A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Farmacologia- Metabolismo e eliminação dos fármacos II

Pré-visualização | Página 1 de 1

Biotransformação 
O fígado é o ponto principal de biotransformação 
de fármacos. Embora a biotransformação 
classicamente efetue a inativação de fármacos, 
alguns metabólitos são farmacologicamente 
ativos — às vezes, muito mais que o composto 
original. Uma substância inativa ou fracamente 
ativa que tenha um metabólito ativo é 
denominada pro-fármaco, em especial se 
projetada para liberar a porção ativa de modo 
mais efetivo. 
Eliminação: 
• perda irreversível de substâncias. 
Ocorre por 2 processos: 
• Metabolismo; 
• Excreção. 
Eliminação do corpo da substância quimicamente 
inalterada ou biotransformada. 
Características químicas 
Substâncias hidrofílicas: 
• São facilmente eliminadas pelos rins; 
• Praticamente não requerem 
metabolização. 
 
Substâncias lipofílicas: 
• Não são suficientemente eliminadas pelos 
rins; 
• São portanto, metabolizadas à produtos 
mais polares, que são então excretados 
na urina. 
Cinética de eliminação de fármacos 
 
 
Principais vias de eliminação 
As principais vias de eliminação são: 
• Rins; 
• Sistema hepato-biliar e as fezes; 
• Pulmões (importantes para anestésicos 
voláteis/gasosos) 
Algumas substâncias também são excretadas 
em secreções como o leite (importante para os 
lactentes) e suor. 
3 processos renais são fundamentais pela 
excreção renal: 
Filtração glomerular: 20% 
✓ Filtram molécula com peso 20.000 Da 
✓ Albumina não é filtrada 
A velocidade de filtração glomerular (VFG) em 
geral é de 125 mL/min, mas pode diminuir 
significativamente na doença renal. A 
lipossolubilidade e o pH não influenciam a 
passagem dos fármacos para o filtrado 
glomerular. Contudo, variações na VFG e a 
ligação dos fármacos às proteínas afetam esse 
processo. 
Secreção tubular: 
✓ Substâncias que não sofrem filtração; 
✓ Mecanismos de transporte ativo 
(diferente para substâncias ácidas e 
básicas) - interação medicamentosa; 
✓ Excreta fármaco ligado a proteínas 
✓ Constitui o mecanismo mais efetivo para 
a eliminação renal dos fármacos. 
Reabsorção tubular distal 
O fármaco que se encontra na luz tubular pode 
voltar ao sangue por difusão passiva; Substâncias 
com alta lipossolubilidade (elevada permeabilidade 
tubular) são excretadas lentamente; As substâncias 
altamente polares (baixa permeabilidade tubular) 
irão permanecer no túbulo e a concentração 
aumentará até ficar cerca de 100 vezes mais alta 
na urina do que no plasma. 
Como regra geral, ácidos fracos podem ser 
eliminados alcalinizando a urina, ao passo que a 
eliminação de bases fracas pode ser aumentada 
por acidificação da urina. Esse processo é 
denominado prisão iônica. Ex. um paciente 
apresentando dose excessiva de fenobarbital (um 
ácido fraco) pode receber bicarbonato, que 
alcaliniza a urina e mantém o fármaco ionizado, 
diminuindo, assim, a sua reabsorção. 
Esquema de um néfron 
 
Fármacos que inibem a secreção tubular 
 
Influência do pH na eliminação dos fármacos 
 
Excreção renal 
A filtração renal responde pela maior parte da 
excreção de fármacos. Cerca de um quinto do 
plasma que alcança o glomérulo é filtrado pelos 
poros no endotélio glomerular; quase toda a 
água e a maioria dos eletrólitos são reabsorvidas 
passiva ou ativamente dos túbulos renais de volta 
à circulação. Entretanto, os compostos polares, 
que são responsáveis pela maioria dos 
metabólitos de fármacos, não podem ser 
difundidos de volta à circulação e são excretados, 
a não ser que exista mecanismo de transporte 
específico para a reabsorção (p. ex., glicose, 
ácido ascórbico e vitaminas B). 
Com o envelhecimento, há diminuição da 
excreção renal de fármacos. 
 
Efeito do envelhecimento no metabolismo e 
na eliminação de alguns fármacos 
 
Uma das mais importantes alterações 
farmacocinéticas associadas ao 
envelhecimento é eliminação renal reduzida 
dos fármacos. 
Ex. aos 80 anos de idade, a depuração 
tipicamente reduz-se à metade do que era 
aos 30 anos. 
Excreção biliar 
Alguns fármacos e seus metabólitos são 
extensivamente excretados na bile. Como são 
transportados através do epitélio biliar contra um 
gradiente de concentração, é necessário 
transporte secretor ativo. Quando as 
concentrações plasmáticas do fármaco forem 
elevadas, o transporte secretor pode aproximar-
se do limite superior (transporte máximo). As 
substâncias com propriedades físico-químicas 
semelhantes podem competir pela excreção. 
Outras vias de excreção 
A excreção pelos pulmões, suor, saliva, lágrimas, 
cabelos, pele e leite são outras vias possíveis de 
excreção de fármacos embora sem relevância 
quantitativa. 
A eliminação por estas vias ocorre 
essencialmente por difusão das formas não 
ionizadas lipossolúveis através de células epiteliais. 
A via pulmonar não tem relevância quantitativa 
porque elimina quantidades mínimas de fármacos 
à exceção da excreção de gases e vapores 
anestésicos. 
Fármacos excretados na saliva voltam a ser 
absorvidos pela mucosa oral ou por ingestão. 
A excreção de fármacos pelo leite materno 
pode representar risco para o latente, 
particularmente para fármacos básicos pelo pH 
mais baixo que o plasma, ficando mais ionizado e 
portanto, mais retidos nesse compartimento. 
Claro que os fármacos ácidos também 
representam risco mas as suas concentrações 
não são tão elevadas. 
Os cabelos e a pele são muito utilizados em 
métodos toxicológicos para detenção de metais 
pesados como o mercúrio e arsênio nos cabelos 
mas fora isso, não têm importância 
Conceitos importantes para 
Aplicações da Farmacocinética 
• Latência: intervalo de tempo desde o 
momento da administração do fármaco 
até o início do efeito. Depende da 
velocidade de absorção, velocidade de 
distribuição e localização do sítio alvo. 
• Pico de ação: concentração máxima 
atingida; balanço dos processos (que 
levam o fármaco ao sítio ou que retiram 
o fármaco do sítio). 
• Duração de ação: intervalo de tempo 
entre o momento que se inicia e termina 
a ação. Depende da velocidade dos 
processos de eliminação e distribuição. 
Após esse tempo o efeito desaparece. 
 
Variáveis farmacocinéticas de 
diversas drogas 
 
Fatores que alteram os parâmetros 
farmacocinéticos 
- Ambientais 
✓ Farmacoterapia 
✓ Álcool 
✓ Tabagismo 
✓ Desnutrição 
- Etários 
- Genéticos (mutações em um número mínimo 
de indivíduos) 
Resumo