A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Abdome

Pré-visualização | Página 2 de 2

que 
se faz para as veias epigástrica superficial e 
epigástrica inferior, tributárias das veias femoral e 
ilíaca externa, respectivamente. 
Os vasos sanguíneos primários (artérias e veias) da 
parede anterolateral do abdome são: 
→ Vasos epigástricos superiores e ramos dos 
vasos muscolofrênicos dos vasos torácicos 
internos; 
→ Vasos epigástricos inferiores e circunflexos 
ilíacos profundos dos vasos ilíacos 
externos; 
→ Vasos circunflexos ilíacos superficiais e 
epigástricos superficiais da artéria femoral 
e veia safena magna, respectivamente; 
→ Vasos intercostais posteriores do 11º 
espaço intercostal e os ramos anteriores dos 
vasos subcostais. 
Das artérias que irrigam o abdome: 
Musculofrênica 
Origina-se da artéria torácica interna, desce ao 
longo da margem costal e se distribui pelas paredes 
superficial e profunda do abdome no hipocôndrio e 
pelo diafragma anterolateral. 
Epigástrica superior 
Origina-se também da artéria torácica interna, 
desce na bainha do músculo reto do abdome, 
profundamente a ele. 
Distribui-se por ele, pelas paredes superficial e 
profunda do abdome no epigástrio e na região 
umbilical superior. 
10ª e 11ª artérias posteriores e subcostal 
Originam-se da aorta. 
Continuam além das costelas para descer na parede 
do abdome entre os músculos oblíquo interno e 
transverso. 
Distribuem-se pelas paredes superficial e profunda 
do abdome na região lateral/lombar/flanco; 
 
