A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Caprinocultura - Melhoramento genético em caprinos

Pré-visualização | Página 1 de 1

• Ausência de fossa lacrimal
ou glândula sub-orbital
• Cauda curta e elevada
• Chifres lisos com base de
inserção circular e
normalmente não espiralados
• Perfil nasal predominante
→ retilíneo
• Presença de pêlos
recobrindo o corpo
• Presença de cavanhaque ou
barba no macho
• Presença de brinco
• O rebanho de caprinos é o
6º maior rebanho do mundo
• O Brasil é um grande
produtor nas regiões
nordeste e norte, porém é
um produtor de pouca
aptidão pois os cruzamentos
são descontrolados (SRD)
• Aumento das
características produtivas →
tenho diminuição na
rusticidade do animal
(resistência)
• Os maiores rebanhos de
caprinos são os dos países
em desenvolvimento, mas não
são os maiores produtores.
• Caprinos geram:
- Leite e derivados
- Couro e pêlos
- Carne (magra e seca)
- Esterco
• Quando o animal é
selecionado para um
melhoramento genético, ele é
selecionado também para um tipo
produtivo
• Baixa, médio, alto emprego
de tecnologia
• Extensivo, semi-intensivo
(controle da dieta), intensivo
• Pasto aberto na caatinga
→ pequenos arbustos e
arvoredos → cabra come tudo →
não tem cerca que segura → não
morre com facilidade → mas sua
reprodução não é tão boa
• Animais confinados →
maior ganho reprodutivo
• Aptidão leiteira:
Frente leve: Descarnada (cabeça
leve e pescoço delicado e com alta
capacidade respiratória)
• Aptidão pra carne
Alta rusticidade
Animais grandes e fortes
Melhoramento 
genético em caprinos
ovinos x caprinos
Introdução
Sistemas de produção
- Aptidão leiteira
- Melhor desempenho em ambiente
confinado
- É uma raça trazida da Europa
- Tem capacidade elevada para
produção de leite (ex: 12 litros
de leite/dia).
- Aptidão leiteira
- Melhor desempenho em sistema
de pasto suplementado
- Aptidão leiteira mediana,
produzindo de 6 a 8L por dia
- Aptidão leiteira
- Produz de 6 a 9 L
- Melhor desempenho em
ambiente confinado
- Possui úbere bem grande
- Animal de dupla aptidão (carne
e leite) 3 a 3,5 L por dia
- Aceita bem tanto ambiente
aberto quanto em confinamento,
- Se desloca com grande
facilidade pois seu úbere não é tão
grande
Melhoramento 
genético em caprinos
Saanen
Alpina/ parda alpina
Toggemburg
Anglo-Nubiana
- Aptidão pra carne, possui
grande marmoreio,
- Necessita de uma alimentação
diferenciada,
- Melhor desenvolvimento em
pasto
- É necessário ajudar com
suplemento para melhor
desempenho muscular
- Aptidão pra carne, possui
menos marmoreio
- vem ganhando espaço, mas
está atrás do boer
- Cinco raças foram introduzidas
pelos colonizadores que através do
cruzamento desordenados deram
origem às raças nativas;
- O processo de seleção natural
resultou em animais, com grande
rusticidade, pequeno porte e baixa
capacidade de crescimento e
produção além da aptidão leiteira
- Moxotó
- Canindé
- Repartido
- Marota
- SRD
Melhoramento 
genético em caprinos
Boer
Savana
Raças nativas 
- Aptidão: carne e couro
- Porte: 30 a 40 kg
- Sistema produtivo: extensivo
- Idade reprodutiva: 4,5 a 6
meses
Gurgueia
- Aptidão: carne e couro
- Porte: 36kg
- Sistema produtivo: extensivo
- Idade reprodutiva: 5-6 meses
- Aptidão: carne e leite
- Prod de leite: 0,6 a 0,8 L
por dia
- Porte: 40 a 50 kg
- Sistema produtivo: extensivo
- Idade reprodutiva: 5-6 meses
- Aptidão: leite
- Prod de leite: 0,4 a 0,6 L por
dia
- Porte: 30 a 40 kg
- Sistema produtivo: extensivo
- Idade reprodutiva: 4,5 -6
meses
- Aptidão: carne e couro
- Porte: 30 a 40 kg
- GPD: 0.13 kg/dia com
alimento
- Sistema produtivo: extensivo
- Idade reprodutiva: 5 -6 meses
Melhoramento 
genético em caprinos
Repartida
Canindé
Marota
Moxotó
• Evolução a partir da base
genética
- Selecionando animais que são
mais produtivos
- Permitir que eles se
reproduzam
- Descarte dos menos eficientes
• Vantagens
- Rusticidade
- Material genético puro
• Desvantagens
- Programa é muito demorado
- Custo elevado
- Baixo diferencial de seleção
• Evolução a partir do
cruzamento de raças puras
com raças especializadas
• Utiliza-se as femeas
• Descarta-se o macho
• Para melhorar é
necessário: importar o animal
T.E cruzamento SRD
X Raça na 4ª geração
gerará um puro por Cruza
que possui grande capacidade de
adaptação e alta rusticidade.
