A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
prova de analises parasitologicas

Pré-visualização | Página 1 de 2

1 ponto
	
		1.
		A criptosporidiose é uma das causas mais comuns de diarreia não viral em humanos, de ocorrência mundial. A transmissão ocorre, principalmente, através da ingestão de água e/ou alimentos contaminados com oocistos de Cryptosporidium spp.  
Assinale a alternativa correta sobre esse patógeno.
 (Ref.: 201907170518)
	
	
	
	
	Cryptosporidium parvum é uma bactéria causadora da criptosporidiose, uma infecção intestinal comum, que costuma ocorrer na forma crônica em pacientes imunocomprometidos. 
	
	
	O oocisto não esporulado é a forma infecciosa e pode ser ingerido através da água de consumo e de alimentos como os vegetais. 
	
	
	O oocisto é sempre liberado na forma madura e infectante nessa espécie de coccídeo.  
	
	
	Esse microrganismo representa grande importância em saúde pública, visto que os oocistos infectantes são altamente resistentes aos fatores ambientais, incluindo o cloro, largamente utilizado no tratamento de água de abastecimento. 
	
	
	A infecção no sangue é a enfermidade mais comum e grave causada por Cryptosporidium parvum, capaz de levar o indivíduo à morte em poucos dias. 
	
	 
	 
		1 ponto
	
		2.
		Sabemos que a criptosporiose está associada a transmissão por via-oral fecal e a áreas de saneamento básico inadequado. Assinale abaixo outras medidas profiláticas para o controle de transmissão da doença além do investimento em tratamento de efluentes.
 (Ref.: 201907170520)
	
	
	
	
	Distribuição de tratamentos, educação em saúde, incentivo em acesso à informação.
	
	
	Nenhuma das outras alternativas
	
	
	Investimento governamental em pesquisa, educação em saúde, incentivo em acesso à informação e distribuição de preservativos.
	
	
	Investimento governamental em pesquisa, educação em saúde, incentivo em acesso à informação.
	
	
	Investimento governamental em pesquisa, educação em saúde e vacinação.
	
	 
	 
		1 ponto
	
		3.
		Em agosto de 2011 o Ministério da Saúde definiu algumas endemias que exigem um conjunto de estratégias para eliminação como problemas de saúde pública ou redução drástica da carga destas doenças. São elas a hanseníase, filariose linfática, esquistossomose, geo-helmintíases, dentre outras. De acordo com a OPAS (Organização Pan-americana de Saúde), essas enfermidades tendem a coexistir em áreas em que a pobreza tende a apresentar precárias condições de vida. As estratégias para redução de casos destas doenças no país foram incluídas pelo governo federal no Plano Integrado de Ações Estratégicas, com vigência inicial no período compreendido entre os anos de 2011 a 2015. Levando-se em consideração a hanseníase, filariose linfática, esquistossomose, a ascaridíase e ancilostomose (estas duas últimas como exemplos de geo-helmintíases), assinale a alternativa que contém, respectivamente, um exemplo da parasitose cuja transmissão necessite de um vetor artrópode e outra cujo ciclo biológico do agente etiológico apresente ciclo pulmonar no hospedeiro.
 (Ref.: 201907170555)
	
	
	
	
	Filariose linfática; ascaridíase.
	
	
	Ancilostomose; ascaridíase.
	
	
	Hanseníase; ancilostomose. 
	
	
	Esquistossomose; hanseníase. 
	
	
	Esquistossomose; filariose linfática.
	
	 
	 
		1 ponto
	
		4.
		O número de humanos que trazem no seu intestino vermes da família Ancylostomatidae, em todo mundo, talvez seja da ordem de 1,25 bilhão, dos quais 151 milhões sofrem de ancilostomíase, uma doença cujos portadores frequentemente desenvolvem anemia. No Brasil, estimativas feitas em várias ocasiões, no decurso do século XX, calculavam estar entre 23 e 24 milhões o número de casos positivos. Duas espécies de ancilostomídeos parasitam com frequência o ser humano: Ancylostoma duodenale e Necator americanus. É correto afirmar que a infecção por N. americanus se dá por:
 (Ref.: 201907170557)
	
	
	
	
	Picada de um hemíptero.
	
	
	Ingestão de carne mal cozida.
	
	
	Picada de um mosquito culicídeo.
	
	
	Penetração cutânea das larvas infectantes.
	
	
	Contato do hospedeiro definitivo com as fezes do hospedeiro intermediário.
	