Epigástrica inferior 
Origina-se da artéria ilíaca externa, segue 
superiormente e entra na bainha do músculo reto do 
abdome, além de seguir profundamente a ele. 
Distribui-se por esse músculo e pela parede 
profunda do abdome nas regiões púbica e umbilical 
inferior. 
Circunflexa ilíaca profunda 
Origina-se também na artéria ilíaca externa, segue 
na face profunda da parede anterior do abdome, 
paralela ao ligamento inguinal. 
Distribui-se pelo músculo ilíaco e parede profunda 
do abdome na região inguinal e na fossa ilíaca. 
Circunflexa ilíaca superficial 
Origina-se na artéria femoral, segue na tela 
subcutânea ao longo do ligamento inguinal. 
Distribui-se pela parede superficial do abdome na 
região inguinal e na face anterior adjacente da coxa. 
Epigástrica superficial 
Origina-se também na artéria femoral, segue na tela 
subcutânea em direção ao umbigo. 
Distribui-se pela parede superficial do abdome nas 
regiões púbica e umbilical inferior. 
É coberta por fáscia transversal, gordura 
extraperitoneal e peritônio parietal. 
A parte infraumbilical dessa face apresenta cinco 
pregas peritoneais umbilicais: 
→ Prega umbilical mediana; 
→ Duas pregas umbilicais mediais; 
→ Duas pregas umbilicais laterais. 
A primeira se estende do ápice da bexiga até o 
umbigo e cobre o ligamento umbilical mediano. 
As segundas são laterais à mediana, cobrem os 
ligamentos umbilicais mediais. 
As terceiras estão situadas lateralmente às mediais 
e cobre os vasos epigástricos inferiores. 
Lateralmente às pregas umbilicais, encontram-se 
as fossas peritoneais. Cada uma está suscetível a 
herniação. 
As fossas superficiais entre as pregas umbilicais 
são: 
→ Fossas supravesicais; 
→ Fossas inguinais mediais; 
→ Fossas inguinais laterais. 
O ligamento falciforme é uma reflexão peritoneal 
com orientação sagital que se estende entre a 
parede anterossuperior do abdome e o fígado. 
REGIÃO INGUINAL 
Estende-se entre a EIAS e o tubérculo púbico. 
É a região por onde saem e entram as estruturas da 
cavidade abdominal. 
As vias de saída e entrada são possíveis locais de 
herniação. 
Tubo muscular com aproximadamente 25cm de 
comprimento com diâmetro de 2cm. 
Conduz o alimento da faringe ao estômago. 
Segue a curva da coluna vertebral ao descer através 
do pescoço e do mediastino. 
Tem lâminas musculares circulares internas e 
longitudinais externas. 
Atravessa o hiato esofágico elíptico no pilar 
muscular direito do diafragma, à esquerda do plano 
mediano, no nível da vértebra T X. 
Termina entrando no estômago no óstio cárdico do 
estômago, à esquerda da linha mediana, no nível da 
7ª cartilagem costal esquerda e da vértebra T XI. 
É circundado pelo plexo nervoso esofágico 
distalmente. 
É a parte expandida do sistema digestório entre o 
esôfago e o intestino delgado. 
Prepara química e mecanicamente para a digestão 
e passagem do bolo alimentar para o duodeno. 
Localiza-se quase que inteiramente no quadrante 
superior esquerdo, parte no epigástrio e parte no 
hipocôndrio esquerdo. 
É formado pelo duodeno, jejuno e íleo. 
É o principal local de absorção de nutrientes. 
Estende-se do piloro até a junção ileocecal. 
Localiza-se em praticamente todos os quadrantes, 
mas a maior parte dele fica na região umbilical. 
É o local de absorção de água, convertendo o quimo 
líquido em fezes semissólidas. 
É formado por ceco, apêndice vermiforme, partes 
ascendente, transversa, descendente e sigmoide do 
colo, reto e canal anal. 
Localiza-se também praticamente em todos os 
quadrantes, com cada uma de suas partes em uma 
região específica: 
Ceco e apêndice: quadrante inferior direito, 
inferiormente à junção com a parte terminal do íleo, 
região inguinal direita; 
Parte ascendente: região lateral direita; 
Parte transversa: epigástrio; 
Parte descendente: região lateral esquerda; 
Processo sigmoide: região inguinal esquerda e 
hipogástrio. 
Reto e canal anal: hipogástrio. 
Túnica serosa transparente, contínua, brilhante e 
deslizante. 
Reveste a cavidade abdominopélvica e recobre as 
vísceras. 
Consiste em duas lâminas contínuas: peritônio 
parietal e peritônio visceral. 
O parietal reveste a face interna da parede 
abdominopélvica, enquanto o visceral reveste o 
estômago e intestino. 
Ambas consistem em mesotélio (epitélio 
pavimentoso simples). 
Peritônio parietal 
Tem a mesma vascularização sanguínea e linfática 
e a mesma inervação somática que a região da 
parede que reveste. 
Reveste a face interna da parede abominopélvica. 
Peritônio visceral 
Ele e os órgãos que recobre têm a mesma 
vascularização sanguínea e linfática e inervação 
visceral. 
É insensível a toque, calor, frio e laceração. É 
estimulado por distensão e irritação química. 
Órgãos intraperitoneais 
Quase que completamente recobertos por peritônio 
visceral! 
Essa terminologia, portanto, não significa dentro da 
cavidade peritoneal. 
Órgãos retroperitoneais 
Situados fora da cavidade peritoneal – 
externamente ao peritônio parietal – e são apenas 
parcialmente recobertos por peritônio. 
Após a rotação e o surgimento da curvatura maior 
do estômago durante o desenvolvimento, a 
cavidade peritoneal é dividida em sacos peritoneais 
maior e menor. 
O mesocolo transverso/mesentério do colo 
transverso divide a cavidade abdominal em um 
compartimento supracólico. 
Este contém o estômago, fígado e baço. É posterior 
ao omento maior e é subdividido em espaços 
infracólicos direito e esquerdo pelo mesentério do 
intestino delgado.