A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
INFECÇÃO URINÁRIA

Pré-visualização | Página 1 de 1

INFECÇÃO URINÁRIA
- Condição clínica de ocorrência muito comum, com elevada prevalência em mulheres de todas as idades e, no homem, nos extremos da vida;
- Pielonefrite aguda indica infecção bacteriana do sistema urinário alto (rins e pelve renal), gerando uma síndrome clínica caracterizada por febre alta súbita, calafrios e dor no flanco;
- Pielonefrite crônica é utilizado para caracterizar ataques recorrentes de infecção, geralmente associados a diminuição da função renal;
- As infecções do sistema urinário baixo (cistite, uretrite, prostatite) caracterizam-se por disúria, polaciúria e urgência (vontade súbita de urinar causada por uma hiperatividade do músculo detrusor da bexiga);
- A infecção urinária pode ser recorrente por recidiva ou reinfecção.
1. Pielonefrite Aguda:
- Caracterizada por uma invasão bacteriana aguda do rim e da pelve renal e costuma ser unilateral;
- O aparecimento da infecção pode estar relacionado a algum tipo de obstrução do TU, como hipertrofia prostática em homens e obstrução ureteral pelo útero gravídico em mulheres;
- No sexo feminino, a pielonefrite é comum na primeira infância ou no início da fase de atividade sexual, pois como a uretra é curta, ela é mais vulnerável a infecções;
- O germe mais encontrado é a Escherichia coli (75% dos casos);
Sintomas: 
- Febre súbita (39 a 40ºC), calafrios, náuseas e vômito;
- Dor em um ou ambos os flancos, com irradiação para a fossa ilíaca e região suprapúbica;
- Pode haver disúria, polaciúria, urgência e urina turva, denotando a presença associada de cistite;
- Mal-estar, taquicardia e hipotensão arterial podem ocorrer.
- Dor e contração muscular no ângulo costovertebral e região lombar costumam ocorrer ao exame físico;
- Ao exame de urina há presença de piócitos, cilindros leucocitários e bactérias;
- A presença de microrganismos na urina tem grande relevância no indício de infecção;
- Em geral, hematúria microscópica está presente. Leucocitose é comum;
- Com tratamento adequado, as manifestações clínicas desaparecem em 1 a 2 dias;
- Em algumas condições, os sintomas desaparecem, mas a bacteriúria persiste, transformando-se em infecção crônica;
- Em diabéticos, a infecção aguda pode ser grave, causando até necrose de papila renal.
2. Pielonefrite Crônica:
- Normalmente surge após pielonefrite aguda ou cistite;
- As lesões fibróticas decorrentes da inflamação uni ou bilateral levam a uma redução do tecido renal funcionante;
- Quando a infecção é unilateral, o rim normal compensa a falha do rim comprometido;
- Os sinais e sintomas (polaciúria e dor lombar) podem sugerir que a origem da doença seja no sistema urinário;
- Mas é comum o paciente não apresentar queixas urinárias e sim fraqueza geral, apatia, perda de peso ou sintomas relacionados com uremia;
- A hipertensão pode ser o achado dominante;
- A urina contém piócitos, bactérias e poucas proteínas.
3. Cistite e Uretrite:
- Infecção urinária restrita à bexiga e/ou uretra, caracterizada por polaciúria, disúria, urgência e piúria;
- A cistite provoca desconforto e sensação dolorosa na região suprapúbica;
- A irritação da parede vesical causa contração espasmódica da bexiga, fazendo com que o paciente apresente desejo de urinar acompanhado de dor, mesmo quando a bexiga está vazia;
- A urina pode estar turva e com odor desagradável;
- Piócitos, hemácias, células epiteliais e bactérias são encontradas no exame de urina;
- Na uretrite aguda observa-se queimor intenso ou dor durante micção, além de corrimento uretral purulento entre as micções.
4. Prostatite:
- Dor na região sacra e perineal que se acompanha de desconforto retal e testicular;
- Piúria e hematúria costumam ocorrer;
- A prostatite bacteriana aguda produz manifestações sistêmicas de bacteriemia com febre alta e calafrios, além de disúria e polaciúria;
- O toque retal acompanha-se de dor intensa, devido ao aumento de volume da glândula, o que torna a cápsula tensa.