A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Patologia do Sistema Cardiovascular

Pré-visualização | Página 1 de 4

Todo sistema venoso do corpo  
desembocam nas veias cavas que  
chegam no coração através do átrio  
direito passando do átrio para o  
ventrículo através da válvula  
tricúspide/atrioventricular em seguida  
o músculo do miocárdio contrai para  
expelir o sangue para artéria pulmonar  
através da válvula semilunar pulmonar  
ir no pulmão, após o sangue ter sido  
oxigenado ele retorna ao coração  
através das veias pulmonares  
chegando no átrio esquerdo passando  
pela válvula  
mitral/bicúspide/atrioventricular  
esquerdo e o músculo contrai abrindo a  
válvula semilunar aórtica e o sangue é  
mandado para todo o corpo.   
 
As válvulas são importantes para que  
o sangue não retorne para a câmara  
anterior.   
O coração é um órgão levemente  
arredondado mas com formação de  
uma ponta na sua parte inferior  
chamada de ápice e na parte superior é  
denominado de base . O lado direito é a  
região mais flácida e o lado esquerdo  
mais rígido devido a força necessária  
para mandar sangue para todo o corpo  
e também é a única parte que chega  
ao ápice. Dividindo o coração existem  
as artérias coronárias .  
 
Na histologia o coração é dividido por  
endocárdio, miocárdio e epicárdio. O  
endocárdio é a camada mais interna  
sendo divido em três camadas   
♡ Camada endotelial : endotélio +  
tecido conjuntivo e lâmina basal.   
♡ Camada subendotelial : tecido  
conjuntivo rico em fibras.  
♡ Camada subendocárdica : tecido  
conjuntivo frouxo (adipócitos) e vasos e  
nervos procedentes do epicárdio.   
Do endocárdio é que surgem as  
válvulas.  
 
O miocárdio é a camada muscular, no  
qual observamos fibras alongadas no  
qual ajudam no processo de  
relaxamento e contração.   
FreeText
 @vettstudy.g
 
  
 
O epicárdio podendo receber o nome de  
pericárdio visceral é a camada mais  
externa onde existe uma riqueza maior  
de tecido adiposo.  
 
Acima do epicárdio existe uma cápsula  
responsável por proteger o coração  
chamada de pericárdio .   
O sistema cardiovascular possui a  
função de manutenção do fluxo  
sanguíneo para os tecidos e  
consequentemente o coração e os  
vasos vão distribuir o O² e nutrientes,  
remover o CO² e catabólicos, distribuir  
hormônios, manutenção da  
termorregulação e a adequada  
excreção de urina.  
Patologias/Doenças Cardiovasculares  
(frequentes/diferentes causas)  
↓  
Extensão/Localização  
↓  
Insuficiência Cardíaca   
(Mecanismo de compensação)  
↓  
Sinais Clínicos e Complicações  
Sistêmicas  
(diagnosticada/tratada)  
↓  
Morte   
(não regeneração)  
A morte súbita por insuficiência  
cardíaca pode ser de difícil  
descobrimento na necropsia devido às  
pequenas lesões difíceis de identificar  
tanto na necropsia quanto na  
histopatologia.   
 ↪ Ex : plantas cardiotóxicas agudas  
que geram a morte do animal após a  
ingestão e movimento o animal entra  
em quadro de parada cardíaca.  
Insuficiência Cardíaca Congestiva  
Quando o coração é incapaz de  
bombear sangue em uma frequência  
proporcional às necessidades  
metabólicas dos tecidos ou só pode  
fazê-lo com uma pressão de  
enchimento elevada, então toda a vez  
que o coração está bombeando essa  
ejeção de débito cardíaco que ele está  
enviando para o corpo não for  
suficiente aquele um paciente com  
insuficiência cardíaca.   
As causas são: pericardite, miocardite,  
endocardite com infiltrado bacteriano  
viral ou parasitário, plantas  
cardiomiopatias tóxicas e nutricionais  
(maior intensidade em animais de  
produção), lesões pulmonares  
(pneumonia - induz alteração cardíaca  
porque aumenta a resistência do  
sangue ao entrar no pulmão fazendo  
com que a sobrecarga e dificuldade  
existam) difusas/graves (cor pulmonale  
- lesão cardíaca secundária a  
pneumonia), anomalias congênitas e  
tumores e endocardiose acentuada.   
 
Os mecanismos de compensação  
podem ser: intrínseco (ocorrem a partir  
do remodelamento das câmaras  
cardíacas ou da força de contração  
fazendo com que o coração contraia  
mais forte para compensar a menor  
quantidade que está sendo ejetado) e  
sistêmico.   
↪ Intrínseco : dilatação cardíaca  
(acumular maior quantidade de  
sangue), hipertrofia cardíaca (aumento  
da espessura cardíaca) e taquicardia.   
FreeText
 @vettstudy.g
 
  
↪ Sistêmico : vasoconstrição periférica,  
aumento da volemia (ativação do  
sistema renina - angiotensina -  
aldosterona).  
Na insuficiência cardíaca o coração  
sofre um processo de cardiomegalia  
que é o aumento do coração ficando  
com o formato globoso sem ápice  
delimitado.   
 
Quando o é realizado o corte  
histológico é realizado cortes  
transversais para observar se ocorreu  
alguma hipertrofia ou dilatação .   
 
↪ Hipertrofia concêntrica : o músculo  
cresce para dentro, aparece nas  
doenças que necessitam de uma maior  
força no bombeamento sanguíneo.   
 ↪ Estase sanguínea (fluxo na sístole).   
 ↪ Ex : estenose das artérias aorta e  
pulmonar, hipertensão pulmonar.  
↪ Hipertrofia excêntrica : o músculo  
cresce para fora, aparece em doenças  
que possuem um grande refluxo  
sanguíneo fazendo com que a câmara  
cardíaca aumente e também  
aumentando a força do músculo  
cardíaco.   
 ↪ Insuficiência valvular.   
 ↪ Ex : endocardite valvular e  
endocardiose.   
↪ Insuficiência cardíaca direita : o  
sangue começa retornar no sistema  
venoso, deixando o animais com sinais  
clínicos de ingurgitação da veia jugular,  
congestão no fígado (fígado de noz  
moscada - aumento da pressão da  
hidrostática da região facilitando a  
exsudação de fluidos) e congestão e  
edema generalizados. Os edemas  
variam a localização de acordo com a  
espécie.   
 ↪ Ruminantes e equinos : subcutâneo  
de declive.   
 ↪ Cães, gatos e suínos : cavitários.  
 
 
Achados de necropsia:   
 
 
↪ Insuficiência cardíaca esquerda :  
existe o atrapalhamento do fluxo  
sanguíneo que iria para o corpo, as  
doenças são conhecidas como  
estenoses.  
Estenose de subaórtica   
 
Estenose de mitral   
FreeText
 @vettstudy.g
 
  
 
Fazendo com que o pulmão tenha um  
fluxo sanguíneo com resistência devido  
o sangue parado no ventrículo. Os  
sinais clínicos são: congestão e edema  
pulmonar (alvéolo cheio de líquido),  
dispnéia.   
 
O pulmão vai estar brilhante e não  
colapsado e áreas multifocais e  
avermelhadas. Caso o caso seja crônico  
o pulmão