A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
lesoes valvares mitrais

Pré-visualização | Página 1 de 1

CardiologiaBruna Magbis e Bruna França
Lesões valvares mitrais
Estenose mitral
Fisiopatologia: O coração funciona num sistema comunicante, por isso se tiver uma estase em nível atrial isso leva ao aumento da pressão media do átrio esquerdo vai ser transmitido retrogradamente ao leito venocapilar pulmonar e arterial pulmonar e se isso não for corrigido em tempo hábil, vai haver uma hipertensão arterial pulmonar com consequente estase sanguínea no átrio esquerdo causando uma dilatação nessa cavidade atrial. 
As câmaras que são normalmente acometidas são: átrio esquerdo e retrogradamente o leito venocapilar pulmonar, arterial pulmonar e as cavidades do coração direito (ventrículo e átrio direito). O ventrículo esquerdo é ´poupado´ porque a obstrução ocorre antes da chegada do sangue ao ventrículo esquerdo. 
Gradiente de pressão do AE e VE
↑ volume atrial esquerdo 
↑ pressão media atrial esquerda 
↑ pressão em território venocapilar pulmonar
↑pressão arterial pulmonar 
Quadro clinico do paciente com estenose mitral: dispneia aos esforços, palpitação, escarros hemoptoicos, fenômenos embólicos, fatigabilidade, dor precordial. 
Anatomia patológica
Exame físico
· Ausculta cardiopulmonar, impulsão sistólica do mesocardio caracterizando um ventrículo direito crescido
· Frêmito diastólico em fronte mitral
· Sopro de baixa frequência conhecido como ruflar diastólico e reforço pré sistólico.
· Apresentam o componente mitral da primeira bolha hiperfonético e o componente pulmonar da segunda bolha também hiperfonético, geralmente é característico por paciente com hipertensão pulmonar. 
M1 hiperfonético 
P2 hiperfonético
Raio X de tórax
Aspecto triangular do raio x, base estreita com o ápice grande. Ponta inferior esquerda do coração levantado no diafragma significa o ventrículo direito crescido, troco da pulmonar dilatado caracterizando hipertensão pulmonar e inversão do padrão vascular pulmonar.
O ECG vai exemplificar a fisiopatologia da doença. Nesse ECG vemos uma sobrecarga do AE (D2). Em paciente com hipertensão pulmonar seriam sinais de sobrecarga ventricular DIREITA. 
Ecodopplercardiograma
· Dimensões cavitárias 
· Volume do AE
· Função do VE 
· Lesões associadas 
· Pressão sistólica com artéria pulmonar 
· Área da valva mitral
Leve: AVM>1,5 cm2 Moderada: 1,5<AVM<1,0 cm2 Importante: AVM<1,0 cm2
Obs: mais de 95% é de etiologia reumática.
Tratamento
Cirúrgico: Comissurotomia mitral (conservadora- depende do grau da lesão valvar) ou troca valvar (prótese biológica ou mecânica- definitiva). 
Intervenção percutânea: Valvuloplastia com cateter balão. 
Insuficiência mitral 
 
Ao contrário da estenose mitral, os fenômenos ocorrem durante a sístole mitral. A valva mitral estaria fechada e a valva aórtica estaria aberta. 
Etiologia
· Reumática (mais prevalente no NE)
· Congênita 
· Degenerativa- associada a calcificação do anel mitral 
· Degeneraçao mixomatoda- prolapso da valva mitral PVM (mais prevalente na Europa e EUA)
· Isquêmica- disfunção do musculo papilar (mais prevalente na Europa e EUA)
· Funcional- miocardiopatia com grande dilatação do VE 
Sobrecarga de volume do AE e VE
↑ volume atrial esquerdo 
↑ pressão media atrial esquerda 
↑ pressão em território venocapilar pulmonar
↑pressão arterial pulmonar 
Diferente da estenose mitral, esses fenômenos daqui são mais protraídos mais lentos de acontecimento. 
Quadro clinico do paciente com insuficiência mitral: dispneia aos esforços, palpitação, escarros hemoptoicos, fenômenos embólicos, fatigabilidade, dor precordial.
Obs: os sintomas são bem parecidos com os da estenose mitral, porém os fenômenos ocorrem numa fase mais tardia/avançada porque são decorrentes da sobrecarga de volume do coração e não da sobrecarga de pressão. 
Exame físico
· Ictus cordis impulsivo desviado para a esquerda 
· Frêmito sistólico em fronte mitral 
· Sopro bolissistólico de regurgitação em fronte mitral (axila) 
· M1 hipofonético 
P2 hiperfonético
O ECG vai caracterizar a sobrecarga de átrio e ventrículo esquerdo. 
Se assemelha ao aumento/crescimento do átrio esquerdo e átrio direito e também observa-se que a ponta do ventrículo esquerdo não é tão aumenta mas já pode apresentar uma sobrecarga do volume no ventrículo esquerdo. 
O ecocardiograma também é um exame extremamente útil para mostrara gravidade de uma insuficiência mitral. Quando falamos do eco, estamos falando do mapeamento de fluxo a cores, na imagem nós temos o eletrocardiograma parado em sístole, onde vemos o jato multicolorido da grande insuficiência mitral voltando pro átrio esquerdo, num paciente normal esse sangue não volta, pois a valva mitral teria uma coaptaçao completa. Este exame é muito importante pois vai determinar o volume regurgitante, as dimensões das cavidades atrais e ventriculares esquerdas e ele pode também ajudar na etiologia da lesão. 
Tratamento
Da mesma maneira da estenose mitral, ele pode ser: 
-Cirurgia: plastia valvar (conservadora) ou troca valvar (prótese biológica ou mecânica).
-Intervenção percutânea: mitraclip