A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
Eletro

Pré-visualização | Página 1 de 1

Cardio
Triângulo de Einthoven
Plano frontal
Plano precordial
Plano frontal e horizontal
Vetores?
	
Ritmo (sinusal)(regular? Irregular?)
Duração (Bloqueios?)
Voltagem (sobrecarga?)
Eixos (hipertrofia de câmaras?)
Ondas Q (AEIs)
Segmento ST-T (repolarização)
	
Caminho elétrico 	
No sinusal > feixes intranodais > no av > feixe de hiss > ramos D e E > fibras de porquim
Arritmias (TAQUIARRITMIAS)	
Curtos circuitos elétricos 
Instável (hipotensão, rebaixamento do nível de consciência, infarto agudo) > Cardioversão elétrica (com pulso) ou desfibrilação (sem pulso)
Estável (ACLS) > Cardoversão química ou elétrica
Taquiarritmias (Pré-definições)
QRS estreito < 0,12 origem supraventricular
QRS largo >= 0,12 origem ventricular
Obs: Existem algumas exceções (CUIDADO ZÉ)
Qual a melhor derivação para observar a taquiarritmia? E por qual motivo?
Taquiarritmias (Metódico novamente)
Taqui regular (R-R)
	QRS ESTREITO?	QRS LARGO?
	T. SINUSAL	TVM
	T. ATRIAL	FLUTTER VENTRICULAR
	FLUTTER ATRIAL	
	TPSV	
Taquiarritmias (Metódico novamente)
Taqui irregular (R-R)
	QRS ESTREITO?	QRS LARGO?
	E.S ventricular ou supraventricular	TVP
	Fibrilação atrial	FIBRILAÇÃO VENTRICULAR
	FLUTTER ATRIAL	FA/TA/FLUTTER ATRIAL
	T. atrial	
Taquiarritmias (Supraventriculares)
Extra-sístole: É um batimento antecipado.
Origem supraventricular: Onda P, QRS(morfologia parecida ao batimento de base), onda T mesma morfologia)
Origem ventricular: Sem onda P, QRS muito doido, onda T inversa;
Taquiarritmias (Supraventriculares QRS ESTREITO)
Ritmo regular?
Taquicardia sinusal.
Onda P sinusal (D1,D2 e avF), precede todos os QRS 1:1 
Taquicardia atrial (TAMBÉM PODE SER IRREGULAR, CUIDADO)
Onda P, precede QRS na relação 1:1; 2:1; 3:1. Porém não é positiva em D1,D2 e/ou avF.
	QRS ESTREITO?
	T. SINUSAL
	T. ATRIAL
	FLUTTER ATRIAL
	TPSV
Taquiarritmias (FA CUIDADO! QRS largo e QRS estreito) 
Ritmo irregular?
Fibrilação atrial (Saco de minhocas/saco de moedas)
Instabilidade elétrica atrial.
Ausência de onda P, presença de onda f (tremor da linha de base) (350-650 bpm), R-R irregular.
Se estiver em duvida onda P ou f observar se existe regularidade morfológica.
	QRS ESTREITO?	QRS LARGO?
	E.S ventricular ou supraventricular	TVP
	Fibrilação atrial	FIBRILAÇÃO VENTRICULAR
	FLUTTER ATRIAL	FA/TA/FLUTTER ATRIAL
	T. atrial	
Taquiarritmias (FA/FLUTTER A./TA CUIDADO! QRS largo e QRS estreito) 
Para diferenciar FA/FLUTTER/TA com QRS largo de TVP e F.V observar a morfologia do QRS em uma MESMA derivação. Numa FA/FLUTTER/TA o QRS são parecidos entre si.
	QRS ESTREITO?	QRS LARGO?
	E.S ventricular ou supraventricular	TVP
	Fibrilação atrial	FIBRILAÇÃO VENTRICULAR
	FLUTTER ATRIAL	FA/TA/FLUTTER ATRIAL
	T. atrial	
Taquiarritmias (FA/FLUTTER A./TA CUIDADO! QRS largo e QRS estreito) 
D2 regular ou irregular? Complexo QRS estreito ou largo?
Flutter atrial: Organizado, organização elétrica. 
Sem ondas P, ondas F (morfologia em serra) em D2, D3 e avF << SÓ NESSAS DERIVAÇÕES, se tiver vendo em outro lugar tá vendo errado.
	QRS ESTREITO?
	E.S ventricular ou supraventricular
	Fibrilação atrial
	FLUTTER ATRIAL
	T. atrial
	QRS ESTREITO?
	T. SINUSAL
	T. ATRIAL
	FLUTTER ATRIAL
	TPSV
Taquiarritmias (TPSV) 
É regular? 
Na maioria das vezes QRS estreito.
Ausência de onda P ou onda P retrógrada e negativa. QRS-P
TRN: Dentro do nó AV.
TRAV (Woff): Onda delta, P-R curto.
Taquiarritmias (VENTRICULARES) 
TVM: 
Regular? QRS largo, FV<=200 bpm.
Flutter ventricular:
Regular? QRS largo, FC>200 bpm.
	QRS LARGO?
	TVM
	FLUTTER VENTRICULAR
	
