A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
Sistema Reprodutor Feminino Felino

Pré-visualização | Página 1 de 1

Sistema Reprodutor Feminino Felino 
 Anatomia Topográfica 
 
 
 
 
Karisia Fernandes Freitas 
Wesley Araripe Costa 
 
 
 
 
Os órgãos genitais femininos incluem os ovários e as tubas uterinas pares, o 
útero e o órgão copulatório (vagina, vestíbulo da vagina e vulva). 
 
 
 
 
 
 
Ovário: 
 
Na gata, os ovários não mudam de posição desde seu local de desenvolvimento, 
permanecendo na parte dorsal do abdome caudal aos rins. 
Os ovários apresentam um formato basicamente elipsoide, enquanto sua superfície se 
caracteriza por folículos e corpos lúteos grandes. 
Tamanho na gata: 0,8 a 1 cm durante os estágios ativos de reprodução na vida do 
animal. 
Os ovários nos carnívoros são situados a uma curta distância (1 a 2cm) do polo caudal 
do rim ipsilateral e não apresentam hilo distinto, 
Consiste em uma zona vascular mais livre no centro, a medula, e uma carapaça mais 
espessa que a envolve, a zona parenquimatosa. A zona parenquimatosa é delimitada 
pela túnica albugínea diretamente abaixo do peritônio. 
Gatas entram em puberdade entre 6 a 8 meses (variável) e de ciclo estral poliéstrico. 
 
Folículos ovarianos 
Gatas são animais poliéstricos estacionais, seu cio depende da época do ano, 
geralmente na mais quente (estacional, de estação) e que tem vários períodos de cio 
nestas épocas (poliéstrica). 
 No animal adulto, os folículos ovarianos se desenvolvem no interior da zona 
parenquimatosa. 
Os folículos primordiais são formados por um epitélio folicular de camada simples, as 
células granulosas, que são planas e se diferenciam em células da teca interna, as 
quais envolvem o ovócito. 
 Após a transformação das células granulosas planas em células cuboides, o folículo 
se torna um folículo primário. 
 Após a maturação que se segue (folículo secundário), várias camadas de células 
granulosas são formadas ao redor do oócito com reentrâncias com fluido dentro da 
massa de células granulosas. 
Nesse estágio, o folículo recebe a denominação folículo terciário. Em uma 
extremidade da cavidade folicular, há uma elevação, que contém o ovócito em 
amadurecimento. 
O ovócito se encontra em íntimo contato com uma membrana translúcida, a zona 
pelúcida, a qual é envolvida por uma camada de células granulosas dispostas 
radialmente, a coroa radiada (corona radiata). 
Na etapa seguinte de maturação, o folículo terciário se torna o folículo ovárico 
vesiculoso, que finalmente irrompe para liberar o ovócito. 
A ovulação é induzida pela cópula na gata. 
Após a ovulação, a parede da cavidade folicular rompida se dobra. Ocorre uma leve 
hemorragia no local da oocitação que preenche a cavidade folicular anterior, que 
passa a ser denominada corpo hemorrágico. Os corpos lúteos finalmente regridem e 
se degeneram em tecido conectivo de cicatrização, o corpo albicans ou albicante. 
O cio é regulado por hormônios da hipófise, e sua perturbação pode resultar na 
permanência dos corpos lúteos ou na formação de cistos. Se óvulo for fertilizado, o 
corpo lúteo passa a se chamar corpo lúteo gravídico. 
Os corpos lúteos produzem progesterona, enquanto as células da parede de folículos 
maduros são fonte de estrogênio. 
 
 
Tubas uterinas: 
As tubas uterinas recebem e transportam os ovócitos para o útero. Elas também 
conduzem o esperma em sua ascensão. A fertilização normalmente ocorre no interior 
das tubas. 
A extremidade ovariana da tuba uterina que recebe o oócito após a ovulação tem 
forma de um funil e é denominada infundíbulo. 
 As margens livres do infundíbulo são cercadas por processos divergentes 
denominados fímbrias, que entram em contato e às vezes aderem à superfície do 
ovário. 
O interior do funil é marcado por pregas que convergem para delimitar uma pequena 
abertura no fundo do funil, o óstio abdominal. O óstio abdominal leva à ampola onde 
normalmente ocorre a fertilização. 
 
 
 
 
 
Útero: 
O útero dos mamíferos domésticos apresenta uma forma intermediária (uterus bicornis) 
dividido em colo mediano simples (cervix uteri), corpo mediano simples (corpos uteri), cornos 
uterinos pares (cornua uteri). 
 
 
Em carnívoros, o útero se posiciona principalmente dorsal ao intestino delgado. Ele consiste 
em um colo e um corpo curtos dos quais se projetam dois cornos delgados e longos 
divergentes que alcançam os ovários no sentido imediatamente caudal aos rins. 
 
 
Na gata, o óstio externo do útero se abre em uma pequena elevação que se projeta na vagina. 
 
 
 
 
 
Vagina: 
No vestíbulo da vagina existem as glândulas vestibulares com seus ductos que se abrem 
lateralmente ao óstio uretral externo, essas glândulas são sebáceas e produzem 
ferormônios durante o cio. 
A vagina relativamente longa de paredes finas se situa em uma posição mediana no interior da 
cavidade pélvica entre o reto no sentido dorsal e a vesícula urinária no sentido ventral. Sua 
maior parte é retroperitoneal. 
O principal ligamento do aparelho reprodutor feminino chama-se ligamento largo do 
útero. O ligamento largo do útero passa pelo ovário, tuba uterina e útero, na parede 
dorsal do abdômen. É dividido em três regiões: Mesovário, mesossalpinge e 
mesouterina. 
 
 
Pró-estro: 1 a 3 dias (gata mais carinhosa, aumenta a micção, não há edema vulvar, não ocorre 
corrimento vaginal, crescimento de 3 a 7 folículos ovarianos) 
Estro: Depende da estação e da ovulação; 5-14 dias na primavera e 1-6 dias outras estações 
(miados altos, lordose, deslocamento da cauda, anorexia e jatos de urina)