A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
INFLAMAÇÃO CRÔNICA

Pré-visualização | Página 1 de 1

inflamação crônica
conceito
- Inflamação de longa duração.
- Inflamação, lesão tecidual e tentativa de reparo ocorrem ao mesmo tempo.
- Pode derivar de uma inflamação aguda ou pode ocorrer direto, sem fase aguda.
	OBS: A transição de inflamação aguda para crônica ocorre quando:
1. A resposta aguda não pode ser resolvida.
2. Há persistência do agente lesivo.
3. Há interferência no processo de reparo.
características morfológicas
- Infiltrado de células mononucleares (macrófagos, linfócitos e plasmócitos).
- Destruição tecidual, resultado dos produtos das células inflamatórias.
- Substituição do tecido danificado por tecido conjuntivo com angiogênese e fibrose.
	inflamação crônica (figura a) x aguda (figura B)
- Na inflamação crônica (figura A), tem infiltrado mononuclear de linfócitos (asterisco), tecido fibrótico (setas) e lesão dos alvéolos, com a substituição do epitélio pavimentoso por epitélio cuboide (cabeça de seta).
- Na inflamação aguda (figura B), tem infiltrado neutrofílico (multinuclear) nos alvéolos e vasos sanguíneos congestionados (quadro de pneumonia aguda).
cAusas
1. Infecções persistentes por microrganismos difíceis de eliminar (EX: Mycobacterium tuberculosis, treponema pallidum).
2. Doenças autoimunes.
3. Exposição prolongada a agentes potencialmente tóxicos, exógenos ou endógenos (EX: silicose, aterosclerose).
células da inflamação crônica
1. Macrófagos:
- Derivados dos monócitos da circulação.
- Principais funções:
	> Atuam como filtros para materiais particulados, micróbios e células velhas.
	> Eliminam micróbios nas respostas imune humoral e celular.
	> Atuam no reparo tecidual, secretando fatores de crescimento que promovem a angiogênese, ativam fibroblastos e estimulam a síntese de colágeno.
- Em áreas de inflamação crônica, os macrófagos persistem devido ao recrutamento contínuo e proliferação local dessas células.
2. Linfócitos:
- Fazem parte da resposta imune adaptativa a infecções e doenças autoimunes.
- Podem se modificar em:
	> Linfócito T – imunidade celular.
	> Linfócito B – imunidade humoral.
- Linfócitos TCD4 secretam diferentes citocinas e ativam diferentes tipos de inflamação.
3. Eosinófilos:
- Característicos de infecções parasitárias e alergias.
- Liberam grânulos que contém a proteína básica principal, que é tóxica para parasitas, mas também causa necrose epitelial.
4. Mastócitos:
- Participam das reações anafiláticas mediadas por IgE.
inflamação granulomatosa
- Tipo especial de inflamação crônica, caracterizada por agregados de macrófagos ativados com linfócitos esparsos.
- É encontrada em estados patológicos específicos, como na tuberculose causada pelo mycobacterium tuberculosis).
- Os granulomas podem se formar em 3 situações:
1. Nas respostas persistentes de células T a microrganismos.
2. Em doenças inflamatórias imunomediadas.
3. Em respostas a corpos estranhos inertes, como suturas ou farpas, formando os granulomas de corpo estranho (não imunogênico, menores e com poucos linfócitos).
padrão morfológico do granuloma imunogênico
- Agregados de macrófagos com citoplasma eosinofílico e limites celulares irregulares (são chamados de células epitelioides), circundados por um colar de linfócitos (coroa lifocitária).
- Os granulomas mais antigos podem ainda serem circundados por um colar de fibroblastos e tecido conjuntivo, indicando que ocorreu fibrose.
- Podem estar presentes as células gigantes, massa de citoplasma e vários núcleos resultante da fusão de macrófagos ativados.
- Nos granulomas associados a certos microrganismos, como o da tuberculose, a hipóxia e lesão tecidual levam à formação de uma área central de necrose caseosa (zona central sem formato e eosinofílica).
	questões para você exercitar o que aprendeu:
1. Conceitue inflamação crônica.
2. Cite as características morfológicas da inflamação crônica.
3. Cite as causas envolvidas na inflamação crônica.
4. Quais as células envolvidas na inflamação crônica?
5. Defina inflamação granulomatosa.
6. Cite as características morfológicas do granuloma imunogênico.
	GABARITO
1. Consiste em uma inflamação de longa duração, em que ocorre inflamação, lesão tecidual e tentativa de reparo ocorrem ao mesmo tempo.
2. Infiltrado de células mononucleares, destruição tecidual e substituição do tecido danificado por tecido conjuntivo com angiogênese e fibrose.
3. Infecções persistentes por microrganismos difíceis de eliminar, doenças autoimunes e exposição prolongada a agentes potencialmente tóxicos.
4. Macrófagos, linfócitos, eosinófilos e mastócitos.
5. Tipo especial de inflamação crônica, caracterizada por agregados de macrófagos ativados com linfócitos esparsos.
6. Zona central de necrose caseosa, circundada por agregados de macrófagos com citoplasma eosinofílico e limites celulares irregulares e por uma coroa linfocitária.