A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
NORMAS E ROTINAS DO CENTRO CIRÚRGICO

Pré-visualização | Página 1 de 4

1
CENTRO CIRÚRGICO 
 
CIRURGIA: É UM MÉTODO DE TRATAMENTO DE DOENÇAS, LESÕES OU DEFORMIDADES 
INTERNAS E EXTERNAS EXECUTADO ATRAVÉS DE TÉCNICAS GERALMENTE REALIZADAS 
COM AUXÍLIO DE INSTRUMENTAIS. 
A partir desse conceito de cirurgia, podemos dizer que enfermagem cirúrgica é aquela 
que trata dos cuidados globais de enfermagem prestados ao paciente nos períodos pré-
operatório, transoperatório e pós operatório. Esses cuidados objetivam minimizar os 
riscos cirúrgicos, dar maior segurança ao paciente e reabilitá-lo para se reintegrar à 
família e à sociedade o mais rápido possível. 
 
NORMAS E ROTINAS DO CENTRO CIRÚRGICO 
 
ÉTICA 
Ética é o conjunto de normas pelas quais a pessoa deve orientar o seu comportamento. 
A ética profissional tem como objetivo promover o ajustamento do técnico no ambiente 
hospitalar, contribuindo para um trabalho racional, agradável e eficiente propenso ao 
alcance do êxito na profissão. O profissional desta área deve ter consciência profissional, 
não hesitar no momento de dúvida e aceitar com modéstia o que lhe é ensinado. 
A Consciência e a responsabilidade constituem a base da consciência profissional, que 
deve sofrer constante aprimoramento para que suas funções sejam corretas. 
A discrição é o objetivo exigido para um bom profissional. Guardar para si fatos vistos 
e/ou ouvidos no exercício da profissão. Discrição significa também reserva nas atitudes 
nos falatórios desnecessários. 
Ser leal com o paciente, mesmo nos momentos de angústia e medo. 
Ser leal com os colegas de profissão, ser cortês e cooperativo. Esta são atitudes 
necessárias para a boa harmonia. 
Ser leal com a Instituição em que trabalha, respeitando os regulamentos vigentes. 
O Centro cirúrgico deve ser dotado de uma infra estrutura tal que garanta plena 
segurança e conforto ao paciente e à equipe de saúde. A Central de Material (CEMAT) e 
a recuperação pós anestésica (RPA) são apoios importantes para o centro cirúrgico. Por 
esta razão geralmente são instalados dentro ou próximo a ele, ou então tem com ele 
uma ligação direta. 
Um Centro cirúrgico compõe-se de várias dependências e necessita de pessoal 
especializado para o seu perfeito funcionamento. 
 
 
 
 
2
CONCEITO CENTRO CIRÚRGICO 
Definição de Centro Cirúrgico, segundo o LAMB (2000) propõe novo conceito: 
Definição “Unidade de Centro Cirúrgico é o conjunto de ambientes, devidamente localizados, dimensionados, inter-relacionados e dotados de instalações e equipamentos, com pessoal qualificado e treinado para a realização de procedimentos cirúrgicos, de forma a oferecer o máximo de segurança aos pacientes e às melhores condições de trabalho para a equipe técnica.” 
 
Centro Cirúrgico é uma unidade especializada de um hospital, constituída por sala de 
cirurgia, destinada à realização de procedimentos de qualquer natureza, que venha a 
requere intervenção cirúrgica, bem como à recuperação pós anestésica e pós operatória 
imediata. 
Devido às suas características é considerada uma unidade de alerta máximo, haja vista 
a necessidade continua de prevenção e controle dos riscos associados à condição que 
determinou a intervenção cirúrgica, a condição do cliente na internação, a própria 
tecnologia de intervenção e a capacidade instalada da unidade com destaque especial 
para as condições de trabalho e o preparo dos recursos humanos. 
NORMATIZAÇÃO 
 Portaria MS nº 400/77 
Portaria MS nº 400/77 - Aprova as normas e padrões sobre construções e instalações de 
serviços de saúde; 06/12/77. Caráter restritivo e pouco flexível 
 Portaria 1889/94 
11/11/1994 Considera: Princípios do SUS; Globalidade do Projeto; Multidisciplinaridade; 
Orientação sobre Planejamento de redes físicas de saúde; Normatização de projetos 
arquitetônicos e de engenharia; Necessidade dotar Secretarias de Instrumento Norteador. 
 
