A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
RESENHA CRÍTICA_TECNOLOGIA NO TRATAMENTO DE FERIDAS

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 
 
 
 
 
 
 
 
UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ 
PÓS GRADUAÇÃO 
ENFERMAGEM EM ESTOMATERAPIA 
 
 
Resenha Crítica de Caso/Artigo 
José Ronaldo Pessoa 
 
 
 
Trabalho da disciplina Tecnologia no Tratamento de Feridas 
 
 
 
Russas - Ceará 
2021 
http://portal.estacio.br/
 
 
 
2 
 
TRATAMENTO DE ÚLCERAS VENOSAS COM FATORES DE CRESCIMENTO: REVISÃO 
SISTEMÁTICA E METANÁLISE. 
 
Referências: Magali Rezende de Carvalho 
 
A Autora Magali Rezende, nos traz no artigo “Tratamento de úlceras venosas com fatores de 
crescimento: Revisão sistemática e metanálise”, datado de 2017, que os fatores de crescimento tem uma 
importância singular e fundamental no reparo tecidual, atuando de forma positiva no processo de 
cicatrização, tornando um fator crucial como marco regulador nos processos de crescimento, logo, esse 
reparo tecidual será mais acentuado se tiver ambiente para uma atuação de forma contínua e dinâmica. 
Neste sentido, caso ocorra um desequilíbrio nas citocinas (pró e anti-inflamatórias) acarreta um 
processo que desencadeia numa ferida crônica. Para atuar no combate ao agravamento da ferida temos 
como atenuante e protagonista no processo de recuperação os fatores de crescimento. 
Quando da aplicabilidade desses fatores de crescimento tem-se como resposta o reparo tecidual de 
lesões crônicas, ainda que, essas lesões tenham um prognóstico tardio. 
Para desenvolvimento da revisão sistemática e metanálise proposta no artigo da Magali Rezende, foi 
utilizado o seguinte questionamento norteador: ‘Qual o efeito da aplicação de fatores de crescimento na 
cicatrização de úlceras venosas comparado a outras terapias?’, quantificando o número total de úlceras 
cicatrizadas. Dez estudos foram utilizados na revisão, destes total inicial 04 (quatro) analisaram a ação 
do Plasma Rico em Plaquetas e os outros seis (06) discorriam sobre os fatores de crescimento 
recombinantes. 
Como cita no artigo, a autora nos coloca a escassez de estudos a respeito dos fatores de crescimento, 
suas eficácias, aplicabilidades no tratamento de lesões venosas e isso age na falta de clareza e segurança 
no efeito relativo na ação dos fatores de crescimento para o tratamento de lesões. No Brasil, ao tempo 
desse estudo não se tinha nenhum fator de crescimento aprovado pela Agência Nacional de Vigilância 
Sanitária (ANVISA) para uso em lesões, este é um dos pontos que acaba por gerar um empecilho para 
o interesse na produção de pesquisas para avaliação da eficácia desses fatores de crescimento 
recombinante. 
Em nossa realidade no tratamento de feridas no interior do Ceará, em zona rural, a prática de um 
tratamento, principalmente em idosos acamados que viesse trazendo celeridade na cicatrização e, por 
conseguinte ofertando uma melhoria em sua qualidade de vida seria de grande valia. Ainda assim, o 
 
 
 
3 
tratamento para a maioria da população acometida por lesões de pressão teria que ser de baixo custo e 
com acessibilidade para os profissionais de saúde conseguirem levar aos que carecem desse tratamento. 
Hoje o cenário que temos são de tratamentos onerosos e inimagináveis para a população mais pobre, 
além de que, os profissionais especializados para a aplicabilidade de qualquer tratamento nessas regiões 
de difícil acesso são praticamente inexistentes, este último fator também contribui para uma falta da 
educação em saúde na atuação da família como principal colaborador para a pessoa acometida por lesão 
de pressão. Temos portanto inúmeros pontos de melhoria para alavancar uma encontro entre o 
tratamento e o paciente.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.