	 
	 
		1 ponto
	
		5.
		Uma mulher apresentou todos os sintomas de toxoplasmose e para confirmação diagnóstica foi realizado o teste de ELISA para detecção de anticorpos da classe IgM e IgG. No entanto, o resultado foi negativo e o médico garantiu que ela não estava doente. O médico está certo?
 (Ref.: 201907170514)
	
	
	
	
	Não, pois após o contato com o parasita, o organismo produz anticorpos, mas a detecção demora um período que é chamado janela imunológica e a paciente pode estar nesse período.
	
	
	Sim, pois esse método apresenta grande sensibilidade e especificidade e é o padrão ouro para esse diagnóstico.
	
	
	Sim, pois esse método é utilizado para a detecção de anticorpos e assim que temos o contato com o parasita eles já são produzidos e detectados.
	
	
	Não, pois o método de escolha foi errado, o médico deveria ter feito um exame de fezes pelo método de Wills.
	
	
	Não, pois o método de escolha foi errado, o médico deveria ter feito um exame de fezes pelo método de Faust.
	
	 
	 
		1 ponto
	
		6.
		O exame parasitológico de fezes realiza-se por meio da pesquisa de diferentes formas parasitárias ou de seus produtos no organismo do hospedeiro, que são eliminados nas fezes. Sobre o exame parasitológico de fezes e os parasitas intestinais, assinale a alternativa INCORRETA.
 (Ref.: 201907167504)
	
	
	
	
	Os métodos de sedimentação e flutuação são métodos de análise do sedimento. 
	
	
	No método de Kato-Katz não conseguimos quantificar oocistos de I.belli. 
	
	
	Os esfregaços de fezes com coloração permanente são utilizados para estudar e confirmar a identidade de parasitos.
	
	
	O método de Rugai é utilizado para pesquisa de Strongyloides stercoralis.
	
	
	No exame direto a fresco, utiliza-se formol acetato de etila, com a finalidade de concentrar ovos e cistos no sedimento. 
	
	 
	 
		1 ponto
	
		7.
		Após a realização do exame de esfregaço sanguíneo delgado de 2 pacientes (Paciente A e B) foi encontrado o seguinte resultado. 
Qual é o diagnóstico desses dos pacientes A e B, respectivamente: 
 (Ref.: 201907110564)
	
	
	
	
	Malária, P. malaraiee P. falcipuram 
	
	
	Malária, P. falcipurame P. malaraie 
	
	
	Malária, P. malaraie e P. vivax 
	
	
	Malária, P. falcipuram e P. vivax. 
	
	
	Malária, P. vivax e P. falcipuram; 
	
	 
	 
		1 ponto
	
		8.
		Transmitidos através da picada de insetos, alguns protozoários são capazes de causar parasitoses em seres humanos, utilizando como habitat a corrente sanguínea.
A figura acima apresenta algumas das fases do ciclo de vida de um protozoário parasita, instalado no interior de um glóbulo vermelho. Considerando a figura, assinale a opção que apresenta, respectivamente, os nomes do agente etiológico, do vetor e da doença provocada pelo protozoário ilustrado. 
 (Ref.: 201907110566)
	
	
	
	
	Plasmodium sp., barbeiro Triatoma infestans, malária; 
	
	
	Trypanossomacruzi, fêmea do mosquito Anopheles sp., doença de Chagas. 
	
	
	Plasmodium sp., fêmea do mosquito Anopheles sp., malária 
	
	
	Leishmania sp., fêmea do mosquito Lutzomyia sp., leishmaniose. 
	
	
	Trypanossomacruzi, barbeiro Triatoma sp., doença de Chagas. 
	
	 
	 
		1 ponto
	
		9.
		O diagnóstico tardio é o principal obstáculo para a elaboração de medidas de controle, prevenção e estudo epidemiológico das doenças. É através do diagnóstico adequado que é realizado o tratamento precoce, aumentando a possibilidade de melhora do quadro clínico das doenças. Sabemos que muitas doenças não possuem investimento farmacêutico e governamental e podem ser classificadas como doenças negligenciadas. Dentro desse contexto, as verminoses estão incluídas como um grupo de doenças associadas a muitas condições de perpetuação de ciclos de pobreza. Assinale abaixo a alternativa correta a respeito das verminoses estudadas nos módulos 1 e 2 : 
 (Ref.: 201907058829)
	
	
	
	
	A

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.