A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
2 - Lesões elementares

Pré-visualização | Página 1 de 2

Lesões elementares 
 
Introdução 
Podem ser divididas em primarias ou secundárias. As primárias ocorrem na pele que 
não havia lesões, as secundárias são decorrentes de alterações nas lesões primárias. 
 
Modificações de cor 
Apresentam áreas coloração diferente da pele normal, sem alterações de relevo. São 
chamadas no geral de máculas ou manchas, a depender do tamanho da lesão (corte em 
1cm). As modificações de cor podem ser pigmentares, vasculares, hemorrágicas ou por 
deposição pigmentar. 
Alterações pigmentares 
São consequências de mudanças na deposição de melanina e podem ser classificadas em: 
acrômicas, hipocrômicas ou hipercrômicas. 
Um exemplo de mácula ou mancha hipercrômica é o melasma, por outro lado o vitiligo é 
um exemplo de mancha acrômica. A diferença da hipocromia para a acromia é apenas na 
tonalidade, dependendo se existe total ausência de melanócitos ou não. 
Alterações vasculares 
São resultantes de distúrbios da microcirculação da pele e podem ser transitórias ou 
permanentes. 
As transitórias são: eritema (Aumento no fluxo sanguíneo local) e aparece como uma 
hiperemia; e a cianose que representa o aposte inadequado de sangue oxigenado aos 
tecidos. 
As lesões permanentes são: telangectasia (causada por uma dilatação permanente do 
calibre de pequenos vasos); angioma (aumento do número de vasos); e o nevo anêmico 
que é uma mancha hipoacrômica que não se torna eritematosa após a fricção (decorrente 
de uma reatividade local às catecolaminas). 
Alterações hemorrágicas 
São decorrentes de hemorragias dérmicas e variam do vermelho ao amarelo-acastanhado. 
Se diferenciam dos eritemas porque não desaparecem à digito ou vitropressão. A lesão 
elementar é chamada de púrpura, porém pode ser classificada em: 
Petéquias: São lesões pupúricas puntiformes, geralmente múltiplas e comuns nas 
vasculites por hipersensibilidade. São caracterizadas pelo acometimento de vênulas, 
inflamação e necrose fibrinoide. Se forem maiores que 1 cm são chamadas de equimose. 
A púrpura de Henoch-Schönlein (PHS), também conhecida como púrpura anafilactóide 
ou púrpura reumática é uma vasculite que está associada a depósitos de IgA na pele. É a 
vasculite mais frequente em crianças e adolescentes, com possibilidade de acometimento 
articular, grastrointestinal e renal. 
Víbices: São lesões purpúricas de aspecto linear. 
Equimose: Lesão de dimensão maior que as demais. 
Alterações por deposição pigmentar 
São decorrentes, principalmente, de deposição de bilirrubina (icterícia), pigmento 
carotênico e tatuagens. 
 
Formações sólidas 
São compostas pelas pápulas/placas, nódulos, cistos e vegetações. 
Placas/pápulas 
Elevações superficiais bem delimitadas. As pápulas são puntiformes e medem menos que 
5mm, as placas medem mais que 5 mm e podem coalescer. 
Tubérculos 
É uma lesão de consistência dura, elevada e que mede na maior parte das vezes mais que 
5mm. Surge devido à infiltração de células mesenquimais, e pode deixar cicatrizes após 
involução. 
Nódulos 
São formações sólidas localizadas na hipoderme ou derme profunda, mais perceptíveis 
na palpação. Os limites das lesões são imprecisos, podendo ter consistência firme, elástica 
ou mole. 
Goma 
Nódulos com centro necrótico. 
Tumores 
São lesões elevadas maiores que 3 cm, mas que não são necessariamente malignas. 
Vegetações 
São lesões sólidas, salientes, que podem ter formas lobulates, filiformes ou em couve-
flor, com consistência mole. Existem a vegetação verrucosa (seca, epiderme íntegra e com 
grande aumento da córnea) e a condilomatosa (úmida, córnea normal ou diminuída, 
permitindo exosserose). 
A presença de vegetações é comum em algumas dermatoses (Sífilis, condiloma 
acuminado, neoplasias, dermatites medicamentosas, etc). Para diferenciar os principais 
diagnósticos diferenciais das lesões vegetantes utiliza-se o mnemônico “PLECCT”. 
Paracoccidiodomicose, Leishmaniose, Esporotricose, Cromomicose, Carcinoma 
espinocelular, Tuberculose. 
 
