A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Introdução às Anemias

Pré-visualização | Página 1 de 1

1 
Introdução às Anemias 
Sangue: 
® Plasma + células; 
® Hematopoiese: 
à Períodos de produção: 
• A maturação ocorre, geralmente, nos 
órgãos linfoides (leucócitos); 
• Sistema reticulo endotelial (fígado + 
baço); 
® Célula tronco pluripotente: vai se 
diferenciar até se tornar uma célula madura; 
à Célula troco pluripotente ® células 
multilinhagem ® célula madura; 
à A transição de células multilinhagem p/ as 
maduras é dependente de fatores de 
crescimento, fatores de transcrição, 
hormônios, interleucinas, etc (tudo isso 
acontece na medula óssea); 
à Em seguida, parte dessas células são 
levadas para o sangue periférico (são as 
células vistas no hemograma); 
® Hematopoese extramedular: 
à Fígado e baço (pode observar 
hepatomegalia e esplenomegalia); 
à Situações de anormalidade; 
à Quando a medula óssea não da conta 
da demanda; 
à Em casos de proliferação neoplásica de 
tecido mieloide; 
® Hematopoese: 
1. Pré-eritroblasto; 
2. Eritroblasto basófilo; 
3. Eritroblasto policromático; 
4. Eritroblasto acidófilo; 
5. Reticulócitos (importante); 
6. Eritrócitos; 
® Eritropoetina: 
à Regula o aumento ou diminuição das 
hemácias; 
à Produção 90% renal e 10% hepática; 
à O estímulo para produção é a taxa de 
oxigenação do sangue renal; 
® Eritropoese ineficaz: 
à Produção inadequada das células 
vermelhas, dentro da medula óssea; 
à Pode ser causada por doença hereditária 
ou adquirida; 
à Achados laboratoriais: 
• Hiperplasia eritróide da medula óssea 
(tentativa da medula de produzir mais 
hemácias); 
• Reticulócitos baixos ou normais; 
• Leve aumento de bilirrubina indireta 
(destruição celular); 
• Desidrogenase láctica elevada 
(destruição celular); 
à Situações em que está presente: 
• Anemias megaloblásticas; 
• Talassemias; 
• Síndromes mielodisplásicas; 
• Eritroleucemia; 
® Hemoglobina: 
à Componente central (funcional) da 
hemácia; 
à HbA: maior parte no adulto, cadeias a2b2; 
à HbF: mais presente durante a vida fetal e 
primeira infância, cadeias a2g2; 
à HbA2: em proporção bem menor, cadeias 
a2d2; 
à O grupo heme é a parte da hemoglobina 
que carrega o ferro, o comprometimento 
na formação dessa estrutura leva à um 
grupo de doenças chamado porfirias; 
® Eritrócito: 
à A hemácia deve ter sua estrutura maleável, 
que possa se ajustar aos vasos 
sanguíneos; 
à Citoesqueleto glicolipídico proteico, que 
mantêm o formato bicôncavo da hemácia; 
à A movimentação das proteínas do 
citoesqueleto garantem a maleabilidade 
da célula; 
à Alterações na estrutura ou ausência dessas 
proteínas, causam determinados tipos de 
doenças que vão afetar o formato da 
 
 
 
2 
hemácia (acarretando em um processo de 
hemólise); 
à Os glicídios possuem os antígenos que 
determinam o tipo sanguíneo de cada um; 
 
