A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
TDAH - Farmacologia

Pré-visualização | Página 1 de 1

Acadêmica: Maria Beatriz @biawtiful 
 
 
 
 
 
 
O diagnóstico correto requer uma investigação médica, 
neuropsicológica, educacional e social. As características 
comumente relatadas incluem: historia de déficit de 
atenção, distractibilidade, labilidade emocional, 
impulsividade, hiperatividade moderada a grave, sinais 
neurológicos menores e EEG anormal. O aprendizado pode 
ou não estar prejudicado. O diagnostico deve ser baseado 
na historia e avaliação da criança e não apenas na 
presença de uma ou mais dessas características.. o 
tratamento medicamentoso não é indicado para todas as 
crianças com esta síndrome. (Bula da Ritalina). 
A prevalência é maior em meninos do que em meninas. A 
etiologia complexa e forte envolvimento genético. Muitos 
estudos em gêmeos de TDAH de diferentes países 
produziram consistentemente estimativas de 
herdabilidade muito altas de cerca de 76%. 
 
{NEUROLOGIA} 
O córtex pre frontal dorsolateral está ligado a memoria 
de trabalho, o córtex pré-frontal ventromedial à tomada 
de decisões complexas e ao planejamento estratégico, e 
o córtex parietal á orientação da atenção. B) o TDAH 
envolve as estruturas subcorticais (visão medial) do 
cérebro. O córtex cingulado anterior ventral e o córtex 
cingulado anterior dorsal são componentes afetivos e 
cognitivos do controle executivo. Juntamente com os 
gânglios da base, eles formam o circuito frontoestriatal. 
Estudos de neuroimagem mostram anormalidades 
estruturais e funcionais em todas essas estruturas em 
pacientes com TDAH, estendendo-se até a amígdala e o 
cerebelo. C) circuitos de neurotransmissores no cérebro 
estão envolvidos no TDAH. O sistema de dopamina 
desempenha um papel importante no planejamento e no 
 
 
 
 
 
inicio de respostas motoras, ativação, troca, reação à 
novidade e processamento de recompensa. O sistema 
noradrenérgico influencia a modulação da estimulação, os 
processos cognitivos dependentes do estado e a 
preparação cognitiva de estímulos urgentes. 
 
Neuroquímica: menor quantidade de transportadores 
• Primeira escolha: ritalina (metilfenidato), venvanse (lis-
dexanfetamina), concerta e ritalina LA (metilfenidato – 
ação prolongada). 
• Efeitos colaterais Metilfenidato: insônia, dor abdominal, 
cafaleia, propensão ao choro, diminuição do apetite, 
tiques, tontura, náuseas, roer unhas, etc. 
• Mecanismo de ação: inibir transportador da dopamina -
> aumenta disponibilidade de dopamina na fenda. 
A cocaína também tem esse mecanismo e também 
aumenta os níveis de serotonina, diferentemente do 
metilfenidato.