A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Processo penal - Ações autonomas

Pré-visualização | Página 1 de 1

Ações Autônomas Impugnativas 
 
 
 Mandado de Segurança 
1. Cabimento: Para ter acesso aos autos do inquérito policial e para antecipar os 
efeitos da tutela recursal 
 No processo civil, pelo agravo de instrumento, se pede antecipação dos efeitos 
da tutela recursal, sendo eles o efeito suspensivo e o efeito ativo 
 No processo penal não há recurso como o agravo, então, utiliza-se o RESE em 
conjunto com o mandado de segurança. 
2. Súmula 701, STF – No mandado de segurança impetrado pelo Ministério Público, 
o réu é litisconsorte necessário (o impetrante é o MP e a autoridade coatora é o 
juiz, o réu fica ao lado da autoridade coatora) 
3. Súmula 604, STJ – O MS não se presta para atribuir efeito suspensivo a recurso 
interposto pelo MP 
 
 Habeas Corpus 
 
 Revisão criminal 
1. Generalidades: 
1.1. Sentença absolutória – coisa soberanamente julgada 
1.2. Sentença condenatória pode ser objeto de revisão 
2. Revisão criminal é uma ação autônoma impugnativa de competência dos 
tribunais 
3. Legitimidade – art. 623, CPP 
4. Cabimento: só cabe após o transito em julgado de sentença penal condenatória 
4.1. Não precisa de prequestionamento 
4.2. Não pode para mudar fundamento de absolvição 
4.3. Cabe apenas em uma hipótese de sentença absolutória 
4.4. Não cabe pro societate 
4.5. Art. 621. A revisão dos processos findos será admitida: 
I - quando a sentença condenatória for contrária ao texto expresso da lei 
penal ou à evidência dos autos; 
II - quando a sentença condenatória se fundar em depoimentos, exames ou 
documentos comprovadamente falsos; 
III - quando, após a sentença, se descobrirem novas provas de inocência do 
condenado ou de circunstância que determine ou autorize diminuição 
especial da pena. 
4.6. Não é possível produzir prova durante a revisão criminal, ela deve ser 
produzida antes por meio de algo chamado justificação criminal (art. 381, 
parágrafo único, CPC) 
5. Consequências 
5.1. Juízo rescidente 
5.2. Juízo rescisório 
5.2.1. Nulidade 
5.2.2. Desclassificação 
5.2.3. Absolvição 
5.2.4. Alteração de pena ou regime 
5.2.5. Reconhecimento de indenização por erro judiciário 
6. A competência, em regra, é do TJ ou do TRF 
6.1. No caso do JECRIM, a competência é da turma recursal 
6.2. Pode ser do STF ou STJ quando a revisão se tratar de seus julgados ou 
quando o fundamento da revisão criminal for o mesmo de REsp e RE e este 
tiver sido conhecido