A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
9 pág.
TCEM

Pré-visualização | Página 1 de 2

Capítulo 4 | TECM 2020 
 
UZ-FCT-TECM 2020, gimo.joaque@uzambeze.ac.mz 1 de 9 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LINHAS AÉREAS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Capítulo 4 | TECM 2020 
 
UZ-FCT-TECM 2020, gimo.joaque@uzambeze.ac.mz 2 de 9 
 
4. Linhas aéreas (construção dos apoios, montagem de condutores e manutenção) 
4.1. Introdução. 
Frequentemente, os recursos energéticos necessários para diversas actividades económicas situam-
se muito longe das regiões industriais. É o caso de Moçambique em que grandes reservas 
energéticas estão situadas em Tete, enquanto os potenciais consumidores estão em Sofala e 
Maputo. 
Portanto, a energia necessária deve ser transportada para grandes distâncias. O problema que se 
coloca é encontrar a melhor forma de transporte. Existem várias possibilidades. Pode-se por 
exemplo, transportar os combustíveis (petróleo, carvão) por via férrea. Podem certos tipos de 
combustíveis (gás, petróleo) serem transportados por condutas (“pipelines”) ou grandes navios 
(petroleiros). A solução encontrada é a conversão da energia contida nesses recursos em energia 
eléctrica e o transporte dessa nova forma de energia para os centros de consumo, a partir das linhas 
de transmissão. 
A distribuição de energia eléctrica é mais fácil de expandir, para além de que a sua transformação 
nos centros de consumo é cómoda e vantajosa. O rendimento de transformação de energia eléctrica 
em outras formas de energia é muito alto. Assim, na prática, o problema que se coloca é a decisão 
sobre o local de construção das centrais eléctricas e sobre as distâncias de transporte do 
combustível para as centrais. 
Portanto, a função principal das redes eléctricas de transporte é a transmissão da energia dos 
lugares remotos de sua produção aos lugares de consumo. Através da interligação, as redes 
eléctricas permitem agrupar as diversas centrais eléctricas e os consumidores de energia num 
sistema eléctrico único. 
 
4.2. Componentes de um sistema de transporte e distribuição de energia. 
Por forma a facilitar a compreensão dos elementos, na figura abaixo, apresenta-se um esquema 
que ilustra o enquadramento das diversas componentes de um sistema de transporte e distribuição 
de energia, integrando a produção, linhas de transporte, subestações e linhas de distribuição, para 
além da geração. Estes sistemas são constituídos pelas seguintes principais componentes: 
 Produção – Geração de energia eléctrica em centrais hidroeléctricas, 
térmicas, solares, eólicas entre outras. As principais centrais de 
produção do país são as hidroeléctricas de Cahora Bassa, Chicamba e 
Mavuzi, localizadas no centro do País, Barragem de Corrumana, 
Central Térmica de Ressano Garcia e a recentemente inaugurada 
Central Térmica de Maputo localizadas no sul do País. 
 
Capítulo 4 | TECM 2020 
 
UZ-FCT-TECM 2020, gimo.joaque@uzambeze.ac.mz 3 de 9 
 
 Transporte – Transmissão de energia eléctrica em Alta Tensão 
(AT), desde os transformadores das subestações elevadoras ligadas 
a centrais geradoras de alta potência (ex. Cahora Bassa) até às 
subestações abaixadoras ligadas à distribuição, como é o caso da 
Subestação de Infulene. A energia em AT, por ter tensão elevada, 
requer maiores servidões e distância de afastamento de segurança 
a outros objectos e pessoas. 
 
 Distribuição – Transmissão de energia em Média Tensão (MT) e 
Baixa Tensão (BT) a partir das subestações abaixadoras ou 
centrais de geração de baixa potência (ex. as mini-centrais 
fotovoltaicas). Estas subestações, assim como os postos de 
transformação e/ou de seccionamento reduzem progressivamente 
a potência da corrente eléctrica até que esteja apta para os 
consumidores. A energia na rede de distribuição tem, portanto, 
uma tensão reduzida, requerendo menores distâncias de 
afastamento de segurança a obstáculos, como edifícios, árvores 
ou outras linhas aéreas, o que facilita a sua instalação e o desvio 
a eventuais obstáculos. 
 
 
4.3. Constituição de Linhas aéreas e suas características 
As linhas aéreas são construídas por: 
 Cabos condutores; 
 Cabos pára-raios; 
 Isoladores; 
 Ferragens; 
 Estruturas; 
 Fundações. 
 
