A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Tratamento Odontológico e insuficiência Renal Crônica

Pré-visualização | Página 1 de 1

Função do Rim 
Filtra e Elimina resíduos tóxicos: ureia, ácido úrico 
controle de volume de líquidos – efeito diurético 
controle de sais do corpo 
 a partir do controlo do volume e dos sais = 
influência sobre a PA (segundo coração do 
corpo) 
Secretar eritropoietina = > O2 nos tecidos 
secretar renina = c0nvertido em angiotensina II 
Metabolismo de vitamina D 
Liberação de Renina angiotensina II 
Renina liberada no sangue = formação da 
angiotensina I 
 Angiotensina I passa pelos pulmões é 
transformada em angiotensina II (ECA) 
Angiotensina II poderoso agente vasoconstritor em 
todo organismo 
 formada no sangue circulante, também é 
formada em quantidade razoável no rim 
Vitamina D 
No fígado, é convertida em uma forma que pode ser 
transportada pelo sangue 
Nos rins, essa forma é modificada para produzir 
hormônios derivados da vitamina D, cuja função 
principal é aumentar a absorção de cálcio no 
intestino e facilitar a formação normal dos ossos 
 1,25 didroxicolecalcioferol 
Função: controle da concentração de cálcio 
plasmático 
Efeitos da Insuficiência Renal Crônica 
Sobre os Líquidos Orgânicos 
Edema generalizado por todo o corpo: retenção de 
água e sal (deficiência do efeito diurético) 
 principalmente nos membros inferiores 
Acúmulo de liquido pode gerar hipertensão arterial 
moderada a severa 
acidose: devido a deficiência em excretar produtos 
ácidos normais 
alta concentração de nitrogênio não proteico, 
especialmente ureia - azotemia 
alta concentração de creatinina, acido úrico, fenóis, 
bases guanidinas, sulfatos, fosfatos e o potássio 
EFEITOS DA INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA: 
anemia severa que não responde ao tratamento 
sulfato ferroso 
 necessidade de transfusão de glóbulos – 
eritropoetina 
Fraqueza, cansaço fácil, emagrecimento 
coceira por todo o corpo: excesso de fósforo 
osteomalácia: falta de vitamina D 
pele pálida: devido a anemia 
anorexia, náuseas, vômitos 
Manifestações Clínicas – 50% da perda (variável) 
 letargia; prurido: excesso de fosforo 
 anemia; hipertensão 
 Tempo de sangramento (TS) maior 
 pele amarelada 
 falta de ar; edema 
 anorexia; vômitos; náuseas; tosses 
 insuficiência cardíaca congestiva 
 dificuldade para respirar 
Exames laboratoriais: 
 Hemograma (anemia) 
 fosfato (hiperfosfatemia) 
 Cálcio (hipercalcemia) 
 BUN (nitrogênio úrico do sangue/creatina 
(elevados) 
 TS (elevado por inibição da adesão plaquetária 
por toxinas urêmicas) 
 ureia 
Indicadores de Insuficiência Renal: 
Avaliações laboratoriais: 
BUN: indicador de noveis de nitrogênio ureico do 
sangue/ Creatinina 
 BUN < 20mg/100ml e CR < 1,5mg/100ml 
 BUN > 50mg/100ml e CR > 5,0mg/100ml 
Manifestações Clínicas 
 BUN > 100mg/100ml e CR > 10mg/100ml 
Diálise/transplante 
Tratamento Médico 
Prevenção/redução das complicações de uremia 
dieta controlada: redução de ingestão proteicas 
0,5/kg/dia 
controle da ingestão de líquido e eletrólitos 
acidose: corrigir com bicarbonato 
hipocalcemia: vitamina D 
anemia: andrógenos estimulam produção de 
glóbulos vermelhos 
TS prolongado – evitar drogas antiplaquetárias 
ajuste de doses de drogas com excreção renal 
prevenir a infecção dos Shunts/dialise 
transplante 
Diálise: quando o tratamento conservador falhar 
 Hemodiálise – rim artificial (máquina) 
 necessidade de fistula artéria venosa para 
acesso ao sangue 
 ligação de veia com artéria = fistula 
 Shunt, acesso temporário em jugular ou 
subclávia (necessidade profilaxia para 
endocardite bacteriana em odontologia) 
 paciente chegou em quadro agudo, 
temporário até fistula 
 infecção? necessidade de uma nova 
fistula 
 paciente heparinizado quando em dialise – evitar 
coagulação 
 efeito de heparina até 2 a 3 H após final 
da dialise 
 saber qual o tipo de heparina 
 Paciente são dialisados 2 a 3 semanas. 3 a 5 
H/vez 
Manifestações Bucais 
Xerostomia: diminuição no controle da ingestão de 
líquido 
Aumento de cálculo: diminuição do fluxo salivar 
devido a xerostomia 
Hipoplasia/ alterações cromáticas acastanhadas 
(uremia retenção de pigmentos do sangue no estágio 
de odontogênese) 
estreitamento do canal radicular (pacientes adultos, 
devido ao uso de corticosteroides) 
Estomatite urêmica na lingua e mucosa 
 úlcera grande devido ao excesso da acidose no 
sangue pela ureia e creatinina 
ulcerações: cicatrização reduzida + presença de 
ureia na saliva (acidez) 
Halitose, gosto metálico por presença de ureia na 
saliva 
inflamação e aumento da parótida 
Pode apresentar a gengivite ulcerativa necrosante, 
sangramento da mucosa gengival associado 
(GUNA) 
Periodontite e Candidíase: sistema imune alterado 
 muitas vezes faz uso de corticosteroides 
crônicos que facilita o desenvolvimento da 
candidíase 
Em crianças: 
 Retardo do crescimento 
 palidez e anemia 
 tendencia sangramento (fragilidade capilar e 
trombocitopenia) 
 em dialise, uso de anticoagulante 
 estágio terminal doença > n° carie (amônia) 
 estomatite urêmica 
 dentes hipoplasia e hipocalcificação 
(odontogênese) 
Estomatite Urêmica: 
Aumento de ureia e nitrogenio no sangue: 
 Uréia >300mg/mL 
de forma avermelhada junto com sangramento, ou 
de forma esbranquiçada (+ comum) 
 bem presente em borda de lingua 
 como se fosse uma afta gigante 
periodontite 
calculo 
manchas 
acastanhadas 
 
