A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Anatomia do Tórax

Pré-visualização | Página 2 de 3

centros das aréolas)
 Vasculatura das mamas
 Artérias 
· Ramos mamários mediais dos ramos perfurantes
· Ramos intercostais anteriores da torácica interna.
· A. torácica lateral e a. toracoacromial (derivadas da a. axilar)
· Aa. Intercostais posteriores (ramos da parte torácica da aorta.
 Veias
A drenagem venosa é feita principalmente pela veia axilar, mas também pela veia torácica interna.
 Drenagem linfática 
A linfa vai para o plexo linfático subareolar
 
Linfonodos axilares Linfonodos 
 Interpeitorais
Anteriores Deltopeitorais 
 Supraclaviculares
 Peitorais Cervicais profundos
 Nervos da mama
 Os nervos que inervam as mamas são derivados dos ramos cutâneos anteriores e laterais dos 4º - 6º nervos intercostais.
 Pulmões 
A cavidade pulmonar é revestida por uma membrana pleural denominada pleura, que recobre tanto a face externa quanto a face interna dos pulmões, sendo dividida em: 
· Pleura visceral: recobre toda a superfície interna dos pulmões.
· Pleura parietal: recobre a cavidade pulmonar (parte externa) se aderindo à parede torácica, ao mediastino e ao diafragma.
Entra a pleura visceral e a parietal existe a cavidade pleural, a qual contém um líquido pleural seroso que auxilia na lubrificação, favorecendo o deslizamento.
A cúpula da pleura recobre o ápice do pulmão sendo reforçada por uma membrana suprapleural.
Os pulmões são órgãos cuja função principal é oxigenar o sangue, sendo separados um do outro pelo mediastino. Sua morfologia se caracteriza por:
· Ápice: parte superior revestida pela cúpula da pleura.
· Base: parte inferior de formato côncavo que acomoda a cúpula ipsilateral do diafragma
· Lobos: 2 lobos no pulmão esquerdo e 3 lobos no direito, separados por fissuras oblíquas e horizontal.
· Faces: 3 
- costal (em contato com cartilagens costais, costelas e vértebras torácicas)
- mediastinal (em contato com o mediastino médio)
- diafragmática (forma a base do pulmão e está em contato com o diafragma)
· Margens: anterior, posterior e inferior
Obs.: na face mediastinal se encontra o hilo do pulmão que contém brônquios, artérias, veias pulmonares, plexos nervosos e vasos linfáticos.
 
 Árvore traqueobronquial
 TRAQUEIA
 BRONQUIO PRINCIPAL
 DIREITO ESQUERDO
3 BRO. LOBARES 2 BRON. LOBARES
 BRONQUIOS SEGMENTARES
 
 BRONQUÍOLOS 
CONDUTOR TERMINAL RESPIRATÓRIO
 ALVÉOLOS 
Os bronquíolos respiratórios dão origem aos ductos alveolares, os quais terminam em sacos alveolares e se caracteriza por ser revestido de alvéolos, estrutura básica de troca gasosa no pulmão.
 Vasculatura dos pulmões e pleuras 
Cada pulmão possui uma artéria pulmonar e duas veias pulmonares. As artérias pulmonares direita e esquerda são originadas do tronco pulmonar e se subdividem para irrigar todo o pulmão.
Artéria pulmonar art.Lobares secundárias
 
