A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
ANESTESIA REGIONAL

Pré-visualização | Página 2 de 2

anestésico para o 
bloqueio e a infiltração da pele. 
4. Realizar assepsia, colocar campo de proteção no 
paciente, encapar o transdutor com saco estéril, colocar gel 
estéril, conectar agulha ao neuroestimulador. 
5. Posicionar o transdutor e procurar a melhor imagem da 
estrutura a ser bloqueada. Infiltrar a pele, perfurar a pele 
com a agulha neuroestimuladora e, somente depois, ligar a 
corrente elétrica do neuroestimulador (1,0 mA ou 1,5 mA 
conforme a profundidade do bloqueio). 
6. Ao encontrar contração muscular correspondente ao 
nervo procurado, diminuir a corrente para 0,3-0,5 mA. A 
persistência de contração muscular em corrente ≤ 0,3 mA 
indica possibilidade de agulhamento intraneural, devendo-
se reposicionar a agulha. 
7. A injeção do AL é autorizada após aspiração cuidadosa 
para descartar punção vascular. Observar a dispersão ao 
redor da estrutura desejada. As contrações musculares 
Transdutores de imagem utilizados em anestesia: 
Linear 
• Superfície de contato retangular 
• Indicado para a visualização de estruturas 
superficiais (até 6 cm), como nervos, tendões 
e vasos 
• Alta frequência (6-14 MHz) 
Convexo 
• Maior campo de visão e menor definição da 
imagem 
• Indicado para a visualização de estruturas 
profundas (até 15 cm) 
• Baixa frequência (2-5 MHz) 
devem desaparecer já com 1-2 mL de anestésico. Se a 
dispersão estiver conforme previsto, finalizar a injeção 
programada. 
BLOQUEIO DE PLEXO