 
 
 
 
Alterações Radiograficas: 
Desmineralização difusa 
diminuição do trabeculado ósseo 
perda parcial/total da lamina 
dura 
lesões fibrocisticas 
tumor marrom do 
hiperparatiroidismo 
Osteodistrofia renal: 
 hipocalcemia presente pela retenção de fosfato 
 diminuição da absorção de calcio (devido a 
deficiencia da metabolização da vitamina D) 
 pode ocorrer expansao maxila na tentativa de 
produzir celulas vermelhas devido falha na 
eritropoiese e caracteristica do inchaço 
(semelhante a B-talassemia) 
Tratamento Odontologico IRC 
Consultar nefrologisa 
exame fisico recente 
determinar a causa da insuficiencia renal 
obter valores do BUN, creatinina e dos eletrolitos 
sericos 
hemograma completo/anemia 
tempo de sangramento 
tratamento agressivo em dentes com envolvimento 
de endo-perio 
 agressivo por ser um paciente que não 
possui uma boa resposta imunologica 
Manejo odontologico: 
Pacientes submetidos à hemodialise: realizar a 
consulta no dia seguinte à hemodialise 
Uso de antibioticoterapia profilática (padrão) 
 vai haver sangramento utilizar 
 leito é mais previnir infecções 
não administrar: analgesicos (AAS), antinflamatorios 
não esteroides 
Drogas anestesicas devem ser administradas na 
minima quantidade: evitando efeitos toxicos 
 defeito na excreção 
Atenção meticulosa a tecnica cirurgica, minimizar o 
trauma, sangramento e risco de infecção 
estabelecer protocolo agressivo de combate à 
infecção 
dar enfase à higiene bucal e os cuidados para 
eliminar os possiveis focos de infecção 
não há contra indicações de tratamento de rotina 
com exceção de reconstrução protética extensa