A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
ATIVIDADE DE CÁRIE

Pré-visualização | Página 1 de 1

ATIVIDADE DE CÁRIE 
MEDIDAS DIAGNÓSTICAS RADIOLÓGICAS 
 Após finalizarmos todas as chances de diagnóstico pelo método 
tátil-visual, devemos pensar se outras ferramentas adicionais 
devem ser usadas. O método radiográfico mais utilizado para 
detecção de cárie é a radiografia bitewing (interproximal). Seu 
potencial para detectar e avaliar a profundidade de lesões cariosas 
proximais é indiscutível, e, segundo Fejerskov e Kidd (2011), 
inúmeras vantagens dessa técnica podem ser apontadas: 
➢ Superfícies inacessíveis ao exame tátil-visual podem ser 
avaliadas, permitindo que um número maior de lesões 
cariosas seja diagnosticado. 
➢ Permite a verificação da profundidade das lesões 
proximais, e, portanto, sua relação com o tecido pulpar. 
➢ É um método não invasivo. 
➢ Possibilita ao cirurgião-dentista o acompanhamento da 
progressão da lesão, pois a radiografia poderá ser 
arquivada e examinada em outro momento. 
Assim como todo exame, as radiografias bitewing também 
apresentam limitações, por exemplo, para o diagnóstico de cárie 
oclusal em esmalte ela é imprecisa. Sendo assim, essa técnica deve 
ser usada para exame da cárie oclusal em dentina e cárie 
interproximal, como um meio complementar no diagnóstico de cárie. 
A constante busca por novas tecnologias tem levado à criação de 
outras opções de medidas diagnósticas radiológicas, as chamadas 
radiografias digitais. Nesse método, não se utiliza o filme 
radiográfico tradicional, este é substituído por sensores que 
transformarão as informações em imagens digitais em um 
computador. 
MEDIDAS DIAGNÓSTICAS 
COMPLEMENTARES: 
Além dos métodos diagnósticos radiográficos, outras medidas 
podem ser usadas para auxiliar no diagnóstico da cárie, são elas: 
medidas baseadas na luz, e medidas baseadas em corrente elétrica. 
Como medidas baseadas na luz, existe disponível a Transiluminação 
por Fibra Óptica (FOTI - Fiber Optic Transilumination); o 
DIAGNOdent; e ainda a Quantificação da Fluorescência induzida por 
Luz (QLF). A FOTI é uma técnica de inspeção visual avançada, com 
base em propriedades de espalhamento de luz em esmalte, analisa 
a diferença que há nas propriedades da reflexão de luz entre o 
esmalte sadio e o poroso (por cárie). É considerado um método de 
fácil aplicação, não invasivo e bem confortável ao paciente 
(SOARES et al., 2012). O DIAGNOdent é um aparelho que utiliza a 
diferença de fluorescência entre esmalte saudável e 
desmineralizado para o diagnóstico da cárie. Essa diferença é 
convertida em uma escala numérica de 0 a 99, e quanto maior o 
número, mais profunda é a lesão. Seu uso pode ser importante 
para acompanhamento da progressão de lesões durante o tempo. 
Por fim, o QLF, que avalia a estrutura do dente pela sua 
propriedade de apresentar fluorescência quando se aplica a uma 
fonte de luz ultravioleta, nos casos de desmineralização, haverá 
perda de sua fluorescência natural e manchas escuras serão 
observadas na imagem. Essa técnica pode ser bem aplicada para 
diagnóstico de cárie em estágio inicial e monitoramento de sua 
progressão. Dentre as medidas baseadas em Corrente Elétrica, 
destacase a Medição de Condutância Elétrica (ECM - Electrical 
Conductance Measurement). 
O ECM é um aparelho que diagnostica a cárie baseado na diferença 
de condutividade elétrica entre a região sadia e cariada do dente. 
Quando há desmineralização, ocorre um aumento da porosidade e 
diminuição da resistência do esmalte, aumentando a condutividade 
elétrica do dente. A aplicação dessa técnica possibilita o 
acompanhamento das lesões sendo mais efetivo do que o método 
radiográfico, contudo, seu alto custo e tempo dispendido para 
utilização inviabilizam o uso em consultório. 
INDICES DE CÁRIE DENTAL 
Antes de começarmos o nosso estudo, precisamos alinhar o 
conceito de índice. O índice é uma escala graduada, numérica com 
limites superiores e inferiores, com contagens na escala 
correspondentes a critérios específicos e que aborda mais de um 
aspecto sobre um determinado tema. Os índices são geralmente 
utilizados em epidemiologia parase conhecer e mensurar algumas 
situações/doenças na população. Para isso, os índices precisam ter 
algumas propriedades, são elas: 
➢ Validade – deve medir o que se propõe a medir. 
➢ Confiabilidade – deve ser capaz de medir regularmente 
em momentos diferentes e sob uma série de condições. 
Deve possibilitar que examinadores diferentes 
interpretem os dados e usem-no do mesmo modo. 
➢ Clareza, simplicidade e objetividade – critérios claros. 
➢ Quantificação – deve ser fácil para análise estatística. 
➢ Sensibilidade – deve ser capaz de detectar desvios 
clinicamente relevantes apesar de pequenos em qualquer 
direção na condição. 
➢ Aceitação – Não deve ser doloroso ou desrespeitoso 
para o indivíduo. 
CONTROLE E PREDIÇÃO DA CÁRIE: 
A maneira de se estabelecer o risco da doença deve ser fácil, 
rápido, apresentar bom custo/benefício e assim fornecer 
subsídios para definir o tratamento a ser realizado, bem como a 
periodicidade do retorno ao consultório. Para se realizar a predição 
da cárie dentária, é importante antes, se estabelecer os fatores 
de risco envolvidos na doença, desde os mais comuns como dieta, 
higiene até os mais difíceis de serem mensurados, como os fatores 
sociais, comportamentais e ambientais. A correta compreensão 
desses fatores pode ser útil no controle da doença, no 
estabelecimento da necessidade de diagnósticos complementares, 
na identificação de pacientes que necessitam de medidas de 
controle da cárie, na determinação do impacto das medidas de 
controle, na definição do melhor plano de tratamento, além de 
estipular os intervalos das consultas de manutenção preventiva. É 
consenso entre os autores, que mais importante do que realizar a 
predição futura da cárie, é o controle das lesões cariosas que o 
paciente apresenta no momento da consulta. Dessa forma, a 
avaliação da atividade de cárie dentária torna-se fundamental no 
seu diagnóstico e tratamento. Ressalta-se que a avaliação de risco 
e da atividade da doença não é um processo estático podendo 
variar entre as consultas do paciente ao consultório. Dessa 
maneira, esses procedimentos devem ser feitos para todos os 
pacientes e reavaliadas periodicamente afim de se estabelecer o 
correto controle e predição da doença.