A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
APICULTURA

Pré-visualização | Página 1 de 4

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPIRITO SANTO
CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E DA SAÚDE
DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA
Érika Cerqueira da Silva
Planejamento e Instalação de Apiário Nova Venécia ES
ALEGRE – ES
2019
UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPIRITO SANTO
CENTRO DE CIÊNCIAS EXATAS, NATURAIS E DA SAÚDE
DEPARTAMENTO DE BIOLOGIA
Érika Cerqueira da Silva
Planejamento e Instalação de Apiário Em Nova Venécia ES
Projeto acadêmico realizado durante o curso de Apicultura do departamento de Zootecnia da Universidade Federal do Espírito Santo como avaliação parcial de nota.
 Orientadora: Mariana Duran Cordeiro
ALEGRE – ES
2019
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO..................................................................................................4
2 OBJETIVO.........................................................................................................6
3 PLANEJAMENTO DO LOCAL.......................................................................7
3.1 MÉTODOS............................................................................................7
3.2 MATERIAS..........................................................................................9
4 INVESTIMENTO................................................................................................15
4.1 DESPESAS .........................................................................................15
4.2 LUCRO...............................................................................................15
5 REFERÊNCIAS ...............................................................................................17
 Introdução 
A criação racional de abelhas melíferas, ou apicultura, é uma atividade agropecuária que gera emprego, renda e diversos produtos de interesse econômico e alimentício à humanidade. No Brasil, essa prática pode ser resumida em três marcos: sua implantação, entre 1839 e 1955, pelo padre Antônio Carneiro. Seguida pelo seu período de africanização, em 1956 e em 1970 o primeiro congresso de apicultura brasileiro, que marcou a recuperação e a expansão da prática (Sebrae Nacional, 2015).
Atualmente, o Brasil é o sexto maior produtor de mel (ficando atrás somente da China, Estados Unidos, Argentina, México e Canadá), entretanto, ainda existe um grande potencial apícola de flora e principalmente do clima semiárido que ainda não foi explorado. Existe grande possibilidade de se maximizar a produção, incrementando o agronegócio apícola como forma primária de sustento e de renda. 
Para tanto, é preciso que o produtor possua conhecimentos sobre biologia das abelhas, técnicas de manejo e colheita do mel, pragas e doenças dos enxames, importância econômica, mercado e comercialização (EMBRAPA, 2003).
As Apis melífera são as abelhas do mel, se organizam em três castas principais: as operárias, que trabalham com a alimentação, a rainha que põe ovos e o zangão, que se acasala com a rainha. Na colônia de tamanho médio existe uma rainha e cerca de aproximadamente cem zangões e sessenta mil operárias que cuidam de toda a colmeia, cada uma executando sua função específica, de acordo com sua idade (SANTOS, 2002).
Sobretudo, antes de mencionar as técnicas da apicultura, é necessário o conhecimento sobre a função das abelhas. Visto que possuem grande importância no serviço da polinização, elaboram uma grande importante na adaptação evolutiva das plantas, aumentando o vigor das espécies e a produção de frutos e sementes, que vão ser responsáveis por fecundar 73% dos vegetais da flora e consequentemente possibilitando novas combinações de fatores hereditários (COUTO e COUTO, 2002; FAO, 2004).
Apicultura pode representar uma atividade de renda principal, que forma uma cadeia produtiva composta por mais de 300 mil apicultores e uma centena de unidades de processamento de mel, que juntos empregam, temporária ou permanentemente, quase 500 mil pessoas no Brasil. Através da venda dos seus produtos, como o mel, própolis, cera, apitoxina e a própria rainha ou ainda, pela comercialização dos enxames para os interessados em iniciar ou aumentar uma criação (LUNA, 2011).
O principal produto comercializado é o mel, ele é elaborado pelas abelhas a partir do néctar coletado nas flores. Basicamente, é um composto constituído por de água, frutose, glicose, sacarose, maltose e outros dissacarídeos, sais minerais, vitaminas, enzimas, hormônios, proteínas, ácidos, aminoácidos e fermento. O mel é um dos poucos alimentos de ação antibactericida e de fácil digestão, podendo ser utilizado como alimento na própria colmeia e para o ser humano, contento inúmeros benefícios para a saúde (SANTOS,2002). 
Logo, podemos perceber que a criação de abelhas Apis melífera no território brasileiro cresce progressivamente. Para tal criação, é necessário um investimento em equipamentos e instrumentos para sua melhor garantia de lucro.
 Objetivo 
Este estudo possuo como principal objetivo criar um “projeto de instalação de um de um apiário que produza 580 quilos de mel durante um ano”. Como vimos em aula, utilizaremos todas as informações necessárias para montar um apiário fixo e manteremos em condições adequadas para tal, sabendo da presença indispensável da florada abundante para uma melhor qualidade do mel e dos produtos produzidos pelas abelhas. 
Cada colmeia produzirá 20 quilos de mel durante um ano, assim, precisaremos de 29 colmeias para um total por ano de 580 quilos. Porém, como meio de prevenção caso ocorra alguma perda, utilizaremos 32 caixas Langstroth, que se enquadra nos 10%, rendendo também 400g de própolis na sua produção. Na apicultura moderna, o apicultor terá lucro financeiro se manter tudo de forma ideal para as abelhas e para utilização das técnicas, o profissional necessitará de equipamentos de proteção individual e de outros equipamentos para captura dos produtos, como fumegador e formão e alguns equipamentos para a casa do mel e cuidados que seram essenciais para o local de instalação do apiário fixo. 
 
 
 Planejamento do local 
3.1 Métodos
	Para que possamos escolher um local ideal e seguro para montar o apiário fixo, necessitamos ter conhecimento sobre algumas informações da região como: florada disponível e que esteja relativamente próximo ao apiário, em uma distância menor que 2,5km que vai servir de alimento para as abelhas estando disponivel pólen e néctar, o terreno não deve possuir muita declividade, para que não seja dificil a captura das melgueiras e o transporte até o apiario. Escolher um local em que o solo seja seco e bem drenado para evitar alagamentos e assim, destruição das colmeias. 
Existem algumas distâncias de segurança que devem ser respeitadas para o melhor funcionamento do apiário, mante-lo longe de 100 a 200m de casas e caminhos, evitando transtornos a população e também o roubo das colmeias, entre animais e máquinas a distância é de 200 a 500m para evitar danos as caixas. Cada apiário deve está localizado a uma longuidão superior a 2,5km evitando que abelhas entrem nas colmeias erradas e que ocorrá pilhagem, o local escolhido deve conter água potável, limpa, abundante e corrente ao redor para que as abelhas consigam manter sua fisiologia da melhor forma possível e conseguir controlar a temperatura dentro da colmeia. 
Porém, essa água deve está a distância de 500m, assim as operárias não a utilizará para higiene evitando que outras abelhas e também outras colmeias possam ser contaminadas, cada colmeia deve ficar de 2 até 5m uma das outras, na posição que o apicultor desejar podendo ser em linha reta, fileiras paralelas, semicírculo, etc., mas sempre respeitando as medidas. Entretanto todas elas com o alvado voltado para a direção norte, com objetivo de evitar o superaquecimento e respeitando o alinhamento, povoamento e a proximidade de cada uma. O apicultor deve averiguar a posição para que as colmeias não fiquem na sombra ou no sol