
GRADAGEM: 1 - 2 PASSADAS.
AMONTOA
Nota: pode ser plantada sobre palhada de cultura anterior.
Reduz a erosão e mantém a umidade.
31
Calagem e adubação
Planta: apresenta certa tolerância a acidez;
Saturação por bases final V2 = 60%.
Exigente: Ca (absorvido do solo pelas vagens – baixa translocação) e Mg.
Recomenda-se aplicar: 500 a 1.000 kg ha-1 gesso agrícola – início do florescimento.
Fornecendo: o Ca e S
32
Calagem e adubação
 Micronutrientes requeridos pelo amendoim:
Zn e B - 1 kg ha-1 do nutriente via ácido bórico (H3BO3) 17% B) (solo), 
 Co e Mo (aplicação foliar) – solos com baixo teor M.O..
ADUBAÇÃO – ANÁLISE DE SOLO
33
Calagem e adubação
TABELAS DE INTERPRETAÇÃO