A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
(Curta / Salve / Siga) Termoquímica - Energia de ligação - Exercícios

Pré-visualização | Página 2 de 3

reações e concluiu, 
corretamente, que, nas condições empregadas,
a. a formação de HF(g) é a reação que libera mais energia.
b. ambas as reações são endotérmicas.
c. apenas a formação de HCℓ(g) é endotérmica.
d. ambas as reações têm o mesmo valor de DH.
e. apenas a formação de HCℓ(g) é exotérmica.
814. UFJF-MG C6-H21
A parafina é um hidrocarboneto (C25, H52, massa molar = 
= 352 g · mol–1) derivado do petróleo que compõe as velas. A 
sua reação de combustão está representada a seguir.
C H O H O COs g g25 52 2 2 238 26 25( ) ( ) ( )+ → +( )�
Considerando os dados de energia de ligação apresenta-
dos, calcule a energia liberada, em kJ, na combustão comple-
ta de uma vela de 35,2 g.
Dados 
Energias de ligação (DHL/kJ · mol–1):
Ligação C — H C — C O = O C = O O — H
DHL/kJ · mol–1 412 348 496 743 463
a. –1 260 
b. –12 600 
c. –61 226 
d. 48 624 
e. 50 
815. UERJ (adaptado) 
O formol, uma solução de metanal, frequentemente uti-
lizado em cosméticos, vem sendo substituído pelo ácido 
glioxílico. No entanto, a decomposição térmica deste ácido 
também acarreta a formação de metanal, de acordo com a 
seguinte equação:
O
+ CO2
Δ
Ácido glioxílico Metanal
H H H
O O
OH
Veja as energias das ligações nas moléculas participan-
tes da reação:
Ligação Energia de ligação (kJ · mol–1) 
C — C 348
C = O 744
C — H 413
C — O 357
O — H 462
Considere a decomposição de 1 L de uma solução aquo-
sa de ácido glioxílico, na concentração de 0,005 mol · L–1. As-
sumindo que todo o ácido glioxílico foi decomposto, calcule, 
em quilojoules, a energia absorvida nesse processo.
816. ITA-SP
Considere os seguintes dados: 
Entalpia de vaporização da água a 25 °C:
∆ vapH kJ mol= ⋅ −44 1
Massa específica da água a 25 °C: ρH O g cm2 1 0
3= ⋅ −,
Temperaturas de ebulição a 1 bar: 
T C T C T
C e T C
eb H O eb H S eb H Se
eb H Te
, , ,
,
; ;
2 2 2
2
100 60
41 2
= = − =
= − = −
° °
° °
Com base nessas informações, 
a. determine o valor numérico da energia liberada, em 
J, durante a precipitação pluviométrica de 20 mm de 
chuva sobre uma área de (10 · 10) km2. 
b. justifique, em termos moleculares, por que H2O apresen-
ta Teb muito maior que outros calcogenetos de hidrogênio. 
c. como se relaciona, em termos moleculares, a elevada 
Teb H O, 2 com a quantidade de energia liberada durante 
uma precipitação pluviométrica? 
LI
VR
O 
DO
 P
RO
FE
SS
OR
CA
P. 
13
QU
ÍM
IC
A 
13
2
27
6
PV
2D
-1
7-
70
817. UFPR 
Óleos vegetais, constituídos por triacilgliceróis (triéster 
de glicerol e ácidos carboxílicos de cadeia alquílica longa), são 
matérias-primas em diversos setores. O óleo vegetal pode ser 
submetido à reação de transesterificação com álcool etílico, 
na presença de catalisador ácido (R1 do esquema), formando 
glicerol e ácidos graxos, o que corresponde ao biodiesel, ou à 
reação de hidrogenação (R2), na presença de catalisador de 
MoS2, levando à formação de uma mistura de alcanos, gás 
carbônico e água. No esquema simplificado, ilustrados estes 
dois processos em reações não balanceadas. A fim de simpli-
ficação, foi considerado um triacilglicerol imaginário e que as 
reações R1 e R2 formam apenas os produtos indicados.
R
O
O
O
OR
O
R
R1
H+
CH3CH2OH
R2
MoS2
H2
R =
O
O
CO2 + H2O
O
ORO
O
+
+ +
Dados: Entalpia média de ligação(kJ · mol–1) 
C — H 413
C — C 348
C — O 358
O — H 463
C = C 614
C = O 799
O = O 495
Massa molar (g/mol): H = 1, C = 12, O = 16
a. Do ponto de vista de poder calorífico, isto é, a quantidade 
de energia (por unidade de massa) liberada na oxidação 
de um determinado combustível, qual dos processos 
(R1 ou R2) gera um melhor combustível? Justifique.
b. Por meio das entalpias de ligação, calcule a entalpia 
de combustão do propano. 
818. EsPCEx-SP /Aman-RJ 
Quantidades enormes de energia podem ser armazena-
das em ligações químicas, e a quantidade empírica estimada 
de energia produzida numa reação pode ser calculada com 
base nas energias de ligação das espécies envolvidas. Talvez 
a ilustração mais próxima deste conceito no cotidiano seja a 
utilização de combustíveis em veículos automotivos. No Brasil, 
alguns veículos utilizam como combustível o álcool etílico hi-
dratado, conhecido pela sigla AEHC (atualmente denominado 
comercialmente apenas por etanol).
Considerando um veículo movido a AEHC, com um tanque 
de capacidade de 40 L completamente cheio, além dos dados 
de energia de ligação química fornecidos e admitindo-se ren-
dimento energético da reação de 100% densidade do AEHC de 
0,80 g/cm3 e que o AEHC é composto, em massa, por 96% da 
substância etanol e 4% de água, a quantidade aproximada de 
calor liberada pela combustão completa do combustível des-
te veículo será de
Dados
Massas atômicas: H u C u O u= = =1 12 16; ;
Energia de ligação (kJ · mol–1)
Tipo de 
ligação
Energia 
(kJ · mol–1)
Tipo de 
ligação
Energia 
(kJ · mol–1)
C — C 348 H — O 463
C — H 413 O = O 495
C = O 799 C — O 358
a. 2,11 · 105 kJ 
b. 3,45 · 103 kJ 
c. 8,38 · 105 kJ 
d. 4,11 · 104 kJ 
e. 0,99 · 104 kJ 
819. PUCCamp-SP 
Ar mais limpo
O ar que os paulistanos respiram está menos 
poluído. Um estudo recente feito por cientistas do 
IAG/USP revelou que, nos últimos 30 anos, caiu 
consideravelmente a concentração de acetaldeído 
na atmosfera da Região Metropolitana de São Paulo. 
Esse poluente, que faz parte do grupo dos aldeídos, 
é liberado principalmente pelo escapamento de veí-
culos movidos a etanol. Além de provocar irritação 
nas mucosas, nos olhos e nas vias respiratórias e de-
sencadear crises asmáticas, os aldeídos são substân-
cias carcinogênicas em potencial. De acordo com 
os resultados da pesquisa, a queda na concentração 
deve-se basicamente a dois fatores: aperfeiçoamen-
to da tecnologia de motores automotivos e políticas 
públicas implementadas no país nas últimas déca-
das voltadas ao controle da poluição do ar.
Revista Pesquisa FAPESP, n. 224, p. 69. Adaptado.
Para responder a esta questão, utilize o texto.
a. Considere a reação de formação do acetaldeído a par-
tir da combustão incompleta do etanol. 
 