3
 RDC 50 - Norma para projetos físicos de estabelecimentos assistenciais de saúde 
 
1. FINALIDADES 
 
O Centro Cirúrgico tem como finalidades: 
- Realizar intervenções cirúrgicase endoscópicas e encaminhar o paciente à 
unidade de origem, na melhor condição possível de integridade; 
- Servir de campo de estágio para a formação e aprimoramento de recursos 
humanos; 
- Desenvolver programas e projetos de pesquisa, voltados especialmente para o 
desenvolvimento científico e tecnológico de ponta; 
- Constituir-se em unidade de referência e contra referência; 
Realizar o preparo, esterilização, guarda e encaminhamento de material para o 
hospital, desde que observada a estrutura organizacional e competências. 
 
ATIVIDADES BÁSICAS 
 realizar a correta escovação das mãos; 
 executar cirurgias e endoscopias em regime de rotina ou em situações de urgência; 
 realizar relatório médico e de enfermagem e registro das cirurgias e endoscopias 
realizadas; 
 proporcionar cuidados pós-anestésicos; garantir apoio diagnóstico necessário e retirar 
órgãos para transplantes. 
 
2. LOCALIZAÇÃO 
 
Segundo o Ministério da Saúde deve ser localizada a UNIDADE de Centro 
Cirúrgico do modo a ficar livre do trânsito de pessoas e materiais estranhos ao 
trabalho que nele se realiza. 
Observando que as salas estejam agrupadas e com boa circulação, em local com 
pouco ruído e estar próxima ou ter fácil acesso às unidades cirúrgicas, bem como 
as unidades de tratamento intensivo, quando houver. 
 
3. ESTRUTURA FÍSICA 
 
3.1 O Centro Cirúrgico divide-se em três setores: 
 Centro Cirúrgico, propriamente dito. 
 Sala de Recuperação Pós Anestésica (SRPA). 
 Centro de Material e Esterilização. 
 
Em hospitais de grande porte (mais de 151 leitos) a Central de Material e 
Esterilização, fica anexa ao Centro Cirúrgico, mas como uma unidade 
independente. 
 
 
 
 
 
 
 
4
3.2 O Centro Cirúrgico também pode ser dividido, em três áreas: 
 Área Restrita: área limitada de circulação de pessoal e equipamento, com 
rotinas próprias para o controle e manutenção da assepsia. Exemplos: Sala de 
Cirurgia 
 Área Semi Restrita: área que permite a circulação de pessoal e de 
equipamentos de modo a não interferir nas rotinas da Área Restrita. 
Exemplos: RPA, Guarda de Materiais e Equipamentos, corredores, Estar 
Médico,etc. 
 Área Não Restrita: área de circulação livre ao ambiente interno do centro 
cirúrgico. Exemplos: Vestiários, secretaria, recepção, etc. 
 
3.3 Segundo a Portaria 1884, o Centro Cirúrgico é composto basicamente de: 
 Área de Recuperação do paciente; 
 Sala de guarda e preparo de anestésico: sala de indução anestésica; 
 Sala de escovação (lavabo); 
 Sala de pequena cirurgia (Oftamologia, Endoscopia, Otorrinolaringologia, 
etc.) 
 Sala de média cirurgia (Ortopedia, Neurologia, Cardiologia, etc.); 
 Sala de apoio às cirurgias especializadas; 
 Área para prescrição médica; 
 Posto de Enfermagem e serviços; 
 Sala de recuperação pós anestésica. 
 
O Centro Cirúrgico é composto também, de ambiente de apoio, tais como: 
 Sala de utilidades; 
 Sanitário com vestiários para funcionários (barreira); 
 Sala de espera para acompanhantes (anexa à unidade); 
 Sala de equipamentos e materiais; 
 Sala de administração; 
 Copa; 
 Depósito de material de limpeza (DML); 
 Depósito de equipamento; 
 Sala Administrativa / área de registro; 
 Área para guarda de macas e cadeira de roda; 
 Sanitários com vestiário para pacientes (barreira); 
 Expurgo. 
 
Área física: 
 
- Sala de cirurgia geral – 2,5m²; 
- sala de neurocirugia – 36m²; 
- sala de cirurgia ortopédica – 20m². 
- forma: as salas podem ser: retangulares, quadradas ou circulares; 
 
5
- Características das paredes: o revestimento das paredes tem que ser de 
material resistente, lavável e de cor neutra. Os cantos da parede com o piso, do 
teto com a parede e da parede com a parede dever ser arredondados; 
- Características do piso: o piso deve ser de material de fácil limpeza; 
- Características das portas: as portas devem ser amplas com os cantos 
protegidos por aço inoxidável; 
- características das janelas: as janelas devem estar localizadas