Anemia: 
® A classificação depende da quantidade de 
hemoglobina; 
® Taxas p/ constatação de anemia: 
à <13g/dl no homem adulto; 
à <12g/dl na mulher adulta; 
à <11g/dl na mulher grávida; 
à <11g/dl em crianças de 6 meses a 6 anos; 
à <12g/dl em crianças de 6-14 anos; 
® Classificação das anemias: 
à Essa classificação hiper/hipoproliferativa 
está relacionada à capacidade da 
medula de compensar a perda de 
hemoglobina que o indivíduo está tendo; 
à Hipoproliferativas: 
• A medula não consegue compensar; 
• Reticulócitos baixos (< 100.000); 
• Anemias carenciais; 
à Hiperproliferativas: 
• A medula consegue produzir mais 
reticulócitos para compensar; 
• Reticulócitos > 100.000; 
• Anemias hemolíticas; 
à A classificação de 
macro/normo/microcíticas faz referência ao 
tamanho das hemácias; 
• No hemograma olhar o VCM (Volume 
Corpuscular Médio), valor normal 80-100; 
à Macrocítica: 
• VCM aumentado; 
• Anemias megaloblásticas; 
• Principais diagnósticos diferenciais: 
doença hepática, alcoolismo, etc; 
à Microcítica: 
• VCM diminuído; 
à Outra forma de classificação é 
hipo/normo/hipercrômica que diz respeito à 
quantidade da hemoglobina; 
• Olhar o HCM (Hemoglobina Corpuscular 
Média); 
• Referente também à coloração da 
hemácia; 
à Hipocrômica: 
• Quantidade de hemoglobina diminuída; 
à Normocrômica: 
à Hipercrômica: 
• Quantidade de hemoglobina acima do 
valor de referência; 
à ¯ HCM e ¯ VCM = anemia ferropriva (muito 
provavelmente); 
® Anemias por menor produção de hemácias: 
à Maioria das anemias; 
à Reticulócitos normais ou diminuídos; 
à Pode ser causada por: 
• Distúrbios na diferenciação (leucemia 
aguda, síndrome mielodisplásica, etc); 
• Distúrbios na proliferação (deficiência de 
folato e B12); 
• Distúrbios na maturação ou da 
hemoglobinização (carência de ferro, 
talassemia, anemias sideroblásticas); 
à Hipotireoidismo, insuficiência renal, HIV, 
hepatites virais, etc, podem levar à 
distúrbios de diferenciação; 
® Anemias por maior destruição das hemácias: 
à Anemias hemolíticas; 
à Redução do tempo de vida das hemácias; 
à Reticulócitos aumentados (anemia 
hiperproliferativa); 
à Adquiridas ou hereditárias; 
® Manifestações clínicas: 
à Dependem: 
• Da velocidade de instalação da anemia; 
• Da intensidade; 
• Da idade; 
• Da curva de dissociação de O2 da 
hemoglobina; 
à Os sinais e sintomas refletem: 
 
 
 
3 
• Hipóxia não corrigida dos tecidos 
(sintomas: cefaleia, tontura, vertigens, 
fraqueza, angina, zumbidos, etc); 
• Participação de mecanismos 
compensatórios como, ­ DC, ¯ RVP, 
redistribuição do fluxo sanguíneo, ¯ da 
afinidade da Hb pelo O2; 
à Esses mecanismos compensatórios causam 
os seguintes sintomas: palidez, taquicardia, 
sopros precordiais e dispneia aos esforços; 
à Um paciente que já está com a 
capacidade de compensação excedida 
vai apresentar taquicardia, sopro, dispneia 
(até mesmo em repouso), podendo 
desenvolver IC ou até PCR; 
à O paciente pode apresentar outros 
sintomas dependendo da doença que 
esteja causando a anemia; 
• Manifestações hemorrágicas e infecções: 
anemia aplástica e leucemias agudas; 
• Esplenomegalia e hepatomegalia: 
leucemia e linfomas; 
• Parestesias e manifestações neurológicas: 
anemia perniciosa; 
• Dores ósseas, fraturas sob traumas 
mínimos, compressão da medula espinhal: 
mieloma múltiplo, anemia talassemica ou 
metástases carcinomatosas; 
 
Hemograma: 
® Avalia quantitativa (contagem das células) 
e qualitativamente (descrição das células) 
dos elementos celulares do sangue; 
® Importante para triagem clínica; 
® Auxilia no diagnóstico e controle de 
evolução de doenças infecciosas; 
® Acompanhamento de doenças crônicas; 
® Emergências médicas, cirúrgicas e 
traumatológicas; 
® Acompanhamento de radio ou 
quimioterapia; 
® Exame de fácil acesso e realizado em 
minutos; 
® Tem que conter as 3 linhagens de células; 
® Eritrograma: 
à Contagem de hemácias, hemoglobina, 
hematócrito, VCM, HCM, CHCM (semelhante 
ao HCM mas se altera com mais 
dificuldade), RDW (células vermelhas de 
diferentes tamanhos entre si); 
à Para identificar anemia olhar o valor da 
hemoglobina; 
® Checar o nome do paciente, laboratório em 
que foi feito e a técnica utilizada (manual, 
mista ou automatizada); 
® Valores de referência: 
à HCM: 26-32;