 Legenda: 
(1) Condutores; 
(2) Isoladores (Cadeias de isoladores de porcelana 
ou vidro); 
(3) Estruturas de suporte (torres, postes); 
(4) Cabos para-raios (Cabos de aço colocados no 
topo da estrutura para protecção contra raios). 
 
 Figura 1 - Exemplo de uma linha de transmissão 
Capítulo 4 | TECM 2020 
 
UZ-FCT-TECM 2020, gimo.joaque@uzambeze.ac.mz 4 de 9 
 
4.3.1. Cabos Condutores 
Constituem os elementos activos propriamente ditos das LTs. Sua escolha adequada representa um 
problema de fundamental importância no dimensionamento das linhas. 
 Condutores ideais – características 
 Alta condutibilidade eléctrica; 
 Baixo custo; 
 Boa resistência mecânica; 
 Baixo peso específico; 
 Alta resistência à oxidação; 
 Alta resistência à corrosão por agentes químicos poluentes. 
Existem diferentes tipos de condutores, e os mais usados em linhas de transmissão são 
normalmente, por razões econômicas, condutores de alumínio. 
 CA: condutor de alumínio puro. 
 AAAC: condutor de liga de alumínio, de All Aluminium Alloy Conductor (AAAC). 
 CAA: condutor de alumínio com alma de aço, cuja denominação muito conhecida em inglês é 
ACSR, de Aluminium Cable Steel Reiforced. 
 ACAR: condutor de alumínio com alma de liga de alumínio, de Aluminium Cable Alloy 
Reiforced. 
 
 
Figura 2 - Cabos de Alumínio nus com alma de Aço 
 
O cabo de alumínio-aço comparado com o cabo homogéneo de cobre com a mesma resistência 
tem… 
 Maior diâmetro – pode ser vantagem ou desvantagem 
 Menor peso – vantagem 
 Maior resistência mecânica - vantagem 
Capítulo 4 | TECM 2020 
 
UZ-FCT-TECM 2020, gimo.joaque@uzambeze.ac.mz 5 de 9 
 
4.3.2. Apoios 
Um apoio para linha aérea é constituído pelo poste e respectiva fundação e ainda pelos elementos 
que suportam os condutores. 
i. Material 
 Madeira 
 Metálicos 
 Betão armado 
 
ii. Fundações 
 Madeira 
 Solo 
 Bases (betão, ferro, …) 
 Maciços 
 
 Metálicos 
 Solo 
 Maciços 
 
 Betão 
 Solo 
 
iii. Tipos de esforços 
 Verticais: esforço resultante do peso dos condutores, armações e isoladores; 
 Transversais: esforço resultante da tracção dos condutores quando estes fazem ângulos 
e/ou da acção do vento; 
 Longitudinais: esforço resultante dos diferentes esforços mecânicos aplicados pelos 
condutores dos vãos adjacentes, ou quando o esforço é aplicado apenas de um dos 
lados. 
 
 
iv. Ligação à terra 
 Apoios (metálicos e betão) 
 Caixas de fim de cabo e bainha dos cabos 
 Interruptores e seccionadores aéreos 
 
 
 
 
Capítulo 4 | TECM 2020 
 
UZ-FCT-TECM 2020, gimo.joaque@uzambeze.ac.mz 6 de 9 
 
4.3.2.1. Classificação dos apoios 
 
a) Apoio de alinhamento, se o apoio estiver 
situado num traçado rectilíneo da linha. 
b) Apoio de ângulo, se o apoio estiver num 
ângulo da linha; 
 
c) Apoio de derivação, se desse apoio 
derivarem uma ou mais linhas; 
d) Apoio com aparelho de corte e 
seccionamento. 
 
Capítulo 4 | TECM 2020 
 
UZ-FCT-TECM 2020, gimo.joaque@uzambeze.ac.mz 7 de 9 
 
e) Apoios de reforço, se o apoio estiver destinado a suportar esforços longitudinais para reduzir 
as consequências resultantes da roptura de condutores. 
 
f) Apoios de fim de linha, se o apoio for capaz de suportar a totalidade dos esforços que os 
condutores lhe transmitem de um só lado da linha. 
De uma maneira geral os apoios metálicos, usados em linhas AT e MAT, são galvanizados, tendo 
um aspecto brilhante. Em certos casos, é possível reduzir o impacto ambiental pintando os apoios 
com uma escolha de cores que se harmonize com o local. 
4.4. Manutenção de linhas de transmissão 
As actividades estabelecidas neste documento não constituem o conjunto