 Superior Média Inferior
 
 Artérias segmentares 
 Terciárias
 PARA LEMBRAR 
Cada lobo é servido pela artéria lobar e brônquios secundários e cada segmento broncopulmonar é suprimido como uma artéria segmentar e brônquios terciários.
As veias pulmonares se subdividem em superior e inferior conduzindo sangue para o átrio esquerdo do coração, podendo originar tributárias como a veia do lobo médio originada da veia pulmonar direita superior.
Além disso, é importante lembrar que as veias pulmonares têm seu trajeto independente do trajeto das artérias.
Já as artérias bronquiais se subdividem em esquerda e direita e nutrem a raiz do pulmão (hilo), os tecidos de sustentação e a pleura visceral. 
As veias bronquiais por sua vez também se divide em esquerda e direita, sendo que a direita drena para a veia ázigo e a esquerda drena para a veia hemiázigo acessória ou para a veia intercostal superior esquerda.
No que se refere a drenagem linfática dos pulmões deve-se citar os plexos linfáticos pulmonares, os quais podem ser superficiais ou profundos.
· Superficial: localiza-se profundamente a pleura visceral, drenando para os linfonodos broncopulmonares no hilo pulmonar.
· Profundo: se localiza na submucosa dos brônquios, drenando para os linfonodos pulmonares intrínsecos e depois para os linfonodos broncopulmonares
A partir dos linfonodos broncopulmonares a linfa do superficial e do profundo é drenada para os linfonodos traqueobronquiais e desses passam, por fim, para os troncos linfáticos broncomediastinais direito e esquerdo.
 Nervos dos pulmões e pleuras 
Os nervos que inervam pulmões e pleuras são originados dos plexos pulmonares anteriores e posteriores as raízes do pulmão, contendo fibras parassimpáticas, simpáticas e viscerais.
As fibras parassimpáticas são fibras pré-ganglionares do nervo vago, possuem função motora para os músculos lisos da árvore bronquial, função broncoconstritora, função vasodilatadora e função secretora para as glândulas da árvore bronquial.
Já as fibras simpáticas são pós-ganglionares, broncodilatadoras, vasoconstritoras e inibidoras das glândulas alveolares.
As fibras aferentes viscerais conduzem sensações associadas ao reflexo e conduzem impulsos associados a estímulos dolorosos
Obs.: os nervos da pleura parietal provém dos nervos intercostais e frênicos. 
 Mediastino e coração 
 Mediastino
O mediastino é um compartimento central localizado entre os pulmões sendo limitado superiormente pela abertura superior do tórax, inferiormente pelo diafragma, anteriormente pelo esterno e cartilagens costais e posteriormente pelo corpo das vértebras torácicas.
Possui um tecido conectivo frouxo que se que fica mais fibroso e rígido com a idade e quem em associação com a elasticidade dos pulmões permitem os movimentos.
O mediastino é subdividido em: 
· Mediastino superior: entre a abertura superior do tórax e o plano transverso do tórax.
· Mediastino posterior: dividido em anterior, médio e posterior, vai desde o plano transverso até o diafragma.
O mediastino médio possui o pericárdio, o coração e as raízes dos grandes vasos. O pericárdio é uma membrana fibrosa que recobre o coração e o início dos grandes vasos e se divide em: 
· Pericárdio fibroso: camada externa resistente. Contínuo com a túnica adventícia dos grandes vasos, é unido ao esterno pelos ligamentos esternopericárdio e é contínuo com o centro tendíneo do diafragma.
· Pericárdio seroso: possui uma lâmina parietal que recobre a pare interna do pericárdio fibroso e uma lâmina visceral que recobre o coração e os grandes vasos, formando, no coração, o epicárdio. Irrigado pelas artérias coronárias.
O pericárdio possui um espaço virtual entre as lâminas parietal e visceral denominado cavidade do pericárdio, a qual contém uma fina camada de líquido para facilitar o movimento do coração sem atritos.
O seio transverso do pericárdio é uma passagem transversal entre os grandes vasos (aorta, tronco pulmonar/ VCS, VCI e veias pulmonares).
A irrigação do pericárdio é realizada pela Artéria pericardicofrênica (ramo na artéria torácica interna) mas tem contribuição das artérias musculofrênicas, bronquial, esofágica, frênica superior e coronárias.
Já a drenagem venosa é feita pelas veias pericardicofrênica e algumas tributárias do sistema venoso ázigo. Sua inervação é feita pelos nervos frênicos, nervo vago e tronco simpático.
 PARA LEMBRAR 
- Importância clínica do seio transverso do pericárdio: é crucial para que sejam inseridos os tubos de uma circulação extracorpórea durante processos cirúrgicos.
- Pericardite: inflamação do pericárdio, causa dor torácica, e ao chegar em um estado crônico