Coleções líquidas 
Podem ser classificadas em vesículas/bolhas, pústulas, abscessos e hematomas. 
Vesículas/bolhas 
São elevações que contêm líquido claro em seu interior e são diferenciadas pelo tamanho 
(1 cm). Estão presentes nos quadros de varicela, herpes-zóester, queimaduras e no pênfigo 
foliáceo. 
O pênfigo é uma doença bolhosa autoimune grave, pode ser aguda ou crônica, atinge a 
pele e mucosa e possuem dois tipos principais: o vulgar, que apresenta bolhas flácidas na 
pele e erosões nas mucosas; o foliáceo apresenta leões cutâneas descamativas e crostosas. 
Cisto epidermoide 
É o mais comum dos cistos e é derivado da pele ou do folículo piloso, é preenchido por 
ceratinas ou resíduos de lipídeos. Tem maior ocorrencia em adultos jovens e de meia-
idade, e as áreas de maior acometimento são a face, pescoço, tronco e escroto. 
O milium é um cisto epidérmico supeficial, branco a amarelo, contém ceratina. No geral 
são múltiplos, acometem as pálpebras, regiões malares e fronte. O tratamento consiste na 
incisão com expressão do conteúdo. 
Pústulas 
São vesículas de conteudo purulento presentes em situações de inflamação. 
Abscessos 
São coleções purulentes, maiores que as pústulas, se localizam na derme e hipoderme. 
Hematomas 
São formações líquidas resultantes do derramamento de sangue na pele ou nos tecidos 
adjacentes. 
 
Alterações da espessura 
São representadas pela queratose, espessamento, liquenificação, esclerose, edema e 
atrofias. 
Ceratose 
É um espessamento da epiderme, ocorre a proliferação da córnea. Podem ser pequenas 
(ceratoses senis), ou extensas (ceratodermias palmares e plantares). A superfície da lesão 
é áspera e esbranquiçada na maioria das vezes. 
As ceratoses actínicas ou (ceratose solar) são lesões descametivas, secas e áspeas, podem 
ser única ou múltiplas. Surgem em adultos expostos ao sol. São lesões consideradas pré-
cancerosas, e podem evoluir para CEC invasivo. 
Espessamento 
Existe aumento na consistência e espessura, porém a pele se mantém depressível. Se 
diferencia da ceratose por ter menor evidência dos sulcos dermatológicos e ter limites 
imprecisos. 
Liquenificação 
Ocorre um espessamento da pele com aumento dos sulcos, formando um quadriculado 
em rede, essa lesão surge com o ato crônico e frequente de oçar como na dermatite 
atópica. 
Esclerose 
Pele fica fibrosada, não é possivel fazer a prega, se formam [ulceras nas extremidades 
digitais. 
 
Perdas e reparações teciduais 
São lesões decorrrentes da eliminação ou destruição patológica da pele, ou por reparação 
dos tecidos. São elas: escama, erosão, úlceras, fissuras, crostas e cicatrizes. 
Escamas 
São lâminas epidérmicas secas, tendem a desprender. Ao se desprenderem, podem 
apresentar aspecto de farelo (furfuráceas) ou podem se desprender em tiras (laminares ou 
foliáceas). 
A escabiose é uma infestação que caracteriza-se por um prurido intenso e pode persistir 
por semanas após o tratamento. A escabiose crostosa, na qual pode-se observar escamas, 
ocorre na hiperinfestação. O tto adequado da infecção deve ser feito com o paciente e 
contactantes mesmo se estes não apresentarem sintomas. 
Erosão 
É a eliminação da epiderme, pode ser traumática (escoriação) ou não traumática (pós-
ruptura de vesículas, bolhas e pústulas). 
Úlcera 
É a perda das estruturas da pele, atinge pelo menos a derme e é o que diferencia da erosão. 
Fístulas 
Formações de trajetos entre duas áreas que não se comunicavam previamente. 
Fissuras 
Caracterizadas pela perda da continuidade da pele de forma linear (superficial ou 
profunda), que não é causada por instrumento cortante. 
Crostas 
Representam um aspecto secundário ao ressecamento de secreções existentes em uma 
pele previamente lesada, estão presentes muitas vezes na fase final da cicatrização de 
lesões como impetigo. 
Cicatriz 
É uma proliferação de tecido fibroso que ocorre após lesão cutênea onde existe tecido