A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
PESSOAS JURÍDICAS

Pré-visualização | Página 1 de 1

PESSOAS JURÍDICAS
ART 40
- classificação: pessoa jurídica de direito público interno, externo ou
direito privado
- estado atribui a personalidade
- são entidades formadas por pessoa(s) e bens, a quem a lei atribui
personalidade jurídica própria
ART 41
- pessoa jurídica de direito público interno são: os estados, municípios,
DF, territórios, autarquias e entidades de caráter público emitidas pela
lei
- direito administrativo
- salvo contrário, quando puder, essa pessoa jurídica será regida pelo
direito civil
ART 42
- são PJD- público externo os demais Estados e pessoas que forem
regidas pelo direito internacional público
ART 43
- PJD- público interno tem responsabilidade civil sobre os seus agentes
quando estes lesam terceiros
- teoria do risco administrativo (nexo de causalidade - responsabilidade
objetiva para a PJ, subjetiva para o agente)
ART 44
- PJD - privado são associações, fundações, sociedades (simples ou
empresariais), organizações religiosas, partidos políticos, EIRELIS
- organizações religiosas enquanto entes autônomos com tratamento
especial vindo do direito constitucional
- CNPJ não atribui personalidade jurídica
ART 45
- a existência da PJ inicia-se com o registro do ato constitutivo
- requisitos: a�ectio societatis, observância da lei, finalidade lícita
- PJDPI nasce através da lei
- ente despersonalizado: não possui esse registro
- ato constitutivo: estatuto ou contrato social
- instituições financeiras estrangeiras, previdência privada, seguradoras,
operadoras de plano de saúde precisam de autorização estatal
- efeito: existência distinta
ART 46
- o registro deve dizer a denominação, finalidade, sede, tempo de
duração, fundo social
- o nome e a individualização dos fundadores
- a administração e a representação passiva e ativa
- se o ato constitutivo é reformável, suas condições de extinção e o
destino de seu patrimônio
- se os membros respondem ou não, subsidiariamente, a sua obrigação
social
ART 47
- os atos dos administradores obrigam a pessoa jurídica dentro de
princípios de legalidade, razoabilidade e proporcionalidade
- poderes limitados no ato constitutivo
ART 48
- em caso de administração coletiva, a decisão deve ser majoritária
(maioria simples, absoluta ou qualificada), salvo se o estatuto dispõe o
contrário
ART 49
- em falta de administrador, juiz pode escolher um provisório atendendo
requerimento de interessado
ART 49-A
- societas distat singulis
- a PJ não se confunde com seus sócios, administradores, associados ou
instituidores
ART 50
- em caso de abuso e ilícito da PJ e por isso sócios ou administradores
são beneficiados diretamente ou indiretamente, vai ocorrer a
desconsideração da personalidade jurídica
- pode ocorrer por desvio de finalidade ou confusão patrimonial
- grupo econômico não desconsidera
- aplicação dos princípios de moralidade/boa-fé
- a desconsideração é transitória e não configura despersonalização
ART 51
- o fim da PJ ocorrerá por dissolução ou cassação de seu registro e ela
subsistirá até liquidar suas obrigações
- a dissolução leva a averbação de seu registro
- após o fim da liquidação, a inscrição da PJ é cancelada
ART 52
- no que couber, direitos personalíssimos se aplicam a PJ
- honra subjetiva não é compatível
associações
ART 53
- união de pessoas para fins não lucrativos (podem ser econômicos)
- não há entre associados direitos e obrigações recíprocos
ART 54
- sob pena de nulidade, o estatuto deve conter denominação sede,
finalidade, processo de admissão e exclusão, fundo de manutenção,
direitos e deveres dos associados ....
ART 55
- todos os associados têm iguais direitos e deveres
- porém o estatuto pode instituir categorias com especiais vantagens
ART 56
- a qualidade do associado é intransmissível, salvo se o estatuto dizer
que sim
- transmissão da quota
ART 57
- a exclusão do associado só se dá por justa causa reconhecida em
procedimento com direito de ampla defesa e recurso, seguindo os
termos do estatuto
ART 58
- nenhum associado deve ser impedido de fazer as tarefas as quais têm
poderes legítimos, com exceção de disposição contrária da lei ou do
estatuto
ART 59
- compete a assembleia geral destituir administradores ou alterar o
estatuto
- para isso, ela precisa ser convocada para uma finalidade específica e
todos os critérios desse procedimento devem estar presentes no
estatuto
ART 60
- a convocação de órgão deliberativo será feita da forma que o estatuto
prevê e também quando ⅕ dos associados desejar
ART 61
- quando dissolvida a associação, seu patrimônio líquido deverá ir para
entidade de fins não econômicos definida no estatuto ou, na falta dela,
instituições de um dos entes da união com finalidade parecida
fundações
ART 62
- fundação: universalidade de bens que recebem personalidade jurídica
para realizar seus fins
- para criá-la, seu instituidor deve fazer por escritura pública, ou
testamento, dotação especial de bens livres
- deve especificar sua finalidade e , opcionalmente, dizer como
administrá-los
- a finalidade deve ser altruística
ART 63
- se os bens forem insuficientes para o fim determinado e o instituidor
não der outra alternativa, ele será incorporados a fundação com
finalidade igual ou semelhante
ART 64
- quando a fundação for fruto da escritura pública ela é irreversível e o
instituidor é obrigado a transferir-lhe a propriedade dos bens
- escritura pública irreversível
- testamento reversível
ART 65
- formulação do estatuto da fundação?
ART 66
- o Ministério Público Estadual ou do Distrito Federal velará pela
fundação
ART 67
- para se alterar o estatuto da fundação, ⅔ competentes devem deliberar
sobre a sua representação
- a alteração não deve contrariar ou desvirtuar a sua finalidade
- deve ser aprovada pelo MP
ART 68
- quando a alteração não tiver sido por maioria unânime, a minoria
perdida deve ser avisada
ART 69
- tornando-se ilícita, inútil a finalidade ou vencida o seu prazo, o MP ou
interessado pode requerer a extinção e a incorporação de seu
patrimônio, salvo disposto contrário em seus estatuto