	
Taquiarritmias (VENTRICULARES) 
TVP:
Irregular? QRS largo.
Na mesma derivação o QRS muda.
Torsades 
Variação cíclica
	QRS LARGO?
	TVP
	FIBRILAÇÃO VENTRICULAR
	FA/TA/FLUTTER ATRIAL
	
Taquiarritmias (VENTRICULARES) 
Fibrilação ventricular:
Irregular? QRS alargado. 
Desorganização elétrica ventricular > não há repetição morfológica do QRS numa mesma derivação.
Sem variação cíclica.
	QRS LARGO?
	TVP
	FIBRILAÇÃO VENTRICULAR
	FA/TA/FLUTTER ATRIAL
	
Taquiarritmias (VENTRICULARES) 
Fibrilação ventricular:
Irregular? QRS alargado. 
Desorganização elétrica ventricular > não há repetição morfológica do QRS numa mesma derivação.
Sem variação cíclica.
	QRS LARGO?
	TVP
	FIBRILAÇÃO VENTRICULAR
	FA/TA/FLUTTER ATRIAL
	
BLOQUEIOS
No sinusal > feixes intranodais > no av > feixe de hiss > ramos D e E > fibras de porquim
Ramo esquerdo: 
Fasciculo antero-superior esquerdo
...antero medial
... Postero inferior
BLOQUEIOS
Despolarização normal:
Septo alto (ramo esquerdo)
Septo baixo (ramo esquerdo + direito)
Paredes livres
Base
V1
BLOQUEIOS
BRD
QRS largo em todas derivações
O começo é normal o final se altera
V1 rSR’ 
V6 S e onda empastada.
			V1
V6
BLOQUEIOS
BRE:
Salto de onda precoce
Onda S alargada
Parecido com ECG normal
V6 sem onda q e QRS em torre
Onda T invertida em relação a onda empastada
Sem progressão de onda R
	
	 V1
V6
BLOQUEIOS
BDAS
Observar o eixo (desvio para esquerda)
Além de -30
			
BLOQUEIOS
BAV 1º grau
Todos os impulsos passam para os ventrículos
Toda p seguida por QRS
Intervalo P-R maior q 5 quadradinho
BAV 2º grau
Nem todos passam para os ventrículos
Mobitz 1: P vai se distanciando ate bloquear
Mobitz 2: Bloqueio súbito de onda p
BAV 2:1: A cada dois batimentos 1 passa e outro bloqueia. Não tem como saber se é tipo 1 ou tipo dois pois depois do bloqueio o P-R sempre imita o primeiro batimento.
BAV 2º grau avançado: Depende da FC, muito bradicardico.
BAV 3º grau (BAVT)
Dissociação total
			
FIM!