A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Doenças pulmonares obstrutivas - Asma e DPOC

Pré-visualização | Página 2 de 2

se manifesta em trabalhadores com contato 
direto a alérgenos). 
 Nas várias formas da asma, os agentes etiológicos parecem ser 
diversos, como infecções respiratórias, poluentes atmosféricos, 
fumaça, frio, estresse e exercício físico. 
Epidemiologia 
 A asma é uma doença de sociedades industrializadas, onde a 
maioria das pessoas vive em cidades, em constante contato com 
poluentes e alérgenos. 
 A asma pode ser desenvolvida em qualquer fase da vida, porém 
é mais comum abaixo dos 25 anos. 
 Enquanto na infância é mais prevalente em meninos, após a 
puberdade sua frequência em meninas aumenta discretamente. 
 Cerca de 5% dos asmáticos apresentam quadros de difícil 
controle e refratários ao tratamento comum (asma grave). 
Etiopatogênese 
 Na asma atópica, pessoas com predisposição genética inalam 
alérgenos (pó doméstico, pelos de animais, pólen, alimentos, 
etc.) que são capturados por células dendríticas na mucosa 
respiratória. 
 Ocorre, então, a apresentação do antígeno a linfócitos T, 
induzindo uma resposta Th2; a partir disso, a produção de IL-5 
atrai eosinófilos, enquanto a IL-4 induz a síntese de IgE, que 
recobrem a superfície de mastócitos. 
 Surge assim uma reação de hipersensibilidade do tipo I: quando 
mastócitos revestidos por IgE são expostos ao alérgeno, ocorre 
degranulação e liberação de histamina e leucotrienos, que 
causam broncoconstrição, aumento da permeabilidade vascular 
e aumento da produção de muco (reação imediata em minutos). 
 Horas depois da crise aguda, uma nova crise com maior 
broncoconstrição, edema e produção de muco pode ressurgir 
(reação tardia). 
 Portanto, a inflamação das vias aéreas resulta na obstrução 
brônquica, que é provocada por dois estímulos: 
 Redução do lúmen: ocorre pelo acúmulo de muco e 
edema das camadas mucosa e submucosa 
 Broncoconstrição: causada por múltiplas substâncias 
pró-inflamatórias 
 
 
Para mais resumos: gg.gg/ricpassei 
Aspectos morfológicos 
 Macroscopia 
 Em pacientes comuns, é possível notar presença de secreção 
espessa obstruindo brônquios e bronquíolos. 
 Pacientes que falecem com asma grave (mal asmático) 
apresentam hiperinsuflação pulmonar, através do aumento da 
complacência. 
 Microscopia 
 Os achados incluem: secreção abundante na luz das vias 
respiratórias associado a hipertrofia glandular, descamação 
epitelial, espessamento fibrótico da membrana basal, edema da 
camada submucosa, hipertrofia da musculatura lisa e infiltrado 
inflamatório de neutrófilos e eosinófilos. 
 O conjunto desses fatores, associados a cronicidade da 
doença, dão origem ao remodelamento das vias aéreas. 
 
Aspectos clínicos 
 Uma crise aguda de asma pode durar várias horas, embora os 
sintomas cardinais de pressão torácica, dispneia, sibilos e tosse 
permaneçam presentes constantemente em menor 
intensidade. 
 Na forma mais severa, o estado de mal asmático, a crise 
persiste por dias ou semanas, podendo causar uma obstrução 
tão extrema que resulta em óbito. 
 O diagnóstico é baseado em alguns aspectos: obstrução do 
fluxo aéreo, dificuldade na exalação (expiração prolongada com 
sibilos), eosinofilia e espirais de Curschmann (muco condensado 
em fibrilas) e cristais de Charcot-Leyden (degeneração das 
fosfolipase de eosinófilos) no escarro. 
 
 
 
	Enfisema
	Classificação
	Patogênese
	Aspectos morfológicos
	Aspectos clínicos
	Bronquite crônica
	Patogênese
	Aspectos morfológicos
	Aspectos clínicos
	Asma
	Epidemiologia
	Etiopatogênese
	Aspectos morfológicos
	Aspectos clínicos