A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
Livro Direito dos Idosos

Pré-visualização | Página 1 de 7

DIREITOS DOS IDOSOS 
TuTela Jurídica do idoso no Brasil
organizador
Antônio CArlos Efing
DIREITOS DOS IDOSOS 
TuTela Jurídica do idoso no Brasil
Colaboradores
Antonio Bazilio Floriani Neto
Antônio Carlos Efing
Cinthia O. A. Freitas
Daniel Laufer
Fernanda Mara Gibran Bauer
Isabelle Milla Tambara
Karoline Strapasson
Lucas Zucoli Yamamoto
Mariane Natal
Melissa Folmann
Samantha Ribas Teixeira
Silvio Alexandre Fazolli
EDITORA LTDA.
© Todos os direitos reservados
Rua Jaguaribe, 571
CEP 01224-001
São Paulo, SP – Brasil
Fone (11) 2167-1101
www.ltr.com.br
Produção Gráfica e Editoração Eletrônica: LINOTEC
Projeto de Capa: DANILO REBELLO
Impressão: COMETA GRÁFICA E EDITORA
Setembro, 2014
Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)
(Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)
Direitos dos idosos : tutela jurídica do idoso no Brasil / organizador 
Antônio Carlos Efing - São Paulo : LTr, 2014. 
Vários colaboradores.
Bibliografia.
1. Idosos - Leis e legislação - Brasil 2. Idosos - Política governamental - Brasil 
I. Efing, Antônio Carlos.
14-09185 CDU-342.723-053.9(81)
Índice para catálogo sistemático:
1. Brasil : Idosos : Proteção legal : Direito público 
342.723-053.9(81)
Versão impressa - LTr 5145.9 - ISBN 978-85-361-3099-6
Versão digital - LTr 8398.5 - ISBN 978-85-361-3124-5
Agradecemos a todos os colaboradores que contribuíram na elaboração 
desta obra e, em especial, a Profa. Fernanda Mara Gibran Bauer, ao Mestrando 
Guilherme Misugi e ao Acadêmico Filipe Tomasi Keppen Sequeira, que auxiliaram 
na organização final dos textos. Também expressamos nossa gratidão à LTr Editora que 
viabilizou a publicação desta obra de notória relevância social.
O Organizador
Sobre oS AutoreS
antonio bazilio Floriani neto – Mestrando da PUCPR, advogado especialista em direito previdenciário, membro da comissão 
de direito previdenciário da OAB/PR.
antônio Carlos efing – Mestre e doutor pela PUCSP, professor titular da PUCPR, onde leciona na graduação, especializações, 
metrado e doutorado, professor da escola da magistratura do estado do Paraná, membro do instituto dos advogados do Paraná, 
advogado militante em Curitiba.
Cinthia o. a. Freitas – Doutora em informática pela pontifícia universidade católica do Paraná (PUCPR). Professora titular 
da PUCPR para os cursos de ciência da computação e direito (módulo temático: perícias e laudos técnicos). Professora per-
manente dos programas de pós-graduação em direito (PPGD) e em informática (PPGIA) da mesma instituição.
daniel laufer – Professor de direito penal na PUCPR, mestre em direito pela PUCPR, doutorando em direito penal pela PUC-
-SP, advogado criminalista, membro da comissão de advogados criminalistas da OAB-PR (gestão 2010/2012 e atual), vice-
-presidente do instituto brasileiro de direito penal econômico e membro da associação internacional de direito penal (AIDP).
Fernanda Mara gibran bauer – Mestre em direito econômico e socioambiental pela Pontifícia Universidade Católica do Pa-
raná, professora na faculdades da indústria, advogada.
isabelle Milla Tambara – Graduada em direito pela Unicuritiba (2011). Advogada. Pós-graduada em master of laws, llm em 
direito empresarial pela Fundação Getúlio Vargas (2012). Mestranda em direito econômico e socioambiental pela Pontifícia 
Universidade Católica do Paraná. Membro da comissão de direito econômico da ordem dos advogados do Brasil, subseção 
do Paraná.
Karoline strapasson – Mestranda em Direito Econômico e Socioambiental pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 
bolsista pela Fundação Araucária. Pesquisadora do núcleo de Investigações Constitucionais (nInC) da Universidade Federal 
do Paraná.
lucas zucoli Yamamoto – advogado, graduado em direito e especializado em direito previdenciário pela faculdade de direito 
Curitiba, aluno do mestrado da Pontifícia Universidade Católica do Paraná, orientado pelo prof. Antônio Carlos Efing.
