A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Tecido Sanguíneo (Cap. 12 - Junqueira e Carneiro 13ª ed.)

Pré-visualização | Página 2 de 2

do retículo endoplasmático 
granuloso, raros ribossomos livres, poucas mitocôndrias 
e complexo de Golgi rudimentar. 
 
Eosinófilos 
- Menos numerosos do que os neutrófilos, constitui 
apenas 1 a 3% do total de leucócitos; 
- Aproximadamente mesmo tamanho ou ligeiramente 
maiores que os neutrófilos; 
 
- Retículo endoplasmático, mitocôndrias e complexo de 
Golgi pouco desenvolvidos; 
- A principal característica para identificar são 
granulações ovoides que se coram pela eosina (acidófilas), 
são maiores do que as dos neutrófilos; 
- Age contra parasitas, bactérias e alguns vírus, participa 
de processos inflamatórias e reações alérgicas; 
- Tanto em parasitoses como em casos de alergia, por 
exemplo, há eosinofilia, aumento de eosinófilos no sangue; 
- Os eosinófilos não são células especializadas para a 
fagocitose de microrganismos, sua atividade defensiva é 
realizada pela liberação seletiva do conteúdo de seus 
grânulos para o meio extracelular e pela fagocitose e 
destruição de complexos antígeno-anticorpo; 
- Os corticosteroides (hormônios da camada cortical da 
adrenal/suprarrenal) induzem uma queda imediata na 
concentração dos eosinófilos no sangue e nos locais de 
inflamação; 
- Esses hormônios retardam a passagem dos eosinófilos 
da medula óssea, onde são produzidos, para a corrente 
circulatória. 
 
Basófilos 
- Constituem menos de 2% dos leucócitos do sangue, por 
isso, é difícil encontrá-los nos esfregaços; 
- Sua meia-vida no sangue é de 1 a 2 dias; 
- Seu número pode se expandir rapidamente na medula 
óssea em resposta a sinais inflamatórios; 
- O aumento persistente do número de basófilos no 
sangue é a basofilia, é raro e pode ocorrer devido a uma 
doença hematológica, como leucemia mieloide crônica, 
pode também estar relacionada a hipotireoidismo ou 
doença renal; 
- Têm núcleo volumoso, com forma retorcida e irregular, 
geralmente com aspecto da letra S; 
 
- O citoplasma é carregado de grânulos maiores do que 
os dos outros granulócitos, os quais muitas vezes 
obscurecem o núcleo. 
- Ao microscópio eletrônico, os grânulos dos basófilos são 
muito elétron-densos e frequentemente contêm 
filamentos ou partículas alongadas; 
Eduarda Lima (UFCA – T31) 
 
- Acredita-se que, por meio da secreção de citocinas (IL-
4, IL-13, por ex.), os basófilos modulem a função de 
determinadas populações de linfócitos T, tendo, portanto, 
ação imunomoduladora; 
 
Linfócitos 
- Responsáveis pela defesa imunológica do organismo; 
- Reconhecem moléculas estranhas existentes em 
diferentes agentes infecciosos, combatendo-as por meio 
de resposta humoral (produção de 
imunoglobulinas/anticorpos) e reposta citotóxica mediada 
por células; 
- São células esféricas, conhecidas como linfócitos 
pequenos pelo diâmetro entre 6 e 8 micrometros; 
- No sangue circulante há uma pequena porcentagem de 
linfócitos maiores, que podem chegar a 18 micrometros 
de diâmetro; 
- O aumento da quantidade de linfócitos no sangue é 
linfocitose e frequentemente está associado a infecções 
virais; 
- A redução denomina-se linfopenia ou linfocitopenia e 
geralmente está associado a terapia farmacológica 
prolongada ou imunodeficiência; 
- Nos preparados usuais, o núcleo aparece escuro, pois 
sua cromatina se dispõe em grumos grosseiros, 
característica que favorece a identificação do linfócito; 
- O citoplasma do linfócito pequeno é escasso e aparece 
nos esfregaços como um anel delgado em volta do núcleo; 
- Apresenta basofilia discreta, corando-se em azul-claro; 
- Pode conter grânulos azurófilos; 
- Ao microscópio eletrônico, o citoplasma mostra-se 
pobre em organelas, contendo pequena quantidade de 
ribossomos livre; 
- O tempo de sobrevivência é muito variável, alguns vivem 
apenas alguns dias, enquanto outros vivem durante 
muitos anos. 
 