CH CH OH O CH CH O H O3 2 2 3 2
1
2
− − + → − = +
 Utilizando os valores de energia de ligação dados a se-
guir, calcule a entalpia dessa reação e reescreva-a na 
forma de uma equação termoquímica.
Ligação Energia média (kJ/mol) 
C — C 347,0
C — H 413,0
C — O 357,4
C = O 773,5
O — H 462,3
O — O 493,2
LI
VR
O 
DO
 P
RO
FE
SS
OR
CA
P. 
13
QU
ÍM
IC
A 
13
2
27
7
PV
2D
-1
7-
70
b. Sabendo que a concentração média de acetaldeído me-
dida nesse estudo foi de 5,4 partes por bilhão (mg/m3), 
calcule a concentração desse poluente em mol/L.
 Dados
 Massas molares (g/mol): H = 1,0; C = 12,0; O = 16,0 
820. UnB-DF 
A energia de ligação é a quantidade de energia necessária 
para quebrar um mol de uma dada ligação. Então, por energia 
de ligação entende-se a variação de entalpia, ΔH, usada para 
romper um mol de ligações. Por exemplo, na reação, a 25 °C, 
representada pela equação
CH4(g) → C(g) + 4 H(g) DH = 1 664 kJ/mol,
são quebrados 4 mols de ligação C – H, sendo a energia de 
ligação, portanto, 416 kJ/mol. Ao passo que na reação
C2H6(g) → 2 C(g) + 6 H(g) DH = 2 826 kJ/mol,
também a 25 °C, são quebradas as ligações C – H e C – C.
Com base nessas informações, julgue os itens como ver-
dadeiros (V) ou falsos (F).
( ) O valor da energia de ligação C – C, a 25 °C, é 330 kJ/ mol.
( ) Ambas as reações citadas acima são exotérmicas.
( ) DH = –2 826 kJ/mol não corresponde à variação de 
entalpia de formação de um mol de C2H6(g), a 25 °C.
( ) No processo C2H6(g) → 2 C(g) + 6 H(g), são quebradas 6 
ligações C — H e 2 ligações C – C.
( ) Para romper as ligações de 1/2 mol de C2H6(g), são ne-
cessários 1 413 kJ.
Veja o gabarito desses exercícios propostos na página 284.
LI
VR
O 
DO
 P
RO
FE
SS
OR
QU
ÍM
IC
A 
13
2
28
4
PV
2D
-1
7-
70
GA
B.
Módulo 41
801. Reação exotérmica
DH = 2 (+ 71) + 1 (58) + 1 (– 36) + 2 (– 103)
DH = 142 + 58 – 36 – 206
DH = – 42 kcal / 2 mol HI
DH