A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
TCC I (ATLETISMO)

Pré-visualização | Página 2 de 2

coerente e conseqüente sobre o melhor momento da iniciação esportiva. Se respeitadas as características de desenvolvimento motor, cognitivo, afetivo, social e moral das crianças, a iniciação esportiva, com pequenas variações, dependendo das especificidades da modalidade, deve ocorrer no final da segunda infância, ou seja, entre 10 a 12 anos de idade (2002, p. 144).
Segundo Gallahue (2005), a criança está com habilidades básica de manipulação, locomoção e estabilização. Neste contexto, de acordo com Greco e Benda (1998) fica claro que dos 6 aos 12 anos, busca desenvolver de forma geral as capacidades motoras e coordenativas, contudo, é correto constatar que partir para lado lúdico ajuda no andamento do processo. 
Segundo Clark (1994) as habilidades motoras fundamentais aparecem em uma ampla variedade de esportes, de jogos e de outras atividades motoras nas quais nos engajamos. Todavia, o atletismo é um exemplo de modalidade que oferece um amplo campo de diferentes habilidades.
De acordo com Manoel (1994) a aquisição das habilidades motoras fundamentais pode parecer natural, no entanto, é grande o número de indivíduos que não atinge a fase de “padrão maduro”. Isso pode acarretar sérios problemas na aquisição de habilidades mais específicas e importantes para o dia-a-dia. Nesse caso, é importante que a criança esteja estimulando as habilidades motoras nas atividades que praticam.
Morgan (1977) descreve o desenvolvimento como um processo na qual, o indivíduo constrói ativamente suas características, nas relações que estabelece com o ambiente físico e social. A vista disso é evidente que o desenvolvimento motor só ocorre com a prática das atividades em que o indivíduo terá que utilizar de seus movimentos para realizar sua tarefa.
Toda criança tem necessidade de movimento, esta necessidade é de fundamental importância para o seu desenvolvimento motor. É importante que ascrianças tenham acesso às diversificações motoras, adquirindo uma gana considerável de movimentos, que terão uma cultura motora necessária para tarefas com maior grau de complexidade (FREIRE, 1998, p. 34).
Para Rezende (2010), este processo pode ser compreendido como desempenho motor, que está associado aos componentes da aptidão física (força, flexibilidade, RML, resistência aeróbia e composição corporal), e também está relacionado ao desempenho (velocidade, agilidade, coordenação e equilíbrio).
De acordo com Tani, Basso e Correa (2012, p. 344): 
O aumento de diversidade do comportamento resulta na ampliação do repertório motor na horizontalidade. Posteriormente, elementos do comportamento como andar, correr, saltar e arremessar interagem entre si para formar estruturas cada vez mais complexas de movimento, resultando na ampliação do repertório motor na verticalidade. Por exemplo, o elemento correr interage com o elemento quicar uma bola dando origem a uma estrutura mais complexa denominada de driblar. De fato, ao longo da infância, uma grande variedade de combinações pode e deve ser estruturada, com ganho crescente em complexidade.
Tsukamoto e Nunomura, (2005), explicam as contribuições proporcionadas pela prática esportiva, quando orientada adequadamente, abrangem todas as dimensões do desenvolvimento, seja social, cognitivo, afetivo, físico ou motor. Sendo assim a prática da formação esportiva, envolvem conhecimentos gerais do esporte e da modalidade escolhida, onde todos os praticantes deveriam possuir, e como resultado tem-se a assimilação de comportamentos que os praticantes deverão manifestar em todas outras situações relacionadas ao esporte no momento da prática.
Segundo Matthiesen (2005, p.16) o atletismo é uma modalidade fantástica, pois possibilita ao praticante desenvolver suas diferentes habilidades em um único esporte. [...] o trabalho com crianças é um bom começo para o ensino desta modalidade que envolve habilidades motoras por elas utilizadas cotidianamente.
7. CRONOGRAMA DA PESQUISA
	Etapas
	Março
	Abril
	Maio
	Elaboração do projeto
	X
	X
	X
	Revisão de literatura
	X
	X
	
	Apresentação do projeto
	
	X
	
	Conclusão e redação
	
	X
	
	Correção ortográfica
	
	X
	X
	Entrega
	
	
	X
8. RESULTADOS ESPERADOS
	A expectativa em nossa pesquisa é expor o método que apresente o papel e importância do Atletismo para crianças, quando estas terão seus primeiros contatos com o esporte, ou seja, na sua fase de iniciação esportiva. No entanto esperamos referir o atletismo como esporte base, como um trabalho de continuidade ao que é praticado pelas crianças no dia-a-dia, porém de forma mais integra, ou seja, estimulados em todas as habilidades, sendo através das corridas, saltos, arremessos e lançamentos.
9. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs).Educação Física. V.7. Brasília:1997. 
BRAGADA, José. O Atletismo na Escola: Proposta programática para abordagem dos lançamentos “leves”. Horizonte - Revista de Educação Física e Desporto, v. XVII, n 99, Jun-Jul, 2000.
CLARK, J. E. Motor development. Encyclopedia of human behavior. 3(1):245-255, 1994.
GALLAHUE, D.L.; OZMUN, J.C. Compreendendo o desenvolvimento motor: bebês, crianças, adolescentes e adultos. 3ª ed. São Paulo: Phorte, 2005.
Gomes, Cecília Leda Jordão. O atletismo como conteúdo pedagógico e formativo. Londrina. Objeto de Aprendizagem Colaborativo, 2008.
GONÇALVES, Gilberto – História do Atletismo, Trabalhos Escolares Prontos, disponível em http://www.coladaweb.com: Acessado em 27/04/2021.
Greco, Pablo Juan; Benda, Rodolfo Novellino. Iniciação esportiva universal. 1. ed. Belo Horizonte: UFMG, 1998.
MATTHIESEN, S. Q. Atletismo se aprende na escola.Jundiaí, SP: Editora Fontoura, 2005.
MORGAN, C.T. Introdução à Psicologia. Trad. Auriphebo Simões. São Paulo: Mc Graw- Hill do Brasil, 1977.
TSUKAMOTO, Mariana H. Cruz; NUNOMURA, Myrian. Iniciação esportiva e infância: Um olhar sobre a ginástica artística. Revista Brasileira de Ciência do Esporte, Porto Alegre. v. 6, n. 3, p. 159-176, maio 2005.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.