A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
14 pág.
Pessoa Natural (Direito Civil Resumido)

Pré-visualização | Página 1 de 4

PESSOA NATURAL
• Pessoa = núcleo do Direito Civil
• Relações jurídicas = vínculos entre pessoas = objeto do Direito Civil
PERSONALIDADE JURÍDICA / CIVIL
Aptidão genérica para titularizar direitos e obrigações
Atributo para ser titular de direitos e obrigações.
SUJEITO DE DIREITO
 “Sujeito de direito” não significa necessariamente ter personalidade jurídica (pode ou não ter)
 Personificado (PN ou PJ) = pode fazer tudo que a lei não proíba
aptidão genérica para ser titular de direitos
 Não-personificado = só faz o que a lei autoriza
sem aptidão genérica pra ser titular de direitos, mas apenas com aptidão específica
(ex: massa falida, nascituro, condomínio...)
AQUISIÇÃO PELA PESSOAL NATURAL
• PN = Ente de existência visível
(PJ seria existência virtual)
• Aquisição da personalidade jurídica/civil = desde o nascimento com vida
desde o funcionamento do aparelho cardiorespiratório,
ainda que por breve instante (basta respirar a 1º vez),
sendo irrelevante o rompimento do cordão umbilical
	sendo irrelevante a forma humana ou o funcionamento perfeito dos órgãos (viabilidade)
	sendo irrelevante o tempo de vida após a 1º respiração (sobrevida)
*respirou e morreu logo em seguida = obteve personalidade
registro de nascimento + de óbito (natimorto)
cota de herança irá p/ mãe, por ex.
*morreu antes mesmo de respirar = não obteve personalidade
	só registro de óbito (natimorto)
	exame pra saber se houve respiração = docimasia hidrostática
	certidão de nascimento e de óbito = atos declaratórios (atestam fatos passados - efeito ex tunq)
	x
	registro da pessoa jurídica = ato enunciativo (vale pra frente – efeito ex nunq)
• Direitos do nascituro = desde a concepção
nascituro = aquele que tem vida intrauterina (dentro do útero)
não confunda com embrião (só é nascituro após a nidação)
		não confunda com concepturo / prole eventual (ainda nem foi concebido)
	nascituro tem personalidade?
	- teoria natalista = nascituro não é pessoa, só tem expectativa de direitos (só é pessoa após nascer c/ vida)
	- teoria da personalidade formal/condicional = nascituro é quase pessoa
	- teoria concepcionista = nascituro é pessoa (desde a concepção – considerando a nidação)
	*CC, em sua letra fria, adotou a Teoria Natalista (ainda prevalece)
	Mas o ordenamento jurídico e jurisprudencial vem caminhando p/ Teoria Concepcionista (mas ainda é fraca)
	
Enunciado 1 da 1º Jornada de D.Cvil
“a proteção ao nascituro alcança o natimorto no que concerne aos direitos de personalidade,
tais como nome, imagem e sepultura – eficácia horizontal e dignidade da pessoa humana”
		- tem direito a indenização por dano moral
		- tem direito a DPVAT por morte do nascituro
		- pode receber doação
		- pode ser beneficiado por legado e herança
		- pode ser-lhe nomeado curador p/ defesa de seus interesses
CAPACIDADE
Aptidão para adquirir direitos e contrair obrigações
CLASSIFICAÇÃO
- Capacidade de direito / gozo
desde o nascimento com vida (vem junto c/ a aquisição da personalidade jurídica)
as duas andam juntas, alguns dizem até ser a mesma coisa
	todo mundo tem = não existe “incapaz de direito”
	*já tem os direitos, mas não pode exercer sozinho = incapaz
	*exerce os direitos por meio de um representante
genitores, pros menores
tutores, pros menores sem genitores
curadores, pros maiores incapazes
- Capacidade de fato / exercício
	
nem todo mundo tem
	*pode exercer os direitos sozinho = capaz
	 capacidade de direito + capacidade de fato = capacidade plena
Capacidade x Legitimidade
Capacidade = poder casar – genericamente (por ser capaz)
Legitimidade = poder casar com fulano – especificamente (por não haver vedação pra casar com ele)
Incapacidade = não pode fazer as coisas – genericamente
Ilegitimidade = não pode fazer algo – especificamente
INCAPACIDADE
Incapazes podem exercer atos da vida civil?
Sim, mas por intermédio do seu representante (sentido amplo)
 Absoluta
	Menores de 16 anos – Menor impúbere (incapacidade natural)
	*até têm vontade, mas esta é irrelevante para o direito
	(salvo quanto à adoção – menor terá que ser ouvido previamente – ECA)
	• Serão representados (representantes)
	• Agindo sozinhos = atos nulos (em regra*)
 Relativa
	Menores de 18 anos – Menor púbere (incapacidade natural)
	Ébrios habituais – Alcóolatras
Viciados em tóxicos – Drogados
Prógidos – Gastadores
	Aqueles que não podem exprimir sua vontade (causa transitória ou permanente)
 