- Embora tenham morfologia semelhante, dependendo 
das moléculas localizadas em sua superfície, podem ser 
separados em dois tipos principais, linfócitos B e T, com 
diversos subtipos; 
- Diferente dos outros leucócitos, que não retornam ao 
sangue depois de migrarem para os tecidos, os linfócitos 
voltam do tecido para o sangue, recirculando 
continuamente. 
Monócitos 
- Maiores leucócitos circulantes, com diâmetro entre 15 
e 22 micrometros; 
- Núcleo ovoide, em forma de rim ou de ferradura, 
geralmente excêntrico; 
- Devido ao arranjo pouco denso de sua cromatina, o 
núcleo dos monócitos é mais claro do que o dos linfócitos; 
- O núcleo do monócito contém dois ou três nucléolos que, 
algumas vezes, podem ser vistos nos esfregaços 
comuns; 
 
- O aumento de monócitos circulantes denomina-se 
monocitose e pode sinalizar doença hematológica, 
infecção causada por alguns tipos de bactérias e 
parasitos ou doença autoimune; 
- A diminuição de monócitos circulantes, denominada 
monocitopenia, é raramente vista, podendo ser 
ocasionada pelo tratamento com corticosteroides; 
- O citoplasma do monócito é basófilo e contém grânulos 
azurófilos (lisossomos) muito finos, alguns dos quais estão 
no limite de resolução do microscópio óptico; 
Eduarda Lima (UFCA – T31) 
 
- Esses grânulos podem preencher todos o citoplasma, 
conferindo-lhe uma coloração acinzentada; 
- O citoplasma contém pequena quantidade de 
polirribossomos, RE granuloso pouco desenvolvido, 
mitocôndrias pequenas, complexo de golgi grande; 
- A superfície celular mostra muitas microvilosidades e 
vesículas de pinocitose; 
- O monócito faz parte do sistema mononuclear 
fagocitário ou sistema histiocitário; 
- Os monócitos do sangue representam uma fase na 
maturação da célula mononuclear fagocitária originada 
na medula óssea; 
- Essa célula passa para o sangue, onde permanece 
apenas por alguns dias, e, atravessando por diapedese a 
parede dos capilares e vênulas, penetra alguns órgãos, 
transformando-se em macrófagos, que constituem uma 
fase mais avançada na vida da célula mononuclear 
fagocitária. 
 
Plaquetas 
- São corpúsculos anucleados, em forma de disco, 
medindo cerca de 2 a 4 micrometros de diâmetro; 
- São derivados de células gigantes e poliploides da medula 
óssea, os megacariócitos; 
- Promovem a coagulação do sangue e auxiliam a 
reparação da parede dos vasos sanguíneos, evitando 
perda de sangue; 
- Normalmente, existem 150 mil a 450 mil plaquetas por 
mm3 de sangue; 
- Esses corpúsculos permanecem no sangue por 
aproximadamente 10 dias; 
- Nos esfregaços de sangue, as plaquetas tendem a 
aparecer em grupos (aglutinação); 
- A quantidade elevada de plaquetas no sangue 
(trombocitose) geralmente sinaliza inflamação ou 
traumatismo; 
- A redução é chamada trombocitopenia, é uma 
consequência comum do tratamento farmacológico 
prolongado e também de doenças infecciosas como a 
dengue hemorrágica.