Mariane natal – Mestranda em Direito Econômico e Socioambiental pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná; gradua-
da em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (2011); Advogada.
Melissa Folmann – Advogada, diretora científica do IBDP – Instituto brasileiro de direito previdenciário, membro do conselho 
deliberativo da OABPREV/PR, conselheira da OAB/PR, presidente da comissão de direito previdenciário da OAB/PR, membro 
da comissão de direito tributário da OAB/PR, professora da graduação da PUCPR e da pós-graduação da PUCPR, professora 
da ESMAFE (escola da magistratura federal do Paraná), membro do conselho científico de tributação da associação comercial 
do Paraná, cocoordenadora da pós-graduação da PUCPR em direito previdenciário e processo previdenciário aplicado, mestre 
em direito pela PUCPR, diretora editorial da Juruá editora, autora de diversas obras e artigos.
samantha ribas Teixeira – Mestranda em Direito Econômico e Socioambiental pela Pontifícia Universidade Católica do Pa-
raná. Pesquisadora do Grupo de Estudos Meio Ambiente: sociedades tradicionais e sociedade hegemônica. Bolsista CAPES.
silvio alexandre Fazolli – Doutorando em direito econômico e socioambiental pela PUC/PR (linha de pesquisa sociedades 
e direito); mestre em tutela dos direitos transindividuais pela Universidade Estadual de Maringá – UEM; professor efetivo 
da mesma instituição e docente junto à Pontifícia Universidade Católica do Paraná/campus Maringá; advogado militante em 
Maringá/Pr.
ApreSentAção
A realidade que envolve a velhice merece o devido enfrentamento, inclusive na área do Direito.
Parecem-nos insuficientes os estudos que analisam as regras do Estatuto do Idoso (Lei n. 10.741/2003), isto porque a 
tutela dos idosos (mesmo estando concentrada no EI) acha-se disseminada pelo ordenamento jurídico nacional.
Por outro lado a tutela dos idosos mostra-se multidisciplinar, envolvendo questões civis, de consumo, previdenciária, 
penais etc.
Os colaboradores na realização deste estudo foram: Mariane natal que tratou da evolução histórica dos direitos dos ido-
sos; Karoline Strapasson, que tratou da hipervulnerabilidade dos idosos na sociedade de consumo; Cinthia O. A. Freitas, que 
tratou dos idosos e as tecnologias de informação e comunicação (imigrantes digitais); Melissa Folmann e Antonio Bazilio Flo-
riani neto, que trataram dos direitos previdenciários e assistenciais dos idosos no Brasil (análise e perspectiva), Lucas Zucoli 
Yamamoto tratou dos idosos e a previdência privada no Brasil, Isabelle Milla Tambara tratou da tutela dos idosos frente aos 
planos privados de assistência de saúde; Antônio Carlos Efing e Fernanda Mara Gibran Bauer que enfrentaram o tema sobre 
o Conselho nacional de Direitos do Idoso; Silvio Alexandre Fazolli que tratou das políticas públicas e prioridade processual 
dos cidadãos idosos; Daniel Laufer que tratou da análise jurídico-penal da tutela aos idosos e Samantha Ribas Teixeira que 
tratou do papel da educação continuada para a sustentabilidade e qualidade de vida dos idosos.
O desafio deste estudo constitui-se na organização de pesquisa que desenvolva diversos aspectos da tutela jurídica do ido-
so no Brasil, e na constituição de um Direito dos Idosos. não se pretende inaugurar novo e determinado ramo do direito, mas 
demonstrar que a proteção dos idosos merece a devida atenção do ordenamento jurídico, da sociedade e dos agentes públicos.
Já é chegado o momento dos brasileiros revisarem criticamente esta realidade, pois de pouco valerá conhecer a tutela 
jurídica dos idosos, sem que tal tutela seja efetiva e permita uma existência digna na velhice.
Melhor seria que a legislação não tivesse que se preocupar com a proteção dos idosos e que o respeito aos idosos fosse na-
turalmente exercido pela sociedade. Ocorre que numa sociedade cada vez mais competitiva, tecnológica, voltada ao consumo, 
despersonalizada e desumanizada, a tutela dos idosos é medida imperativa para o resguardo da dignidade humana. Assim, ao 
menos pela imposição das regras jurídicas espera-se

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.