A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Anatomia do Tórax

Pré-visualização | Página 1 de 3

Correlações Anatomoclínicas 
 TÓRAX
Priscila Maria Rodrigues Araújo – P3B- FAMENE
 
 Parede torácica
A cavidade torácica é formada pelas costelas, cartilagens costais, vértebras torácicas, osso esterno e vísceras torácicas. Sendo dividida em 3 espaços: mediastino + duas cavidades pulmonares.
Tem como função proteger as vísceras, resistir a pressões negativas durante a inspiração e servir de fixação para os músculos torácicos.
A parede torácica contém a caixa torácica, os músculos associados as costelas, a pele, a tela subcutânea e as glândulas mamárias presentes nessa, além dos músculos e fáscias da face anterolateral.
O esqueleto da parede torácica é composto por: costelas, cartilagens costais, vértebras torácicas e o esterno.
 Costelas e cartilagens costais
As costelas são classificadas de acordo com sua fixação sendo elas 
· Costelas verdadeiras: aquelas que se fixam diretamente através das cartilagens costais ao esterno.
· Costelas falsas: aquelas nas quais suas cartilagens se fixam as cartilagens das costelas verdadeiras
· Costelas flutuantes: não possuem fixação no esterno nem nas cartilagens costais.
Podem ser costelas típicas ou atípicas, sendo característica dessas: 
 Costelas típicas 
· Cabeça da costela: possuem duas faces articulares que se articulam com as vértebras torácicas de mesmo número e com a vértebra acima.
· Colo: une a cabeça da costela ao corpo.
· Tubérculo: articula-se com o processo transverso da vértebra correspondente.
· Corpo: serve de fixação para músculos, garantindo proteção para nervos e vasos intercostais.
Obs.: a articulação entre o tubérculo da costela e o processo transverso da vértebra é denominado articulação costotransversária.
Costelas atípicas
- 1ª costela: só possui uma face articular na cabeça, sendo mais curta e mas curvada; seus sulcos são separados pelo tubérculo do músculo escaleno anterior.
- 2ª costela: possui uma área rugosa na fase superior denominada tuberosidade do músculo serrátil anterior.
- 10ª costela: apenas uma face articular
-11ªcostela: não possui colo nem tubérculo
- 12ª costela: apenas uma face articular e não possui colo nem tubérculo.
Quanto ao espaços intercostais, eles são compostos por músculos, membrana intercostal, vasos e nervos. Garantem um aumento dos espaços entre as costelas durante a inspiração
 Vértebras torácicas
Possuem aspectos típicos que são: 
· Fóveas costais (hemifóveas): uma superior e uma inferior e estão em conexão com a cabeça da costela.
· Fóveas costais dos processos transversos: servem para a ligação com o tubérculo da costela.
· Processos espinhosos: os quais se superpõem à vértebra inferior, protegendo contra objetos perfurantes.
Algumas vértebras não possuem hemifóveas e sim uma fóvea completa como é o caso da T1, outras possuem um par de hemifóveas dos dois lados como é o caso da T10.
 Esterno
Composto por manúbrio, corpo e processo xifoide, unidos por cartilagens que se ossificam com o tempo.
Possui, no manúbrio, uma incisura jugular e duas incisuras para as clavículas, e em seu corpo possui as incisuras costais.
 Aberturas do tórax 
 
