A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Gliconeogênese

Pré-visualização | Página 1 de 1

Daniely Rabelo 
Gliconeogênese
Síntese de glicose a partir de substâncias 
não-carboidratos. 
❖ Ex: Aminoácidos, lactato, glicerol, 
ácido propiônico 
Nos animais ruminantes a glicose sanguínea 
é derivada principalmente da 
Gliconeogênese no fígado que utiliza o 
ácido propiônico, um ácido graxo volátil 
absorvido no rúmen, como substrato; 
Gliconeogênese é uma via bioquímica que 
em mamíferos ocorre majoritariamente no 
fígado e utiliza quase o mesmo aparato 
enzimático da glicólise; 
Após as refeições, a absorção dos alimentos 
faz aumentar a glicemia (concentração de 
glicose plasmática).Neste período, a 
liberação de insulina pelo pâncreas permite 
a absorção de glicose por todos os tecidos; 
Gradativamente, a glicemia diminui e, ao 
ser atingido um nível basal, ocorre uma 
alteração na secreção pancreática: a insulina 
é substituída por glucagon. Este hormônio 
estimula a degradação do glicogênio 
hepático e a liberação de glicose do fígado 
mantém a glicemia basal; 
As principais moléculas precursoras para a 
síntese de novas moléculas de glicose são: 
lactato, glicerol e aminoácidos; 
Há três pontos, das dez reações da glicólise, 
que se faz necessário a realização de um 
“contorno”; 
Três reações da Glicólise são irreversíveis. 
❖ Hexoquinase (ou Glicoquinase); 
❖ Fosfofrutoquinase; 
❖ Piruvato quinase; 
Esses passos devem então ser contornados 
na Gliconeogênese. 
Para que novas moléculas de glicose se 
formem, a primeira reação que precisa 
ocorrer é a conversão de piruvato a 
fosfoenolpiruvato; 
Na gliconeogênese, são necessárias duas 
reações para converter o piruvato em 
fosfoenolpiruvato; 
 
É necessário o transporte do piruvato do 
citoplasma para a mitocôndria, pois aí se 
encontram as enzimas que catalisam a 
reação; 
Uma vez na mitocôndria, o piruvato sofre 
ação da piruvato-carboxilase (1), e é 
convertido em oxaloacetato; 
 Daniely Rabelo 
Em seguida, o oxaloacetato é convertido em 
fosfoenolpiruvato (2) pela 
fosfoenolpiruvato-carboxicinase. Cada uma 
dessas duas reações consome um fosfato de 
alta energia, sendo gastos, ao todo, duas 
dessas moléculas, por piruvato formado; 
O segundo desvio refere-se à etapa de 
fosforilação da frutose-6-fosfato pela 
fosfofrutocinase-1 (número 3 em azul na 
imagem acima); 
A geração de frutose-6-fosfato a partir de 
frutose-1,6-bifosfato é catalisada por uma 
enzima diferente, a frutose-1,6-bifosfatase; 
Por fim, o terceiro contorno é a reação final 
da gliconeogênese, a desfosforilação da 
glicose-6-fosfato para formar glicose 
(número 4 em azul na imagem acima). O 
inverso da reação da hexocinase e 
catalisado pela glicose-6-fosfatase; 
É possível converter piruvato em moléculas 
de glicose novamente, porém esse processo 
é desfavorável energeticamente para a 
célula, em outras palavras, a célula gasta 
mais energia para realizar a gliconeogênese, 
do que efetivamente a glicólise forneceu; 
Glicólise e Gliconeogênese são processos 
espontâneos. Se as duas vias estiverem 
ativas simultaneamente em uma célula, isso 
constituiria um “ciclo fútil” que gastaria 
energia 
Portanto, para prevenir o gasto de energia 
de um ciclo fútil, Glicólise e 
Gliconeogênese são reciprocamente 
regulados; 
O controle inclui regulação alostérica 
reciproca por nucleotídeos de adenina. 
❖ Fosfofrutoquinase (Glicólise) é 
inibida por ATP e estimulada por 
AMP. 
❖ Frutose-1,6-bisfosfatase 
(Gliconeogênese) é inibida por 
AMP. 
 
Glicerol 
O glicerol produto da quebra de 
triacilglicerol nos adipócitos é utilizado 
pelo fígado para produzir glicose; 
A fosforilação do glicerol pela glicerol-
cinase, seguida pela oxidação do carbono 
central pelo glicerol 3-fosfato-
desidrogenase, gera di-hidroxiacetona-
fosfato, intermediário da gliconeogênese no 
fígado.; 
Lactato 
O lactato produzido pela glicólise nos 
eritrócitos ou no músculo em anaerobiose 
(por exemplo, em exercício vigoroso) é 
transportado pela corrente sanguínea até o 
fígado, em um processo conhecido como 
Ciclo de Cori; 
No citoplasma dos hepatócitos ele é 
convertido em piruvato pela ação da 
lactato-desidrogenase. O piruvato 
produzido segue a via gliconeogênica 
descrita anteriormente; 
Aminoácidos 
No fígado, grande parte dos aminoácidos 
são convertidos em piruvato e outros 
intermediários da gliconeogênese; 
Um dos mais importantes é a alanina, que 
através da remoção de seu grupo amino 
(desaminação), no interior das mitocôndrias 
dos hepatócitos, produz diretamente 
moléculas de piruvato; 
Este então segue a via gliconeogênica 
descrita acima. Outro aminoácido relevante 
para gliconeogênese é a glutamina, que é 
convertida até oxalacetato e posteriormente 
em fosfoenolpiruvato; 
 Daniely Rabelo