	• Serão assistidos (assistentes)
	• Agindo sozinhos = atos anuláveis (em regra*)
	*incapacidade relativa = “capacidade relativa”
*Atos válidos, mesmo praticados sozinhos
Menor de 18 pode
ser testemunha – só é vedado ao Menor de 16 (art. 228)
Menor de 16 pode
ser mandatário – aceitar mandato (art. 666)
testar – fazer testamento - (art. 1860)
responder pelos prejuízos que causar (art. 928)
	celebrar contrato de trabalho
	votar facultativamente
CURATELA E TOMADA DE DECISÃO APOIADA
Arts. 1767 a 1783-A, CC
Curatela = assistente do maior incapaz
	e se um incapaz realiza um ato/contrato e posteriormente ele é curatelado?
	por ato constitutivo (efeitos ex nunq) = o negócio está ok
	por ato declaratório (efeitos ex tunq) = o negócio apresenta vício
	esse ato anterior à curatela poderá ser revisto/impugnado?
	comprando que a condição de incapacidade já existia, que a parte que fez o negócio tinha ciência
dessa falta de discernimento, e que esse ato tenha sido danoso à pessoa sem discernimento
	curadoria do pródigo
	restringe-se a aspectos patrimoniais (ex: regime de bens)
	não alcança aspectos pessoais (pode casar, ter poder familiar, ser testemunha, votar...)
Tomada de decisão apoiada = PCD elege mín. 2 pessoas de confiança p/ apoiar-lhe nas deciões
NEGÓCIOS JURÍDICOS
Negócio concluído pelo representante
em conflito com os interesses do representado
se quem negociou souber disso – sabia ou deveria saber	(art. 119)
	
• Ato anulável (prazo decadencial de 180 dias)
• Pode acarretar Resp.Civil do representante
ler e marcar arts. 104 a 120
CASOS ESPECIAIS
	Ausência
	Capacidade, Atos Válidos
	Aquele que se ausentou e não deu notícias.
Não se tornou incapaz,
está vivendo normalmente em outro lugar.
	Senilidade
	Capacidade, Atos Válidos
	Idade avançada, por si só,
não é causa de incapacidade
	Surdos-Mudos
	Manifetando vontade = capazes
Não manifestando vontade = relativamente incapazes
	
	Índios
	Inserido em sociedade = capazes
Não inseridos = incapazes (atos nulos)
	Lei especial (Lei 6.001)
regulará a capacidade dos índios
OUTRAS OBSERVAÇÕES
• Curador exerce um “múnus público”
será nomeado por processo judicial
• Não há prescrição contra absolutamente incapaz (art. 198)
• Mútuo feito a menor não pode ser reavido (art. 588)
salvo hipótese do art. 589
• Menor ou curatelado pode cobrar dívida de jogo paga voluntariamente (art. 814, in fine)
	dívida de jogo é inexigível
	credor não pode cobrar
mas se o devedor pagar, não pode pedir devolução (só o menor ou curatelado)
• Não haverá partilha amigável se houver incapazes (art. 2015)
• Menor púbere perde a proteção se ocultar dolosamente a idade ao obrigar-se (art. 180)
• Incapazes podem ser responsabilidades subsidiariamente pelos atos lesivos praticados (art. 928)
• Aos incapazes serão nomeados curadores especiais para atuação em juízo (art. 72, CPC)
EMANCIPAÇÃO
Em regra, a capacidade plena inicia aos 18 anos
	- pode exercer todos os atos da vida civil
	- cessa o poder familiar sobre esse indíviduo
	(mas atenção: o cancelamento de pensão alimentícia depende de decisão judicial – não é automática)
Como antecipar?
 Voluntária
	• por vontade dos pais – ou por um deles, na falta justificada do outro
*quem tem a guarda não pode decidir sozinho (a guarda de um não tira o poder familiar do outro)
*em caso de divergência, o juiz decide
	• perante um cartório, por escritura pública (via administrativa – não há homologação do juiz)
	• idade mínima: 16 anos
• decisão irrevogável
		*havendo vício de consentimento, a decisão pode ser anulada
(ex: filho ameaça o pai p/ emancipá-lo = o menor não pode exigir a emancipação)