A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Transcrição Aula Imunolgia

Pré-visualização | Página 1 de 1

IMUNOLOGIA AULA 1
João é um estudante da área da saúde que durante uma campanha de vacinação tomou uma
vacina contra o vírus da gripe. Após um ano em uma viagem para a Espanha João ficou
gravemente gripado, mas sobreviveu.
O que aconteceu?
A vacina preparou ele para um contato com o vírus da gripe.
Algumas pessoas não desenvolvem resposta a vacinação, não se sabe o porquê, mas elas
apresentam uma resistência.
O que seria a resposta imune?
A resposta imune é o conjunto de ações envolvendo células, órgãos e moléculas responsáveis
pela imunidade que respondem de forma coletiva e coordena a fim de manter a homeostase
imunológica. (As células seriam os leucócitos, o órgão seria aquele que produz as células, e as
moléculas seriam os anticorpos)
O coletivo age melhor, por exemplo, uma única pessoa carregando uma cadeira faz muito mais
esforço do que duas se ajudando.
Tem que ser um sistema organizado, uma célula mata o patógeno, a outra fagocita, alguém tem
que limpar e organizar aquele ambiente.
A homeostase imunológica está relacionada ao nosso equilíbrio, quem não se encontra gripado,
ou com alguma outra doença, está em homeostase, mas se por acaso vier a pegar uma gripe, a
homeostase foi quebrada e a partir daí células e moléculas à mais são produzidas para conter a
infecção.
A resposta imune está envolvida com:
 Homeostase
 Atua contra tumores (terão moléculas tentando reparar a replicação incorreta)
 Doenças autoimunes (o sistema se volta contra ele mesmo).
 Processos alérgicos
 Processo de imunização (preparar o organismo para reagir caso entre em contato com
aquele patógeno)
 Transplantes (se não inibir a resposta imune, poderá ocorrer rejeição do tecido implantado)
HOMEOSTASE: Mantém o nosso organismo equilibrado em relação as células que estão sendo
produzidas e as células que estão sendo destruídas. Posso pensar no processo de apoptose, de
fagocitose, dessa forma eu vou identificar e retirar imunocomplexos ou células mortas.
IMUNOCOMPLEXOS: são antígenos marcados pelo nosso organismo com os anticorpos,
identificando que aquilo é estranho.
OPSONIZAÇÃO E FAGOCITOSE: opsonização é a marcação de patógeno que pode ser feito por
dois mecanismos, com anticorpos ou com o sistema complemento, e a fagocitose é a remoção do
patógeno. Ex: é muito mais fácil encontrar alguém quando essa pessoa está chamando a
atenção, do que se ela passar silenciosamente. O anticorpo vai fazer a opsonização para o
patógeno ser fagocitado. Mesmo que não houvesse a opsonização a fagocitose ia acontecer,
porém ia ser mais lenta. A fagocitose é o processo de retirada, onde as células englobam a
molécula estranha e a destroem em fragmentos pequenos.
APOPTOSE E NECROSE: A apoptose é uma morte silenciosa, mecanismo natural de destruição
da célula que ocorre quando a célula está em senescência ou quando tem algum problema. A
necrose é uma morte causada por motivos externos, tem um agente agressor atuando. Ambos os
processos tentam manter a homeostase.
TOLERÂNCIA: conviver com uma substância que pode levar a um dano, mas o organismo
aprendeu a aceitar ela sem gerar doenças. Mas se por algum motivo ocorrer um desequilíbrio no
organismo aquela substância pode gerar uma doença, e a tolerância ser quebrada. Ex:
microbiota.
CARACTERISTICAS DO SISTEMA IMUNE
Existem dois tipos de resposta:
RESPOSTA INATA
Mastócito, Macrófago, Célula dentrítica. Natural Killer, Célula T, Basófilo, Eosinófilo, Neutrófilo,
Sistema Complemento.
Já nascemos com ela, está sempre pronta para agir.
RESPOSTA ADAPTATIVA
Linfócito T, Linfócito B, CD4, CD8, Anticorpo.
Ela vai aprender a agir contra os determinados patógenos.
anticorpo chamando atenção
+rápida 
+específica
Dentro das respostas inata e adaptativa temos a resposta imune celular e a resposta humoral.
Quando se fala de resposta imune celular quer dizer que tem células agindo, quando se fala de
resposta imune humoral, fala-se de anticorpos e sistema complemento.
O sistema complemento está envolvido com resposta humoral e opsonização.
A resposta pode ser:
Específica: ela demora a acontecer, pois tem que aprender a agir contra o patógeno específico,
age de forma direcionada. Resposta Adaptativa.
Inespecífica: células que não são direcionadas, elas agem de forma igualitária para qualquer
patógeno, não direcionam a resposta. Acontece minutos após o contato. Resposta inata. (Se não
conseguir destruir o patógeno, ativa a resposta adaptativa).
Na resposta inata temos também a barreira epitelial, que é a maior proteção dor corpo.
Redundância: repetição de mecanismos distintos com o mesmo papel, várias maneiras de
alcançar o mesmo objetivo. (Ex: várias maneiras diferentes de induzir a apoptose) 
Ambas apresentam.
Sinergismo: ação combinada entre dois ou mais fatores que contribuem para o resultado final de
um processo ou atuação. Potencializa a resposta imune Ex: um patógeno marcado por anticorpos
e pelo sistema complemento é muito mais fácil de ser visto (agindo de forma separa é
redundância, agindo juntos é sinergismo). Ambos apresentam.
Diversidade: permite que o sistema imune responda a uma variedade de antígenos. Tem a
capacidade de reconhecer diferentes patógenos. Inato: baixo. Adaptativo: muito alto.
Enquanto o inato já nasce com seus receptores prontos, o adaptativo nasce sem receptor, ela os
desenvolve conforme a necessidade e o estímulo, apresentando assim uma maior diversidade,
podendo reconhecer diversos patógenos. Esse mecanismo só é ruim quando o patógeno sofre
diferenciação, ou seja, muda a conformação de proteínas externas, isso dificulta o
reconhecimento pelos receptores. Ex: vírus da hepatite C.
Especificidade: Garante que antígenos distintos evoquem respostas específicas. Adaptativa:
alta. Inata: baixa. Quando o médico pede um hemograma ele pode observar quais células estão
aumentadas no organismo, se são neutrófilos, ele sabe que se trata de uma infecção bacteriana,
eosinófilo, uma infecção parasitaria ou processo alérgico, etc. 
Expansão Clonal: aumenta o número de células iguais. Ela vem para potencializar uma ação.
(aumenta o número de linfócitos específicos para determinado antígeno para fazer frente a
capacidade replicativa dos microrganismos) 
Inata: não possui 
Adaptativa: possui
Memoria: grava os mecanismos de ação. Inato: não possui. Adaptativo: possui. 
Para a resposta inata é sempre como se fosse um novo encontro. O adaptativo grava as
respostas, e aumenta a capacidade de combater infecções repetidas pelo mesmo microrganismo.
 
.