A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Atuação da odontologia no covid

Pré-visualização | Página 1 de 1

Atuação da odontologia no covid 
 
A higiene bucal dos pacientes que estão hospitalizados acaba não sendo 
adequada, pelo fato da incapacidade deles mesmos de se movimentarem, da 
falta de motivação de seus acompanhantes ou por estarem entubados e 
sedados. Um dentista precisa apresentar habilidades para realizar o 
atendimento desses pacientes, tentando eliminar os focos infecciosos e tudo o 
que pode vir a causar esses focos e algo que venha a contribuir para a 
extensão do período de hospitalização do paciente. 
 
Em tempos de pandemia por Covid-19 os dentistas estão na linha de frente 
dentro dos hospitais atuando juntamente com os médicos, enfermeiros, 
fisioterapeutas, ou seja, estão atendendo os pacientes que estão em leitos nas 
UTIs e em enfermarias, diferente do que ocorreria normalmente na visão 
clássica do papel do dentista. 
A importância de um cirurgião-dentista na equipe clínica dos hospitais: Ele é 
responsável pela motivação, educação relacionada à saúde bucal e cuidado 
com os pacientes hospitalizados. Além, de ser responsável por realizar 
tratamentos preventivos, curativos e paliativos. Quanto mais precoce e 
assertivo o tratamento, melhor o prognóstico. 
Os atendimentos odontológicos são essenciais nos pacientes com Covid-19 
devido às alterações bucais que ocorrem pelo longo período de intubação, 
como machucados nos lábios e língua, assim como a necessidade de conter 
sangramento dessas áreas, colocação de aparelhos dentro da boca (para que 
os pacientes parem de morder o tubo da ventilação mecânica), retirada de 
dentes pelo risco desses se soltarem durante este período, diagnóstico de 
doenças e lesões orais, realização de procedimentos odontológicos por conta 
de dor de dente ou de gengiva e o tratamento das infecções orais. 
 
 
 
 
Com o surgimento de adaptações estruturais possibilita que o dentista realize o 
atendimento do paciente no próprio leito de internação, não sendo, assim, 
necessário o deslocamento para o consultório odontológico, o que aconteceria 
em situações normais. 
A pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV) é a principal infecção 
nosocomial em pacientes sob assistência ventilatória mecânica. Quando se 
adequa a cavidade bucal, e instituem-se protocolos rígidos de higiene oral, 
essa chance do paciente desenvolver PAV diminuiu consideravelmente. 
 
A demanda odontológica é crescente e extremamente dependente do tempo de 
intubação a que os pacientes são submetidos. Além dos atendimentos 
odontológicos (aplicação de laser de baixa potência nas lesões orais 
traumáticas, extração dentárias, instalação de protetores bucais, contenção de 
sangramento e remoção de focos infecciosos), a equipe de odontologia realiza 
treinamentos de protocolos de higiene oral com a equipe de enfermagem, para 
que a realizem nos pacientes em UTI. 
Além disso, o documento da ANVISA restringiu os procedimentos 
odontológicos ao atendimento de urgências e emergências; deu ênfase aos 
cuidados com a anamnese criteriosa, com a sala de espera e com os 
equipamentos de proteção individual (EPI); e recomendou a realização de 
bochecho com peróxido de hidrogênio 01 a 1,5% prévio ao atendimento e o 
uso prioritário de dispositivos manuais ao atender para evitar gerar aerossóis 
O tratamento odontológico é fundamental para a redução de complicações, 
melhora da resposta ao tratamento médico instituído e implementação da 
qualidade de vida e conforto oral do paciente.