A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
TRIBUTÁRIO I

Pré-visualização | Página 2 de 2

e América Latina não mais preveem em suas constituições a exoneração 
fiscal para os templos de qualquer culto. Importante citar que, dentre os países 
que não preveem a imunidade fiscal, está a Argentina, que inclusive tem 
estabelecida uma religião oficial no país. Ainda na América 
 
Latina, não exoneram de tributação os templos de qualquer culto os seguintes 
países: Paraguai, Chile, Colômbia e Venezuela. 
c) é possível excluir referida imunidade da Constituição? 
 
Conforme entendimento majoritário da doutrina pátria, bem como 
entendimento do STF, a exclusão da referida imunidade tributária seria uma 
ofensa direta ao dispositivo constitucional, sendo imodificável por ementa 
constitucional por tratar-se de cláusula pétrea, 
d) qual a opinião do grupo sobre a forma como vem sendo utilizada 
referida imunidade no Brasil? 
A imunidade tributária vem sendo utilizada de forma imoral no País. 
Atualmente não mais se tem como objetivo a ‘proteção a liberdade religiosa’. A 
imunidade tributária para os templos de qualquer culto no Brasil tem sido usada 
para que se possa concentrar ainda mais dinheiro nos referidos templos, os 
quais esbanjam boas estruturas, pagando altos salários para seus líderes, sendo 
que boa parte da população brasileira (12,492,403 brasileiros, conforme senso 
demográfico de 2000) não possuem vínculo religioso. 
e) Há alternativas úteis para remediar a atual situação? 
 
Uma das alternativas úteis seria a extinção da imunidade, eis que esta não 
mais se faz necessária para a proteção a liberdade religiosa, conforme já 
mencionado na alternativa ‘d’, 
 
 
8. Ainda em relação às imunidades, considerando a situação veiculada na 
mídia sobre o Instituto Lula: caso seja comprovado que realizava 
pagamentos à empresas de seus filhos com intuito de distribuir lucros de 
forma disfarçada, e não em razão de serviços efetivamente prestados, 
poderá o Instituto vir a perder a imunidade fiscal? 
 
Sim, se for comprovado que o Instituto Lula realizava pagamentos às 
empresas de seus filhos com intuito de distribuir lucros de forma disfarçada, e 
não em razão de serviços efetivamente prestados, poderá perder a sua 
imunidade fiscal, uma vez que conforme o artigo 150, inciso VI, "c", da 
 
Constituição Federal que prevê a imunidade fiscal, será suspenso o benefício, 
pela autoridade competente, se a mesma não cumprir com os requisitos. 
Nesse sentido, um dos requisitos é a proibição da distribuição a terceiros 
de patrimônio ou renda da entidade imune, seja diretamente ou indiretamente. 
No caso do Instituto, têm-se que, entre os anos de 2011 e 2017, foram pagos 
pelo Instituto e pela empresa LILS, R$ 1,76 milhão a empresas dos filhos de Lula. 
Já a G4 Entretenimento e Tecnologia Digital Ltda recebeu R$ 1,34 milhões, 
empresa da qual são sócios os filhos de Lula. Além da empresa FlexBR 
Tecnologia Ltda, que também tem como sócios seus filhos. A Receita Federal, 
então, afirma que existe uma 'confusão patrimonial' entre o Instituto e a LILS. 
 
Conforme Jurisprudência abaixo, pode-se perceber que um dos requisitos 
para a imunidade fiscal é a não distribuição de lucros aos seus sócios ou 
fundadores, justamente o que ocorreu no caso do Instituto Lula, onde realizou o 
pagamento às empresas de seus filhos. 
 
