A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
Macrolídeos, lincosaminas e cloranfenicol

Pré-visualização | Página 1 de 1

1	
Macrolídeos, lincosaminas 
e cloranfenicol 
 
Þ Macrolídeos 
® Mecanismo de ação: inibição da síntese proteica, 
se ligando à subunidade ribossômica (50s). 
® Resistência: 
à Efluxo do fármaco. 
à Alteração no sítio de formação. 
à Hidrólise do fármaco. 
® Espectro de ação: 
à Eritromicina: gram+ (estreptococos e 
estafilococos), clamídia, micoplasma e algumas 
bactérias atípicas. 
à Claritromicina: gram+ (estreptococos e 
estafilococos), micobactérias, H. influenzae e T. 
gondii. 
à Azitromicina: gram+ (estreptococos e 
estafilococos, um pouco menos), 
micobactérias, T. gondii e H. influenzae (ainda 
melhor). 
® Não atravessa a barreira hematoencefálica. 
® Distribuídos pelo conteúdo gástrico (possuem 
revestimento interno para que cheguem 
intactos no intestino). 
® Efeitos colaterais: náusea, vômito e diarreia 
(principalmente na eritromicina). 
® Claritromicina e azitromicina são os principais 
tratamentos para coqueluche. 
® Uso clinico: 
à Infecções no trato respiratório. 
à Coqueluche. 
à Infecções por micobactérias. 
® Utilizado para tratamento preventivo em caso 
de pacientes imunodeprimidos contra 
infecções por micobactérias. 
 
Þ Lincosaminas 
® Clindamicina (via oral). 
® Não atravessa a barreira hematoencefálica. 
® Mecanismo de ação: inibição da síntese proteica 
(da mesma forma que os macrolídeos). 
® Medicamento muito semelhante aos 
macrolídeos, mas como não tem o anel 
macrocíclicolactona não pode ser considerado 
um deles. 
® Espectro: gram+ (estreptococos e estafilococos) e 
anaeróbios. 
® Resistência: 
à Bomba de efluxo. 
à Inativação enzimática. 
® Efeitos adversos: náusea e diarreia. 
® Uso clinico: 
à Infecções pélvicas. 
à Infecções respiratórias. 
à Infecções por anaeróbios. 
 
Þ Cloranfenicol 
® Mecanismo de ação: inibe a síntese proteica se 
ligando a subunidade 50s. 
® Espectro: gram+ (estafilococos e estreptococos), 
gram- e anaeróbios. 
® Via oral. 
® Atravessa a barreira hematoencefálica. 
® Efeitos adversos: 
à Distúrbios gastrointestinais. 
à Aplasia medular. 
à Leucopenia. 
à Anemia. 
à Trombocitopenia. 
® Síndrome do bebê cinzento: queda das enzimas 
que metabolizam o fármaco, causando o seu 
acúmulo. Sintomas: vômito, hipotermia, 
coloração acinzentada, choque e colapso 
vascular. 
® Graças aos inúmeros efeitos adversos, o 
cloranfenicol só é utilizado em último caso. 
® Uso clinico: 
à Febre tifoide. 
à Infecções por riquétsias. 
à Meningite.