 Superior
Limites
· Posterior: T1
· Anterior: manúbrio do esterno
· Lateral: 1ª costela
Passam por essa aberturas a traqueia, o esôfago, nervos e vasos.
 Inferior
Limites 
· Posterior: T12
· Posterolateral: 11ª e 12ª pares de costelas
· Anterolateral: cartilagens costais da XII a X costela
· Anterior: articulação xifoesternal
 Articulações da parede torácica
1. Costovertebral: ligação da costela com a vértebra. Possui ligamentos denominados ligamento intra-articular (ligação entre a crista da cabeça vertebral com o disco intervertebral) e o ligamento radiado (formado a partir da membrana capsular que recobre a cabeça da costela, a vértebra e o disco)
2. Costotransversária: como já dito anteriormente é a ligação entre o tubérculo da costela e o processo transverso da vértebra correspondente.
3. Esternocostais: ligação entre as costelas e o esterno.
 Movimentos da parede torácica
 Os principais movimentos realizados pela parede torácica são:
· Alavanca de bomba: elevação das extremidades anteriores das costelas.
· Alça de balde: elevação da parte lateral das costelas.
· Inspiração: costelas afastadas e elevadas com diafragma contraído
· Expiração: costelas abaixadas com diafragma relaxado.
 Músculos da parede torácica
Os principais músculos que compõem a parede torácica são:
· Serrátil posterior: se divide em superior e inferior, o superior elevas 4 primeiras costelas e o inferior abaixa as costelas inferiores.
· Levantador das costelas: tem função de elevação das costelas
· Intercostais: se originam na margem inferior das costelas e se inserem na margem superior da costela abaixo
 - externo: elevação da costela durante inspiração forçada
 - interno: pode abaixar ou elevar as costelas durante respiração forçada, mais associados a expiração.
 - íntimo: são mais profundos e possuem a mesma ação do interno
· Subcostal: seguem na mesma direção que os intercostais internos e se unem a eles, possuindo mesma atuação que esses.
· Transverso do tórax: pode abaixar levemente as costelas.
Obs.: Todos os músculos intercostais, o subcostal e o transverso do tórax são inervados pelo nervo intercostal. 
 Nervos da parede torácica
 12 pares de nervos espinais 
 Anterior Posterior
Nervos intercostais inervam a parte + nervo subcostal dorsal da região torácica
1. Nervos intercostais típicos
Os 3° ao 6° nervos entram na parte medial do espaço intercostal chegando até os músculos intercostais internos e íntimos, seguindo abaixo das artérias intercostais situadas abaixo das veias intercostais.
Formam ramos colaterais que seguem na margem superior da costela de baixo, e também formas ramos cutâneos laterais próximo a LAM (linha axilar média). Já no esterno seguem anteriormente entre as cartilagens costais formando os ramos cutâneos anteriores.
Miótomo: é um grupo de músculos irrigados pelos ramos posteriores e anteriores dos nervos torácicos; são eles: intercostal, subcostal, transverso do tórax, levantador da costela e serrátil posterior.
2. Nervos intercostais atípicos
1°: não tem ramos cut. Anteriores e laterais.
2°: dá origem ao nervo intercostobraquial.
3°: dá origem ao nervo intercostobraquial.
7° ao 11°: formam os nervos toracoabdominais quando chegam no abdome.
Ramos colaterais: unem o nervo intercostal ao tronco simpático ipsilateral.
 
 Vasculatura da parede torácica
 Artérias
· Parte torácica da artéria aorta, por meio das artérias intercostal posterior e subcostal.
· Artérias subclávio, por meio da a. torácica interna e intercostal suprema.
· Artéria axilar, por meio da torácica superior e torácica lateral.
 Veias
 As veias vão acompanhar as artérias e os nervos intercostais.
11 veias intercostais posteriores e uma veia subcostal
Se anastomosam com as intercostais anteriores. Algumas vão diretamente para a veia braquiocefálica e de para a VCS.
 Mamas 
As mamas são compostas por tecido glandular e tecido fibroso associado a uma matriz de gordura. Em sua tela subcutânea encontra-se as glândulas mamárias, composta de lobos e lóbulos, localizadas acima dos músculos peitorais maiores e menores. O espaço entre a fáscia desses músculos, no caso a fáscia peitoral e a mama é denominado espaço retromamário.
A sustentação das glândulas mamárias se dá por meio de ligamentos cutâneos de tecido conectivo fibroso denominados ligamentos suspensores das mamas.
Os ductos lactíferos dão origem aos lóbulos mamários, em sua porção dilatada formam o seio lactífero, no qual se acumulam gotículas de leite. Além disso, é nos ductos que se abrem as papilas mamárias (proeminências cônicas localizadas nos