Ementa: APELAÇÃO CÍVEL. REEXAME NECESSÁRIO. MANDADO DE 
SEGURANÇA. DIREITO TRIBUTÁRIO. IMPORTAÇÃO DE BENS PARA 
USO PRÓPRIO. INSTITUIÇÃO EDUCACIONAL E ASSISTENCIAL. 
NÃO-INCIDÊNCIA DO ICMS. Os critérios 
infraconstitucionais de classificação dos impostos não podem ser 
utilizados para o fim de determinar o alcance da 
imunidade constitucional prevista no art. 150, inciso VI, letra `a¿, da 
Constituição Federal. No caso da importação por instituição de educação 
e de assistência social, incide a imunidade constitucional relativamente 
ao ICMS, inclusive, porque a entidade, Fundação 
Universidade de Passo Fundo, atende aos requisitos 
estabelecidos no art. 14 do CTN: a) não distribui lucros aos seus sócios 
ou fundadores; b) aplica integralmente no país, em suas finalidades 
institucionais, os seus recursos; e c) mantém contabilidade organizada. 
NEGARAM PROVIMENTO AO APELO E CONFIRMARAM A 
SENTENÇA EM REEXAME. UNÂNIME. (Apelação 
e Reexame Necessário Nº 70022306567, Segunda Câmara Cível, 
Tribunal de Justiça do RS, Relator: Adão Sérgio do Nascimento 
Cassiano, Julgado em 04/06/2008). 
 
Dessa forma, conforme explanado acima, o fato do Instituto de Lula 
realizar o pagamento às empresas de seus filhos poderá fazer com que perca a 
imunidade fiscal. 
 
REFERÊNCIAS: 
 
ALEXANDRE, Ricardo. Direito Tributário. 11. ed. Salvador: JusPodivm, 2017. 
Disponível em: 
https://www.acidadeon.com/politica/NOT,0,492,1155765,Tributarista+avalia+qu 
e+Instituto+Lula+pode+perder+imunidade+fiscal.aspx>. Acesso em: 17 abr. 
2017. 
 
RIO GRANDE DO SUL. Tribunal de Justiça. Reexame Necessário. Nº 
70022306567, Segunda Câmara Cível. Relator: Adão Sérgio do Nascimento 
Cassiano. Porto Alegre, 04/06/2008. Disponível em:< 
http://www1.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_processo.php?nome_comarc 
a=Tribunal+de+Justi%E7a&versao=&versao_fonetica=1&tipo=1&id_comarca=7 
00&num_processo_mask=70022306567&num_processo=70022306567&codE 
menta=2387779&temIntTeor=true>. Acesso em: 17 de abr. 2017. 
https://www.acidadeon.com/politica/NOT%2C0%2C492%2C1155765%2CTributarista%2Bavalia%2Bque%2BInstituto%2BLula%2Bpode%2Bperder%2Bimunidade%2Bfiscal.aspx
https://www.acidadeon.com/politica/NOT%2C0%2C492%2C1155765%2CTributarista%2Bavalia%2Bque%2BInstituto%2BLula%2Bpode%2Bperder%2Bimunidade%2Bfiscal.aspx
http://www1.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_processo.php?nome_comarca=Tribunal%2Bde%2BJusti%E7a&versao&versao_fonetica=1&tipo=1&id_comarca=700&num_processo_mask=70022306567&num_processo=70022306567&codEmenta=2387779&temIntTeor=true
http://www1.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_processo.php?nome_comarca=Tribunal%2Bde%2BJusti%E7a&versao&versao_fonetica=1&tipo=1&id_comarca=700&num_processo_mask=70022306567&num_processo=70022306567&codEmenta=2387779&temIntTeor=true
http://www1.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_processo.php?nome_comarca=Tribunal%2Bde%2BJusti%E7a&versao&versao_fonetica=1&tipo=1&id_comarca=700&num_processo_mask=70022306567&num_processo=70022306567&codEmenta=2387779&temIntTeor=true
http://www1.tjrs.jus.br/site_php/consulta/consulta_processo.php?nome_comarca=Tribunal%2Bde%2BJusti%E7a&versao&versao_fonetica=1&tipo=1&id_comarca=700&num_processo_mask=70022306567&num_processo=70022306567&codEmenta=2387779&temIntTeor=true