Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Fisiologia cardiovascular - Debito cardíaco e Pré carga/ Pós carga

Pré-visualização | Página 1 de 1

• Débito cardíaco é o volume
de sangue ejetado por um
ventrículo em um determinado
intervalo de tempo. Tem como
determinantes a frequência
cardíaca (bpm) e o débito
sistólico (volume de ejeção)
Volume Ejetado X Frequência
Cardíaca
• Retorno Venoso X Débito
Cardíaco
Em uma situação ideal o retorno
venoso deve ser igual ao débito
cardíaco
Os fatores que fazem diminuir o
volume sistólico e a FC –
diminuem o débito cardíaco.
Os fatores que fazem aumentar o
volume sistólico e a FC –
aumentam o débito cardíaco.
Fisiologia 
Cardiovascular PT II
Debito cardíaco
É a força ou carga exercida no
miocárdio no final da diástole
(estiramento das fibras).
Pode dizer que se refere a
quantidade de volume
sanguíneo no ventrículo no
final da diástole
– Mecanismo de Frank-
Starling
(Otto Frank & Ernest Starling)
– Capacidade intrínseca do
coração de se adaptar a
volumes variáveis de sangue
– Quanto maior o estiramento
das fibras cardíacas, maior
será a contração
- Dependente da Pré - Carga
Pré-carga
Lei de Starling
• A pós-carga se refere a
resistência, impedância ou
pressão que os ventrículos
tem que exercer para ejetar
seu volume sanguíneo.
Ela é determinada por vários
fatores:
• Contractilidade
– Massa do coração x
Volume do sangue ejetado.
– Tamanho e espessura das
paredes dos ventrículos.
– (Ex: doenças
metabólicas/endócrinas;
efeitos de fármacos ou
substâncias tóxicas)
• Funcionamento das valvas
semilunares
• Sistema de condução
Fisiologia 
Cardiovascular PT II
Pós carga • Impedância dos vasos =
Resistência vascular sistêmica
(RVS) para o ventrículo
esquerdo e Resistência
vascular pulmonar (RVP),
para o ventrículo direito.
A função cardíaca depende:
- Pré carga – volume
diastólico
- Pós carga – tensão
durante a ejeção
ventricular
- Inotropismo –
contratilidade miocárdica
- Frequencia cardíaca –
conotropismo