• No Brasil os animais têm
alta rusticidade, porte pequeno
e baixa capacidade de
crescimento e de produção
(Sistama Extensivo).
• Vantagens:
- Diferencial de seleção é alto
- Programa é mais curto
- Menos custo
- Primeiro se deve conhecer a
base e consertar o erro de manejo,
alimentação, sanidade incorreta -
quando tudo isso estiver certo pode
iniciar o melhoramento genético.
Base: aqueles animais com baixa
capacidade produtiva, rústicos e
com dupla aptidão e estabeleço aonde
quero chegar a partir da raça
nativa
Melhoramento: produzir filhos
melhores que os pais
Programa de melhoramento genético
em ambiente precário não funciona
- Particularidades ambientais
- Situação socioeconômicas
- Recursos genéticos
Melhoramento 
genético em caprinos
MGA em raça pura
Base para o PMG
MGA em cruzamentos
1º Estudar recursos genéticos
existentes em raças nativas
2º Introduzir raças exóticas com
capacidade de adaptação para
melhorarem geneticamente as nativas
• Produção de leite: Se eu
tenho um animal com aptidão para
leite e seleciono para outra aptidão,
como carne, por exemplo, o tempo de
processo é mais demorado mas se
consegue um resultado
• Eficiência Reprodutiva: É o
objetivo de qualquer exploração
animal – alta eficiência permite
maior intensidade de seleção, devido
ao maior número de animais
disponíveis
• Puberdade:
- Busca-se a precocidade
- Acontece aos 6 meses de idade -
A partir do peso → sabe se pode
reproduzir
- Recomenda-se a separação de
machos e fêmeas
Não é recomendado acasalamento
antes de atingir 60-75% peso adulto
e para machos 1 ano ½.
Exigência de variação genética nas
características econômicas
- Intensidade de seleção
- Intervalo de gerações
- Passo inicial é portanto:
avaliar as diferenças genéticas na
população disponível, que são dadas
pela herdabilidade
- Cruzamentos entre raças exóticas
/nativas com raças nativas oi rebanho
comum: parto de uma base não boa
introduzo um material genético melhor
e tenho um animal no meio do caminho
- Prova de desempenho (peso à
desmama, ganho de peso pós-desmama,
produção de leite e quantidade de
gordura: compara animais de mesmo
ambiente para ver o desempenho.
Comparo reprodutores e começo a
validar potencial genético desse animal.
Toda vez que tenho o potencial
estimado permite calcular o diferencial
de seleção, herdabilidade e
características.
- Provas de descendência ou teste de
progênie: avaliação da progênie para
se avaliar o pai (ranquear) Está em
andamento o primeiro teste de progênie
de bodes no Brasil, realizado pela
EMBRAPA. Com a utilização de sêmen
de bodes nacionais provados, a IA se
tornará mais acessível e mais barata,
promovendo um maior progresso
genético no rebanho nacional.
Melhoramento 
genético em caprinos
Avaliação do padrão genético
Fatores que auxiliam