A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Arboviroses

Pré-visualização | Página 4 de 4

tomar a vacina integral após 
um ano para conferir imunidade para vida toda. 
↪ VIAJANTES: devem administrar a vacina 10 dias antes 
da viagem. 
↪ doação de sangue pode ser realizada 30 dias após a 
vacinação. 
➱ Zika: 
• Família: Falviviridae. - vírus envelopado RNAss+. 
• Doença febril aguda, autolimitada - geralmente causa 
um “flu like” que perdura por 3-7 dias e as 
complicações não são comumente associadas. 
• A maior parte dos indivíduos infectados são 
ASSINTOMÁTICOS! 
• Existem algumas registros de morte e manifestações 
neurológicas, principalmente em indivíduos com 
comorbidades - há risco de morte e microcefalia. 
• No Brasil o vírus se comportou de maneira diferente - 
apesar do Zika vírus ter sido isolado em 1947 na 
Floresta de Zika, os casos de microcefalia só foram 
identificados em 2018 no Brasil. 
↪ 1942: Zika é isolado em macacos rhesus na em 
Uganda, na Floresta Zika. 
↪ estudos indicam que o Zika sofreu uma mutação em 
2013 que tornou esse vírus mais infeccioso. 
↪ acredita-se que o vírus chegou ao Brasil com a visita 
do papa/grandes eventos esportivos que ocorreram 
nessa época. 
↪ Zika só causou microcefalia NO BRASIL! 
↪ o Zika só manifesta tropismo por células nervosas no 
embrião - verificou-se que as células cancerígenas 
possuem características muito semelhantes às células 
embrionárias ∴ existem estudos para o uso do Zika no 
combate às células cancerígenas (atua como uma 
espécie de terapia alvo, destruindo apenas as células 
cancerígenas). 
• MODO DE TRANSMISSÃO DO ZIKV: 
↪ VETOR: Aedes. 
↪ TRANSMISSÃO SEXUAL: verificou-se a presença do 
vírus no sêmen de indivíduos infectados mesmo meses 
após a infecção. 
↪ TRANSMISSÃO VERTICAL (MÃE-FILHO): presença 
de vírus no líquido amniótico. 
↪ existem hipóteses que cogitam a transmissão por 
transfusão sanguínea devido a presença de viremia. 
• TROPISMO DO ZIKV: 
↪ CÉLULAS HOFBAUER: são macrófagos da placenta - 
vírus consegue acessar vasos sanguíneos afetando o 
sistema nervoso do embrião → lesões na bainha de 
mielina. 
* infecção pelo Zika prejudica a interação entre os 
neurônios e as células da glia, considerada essencial 
para o desenvolvimento do córtex cerebral. 
* mulheres infectadas com o Zika vírus no 1º trimestre 
de gestação possui ↑ probabilidade de aborto. 
* quanto mais tardia for a infecção na mulher grávida, ↓ 
a chance de lesões neurológicas no bebê. 
* Zika vírus congenito nao está relacionado apenas com 
a microcefalia - temos casos de aborto espontâneo, ↓ 
peso, surdez, retardo no desenvolvimento, anencefalia, 
mal-formação articular… 
• PATOGÊNESE DO ZIKV: 
↪ teremos a replicação viral ocorrendo nas células 
dendríticas e citoplasma dos fibroblastos, atingindo 
queratinócitos da epiderme e da derme. 
↪ o vírus consegue se dispersar por linfonodos 
regionais atingindo a corrente sanguíneo. 
↪ vírus tem tropismo pelo SNC implicando em várias 
complicações. 
• QUADRO CLÍNICO DO ZIKV - INFECÇÃO NÃO 
FETAL: 
↪ presença de exantema maculopapular de início 
precoce - “vermelhão" com muito prurido. 
↪ febre geralmente é baixa ou ausente. 
↪ hiperemia ocular não purulenta, artralgia ou arbitre, 
edema de extremidades, astenia e cefaléia. 
↪ 80% dos infectados são assintomáticos. 
➱ Chikungunya - CHIKV: 
• Trata-se de uma doença febril. 
• Família Togaviridae - porém possui as mesmas 
características do DENV, vírus amarílico e ZIKV: 
ssRNA+, envelopado. 
* RELEMBRANDO: envelope NÃO é fator de virulência - 
os vírus não envelopados conseguem sobreviver por 
um tempo maior no meio ambiente → o envelope 
pode ser facilmente inativado/destruído na presença 
de algumas substâncias, justamente pelo seu envelope 
lipoproteíco. Além disso, o envelope também pode ser 
destruído em pH’s específicos - ex: pH do suco 
gástrico. 
• CARACTERÍSTICA CLÍNICA MAIS NOTÓRIA: febre e 
artralgia (poliartrite). 
* poliartrite: inflamação em diversas articulações. 
• MORFOLOGIA: apresenta 4 proteínas não estruturais 
e 5 proteínas estruturais. 
• Também produz uma poliproteína que serão clivadas, 
porém nesse caso teremos 4 proteínas não 
estruturais e 5 proteínas estruturais. 
• POLIARTRITE: indivíduos com Chikunguya tendem a 
andar curvados devido a inflamação em diversas 
articulações. 
• Chega ao Brasil em 2013 com os grandes eventos que 
ocorreram aqui (chegada do papa, jogos olímpicos…) 
- veio juntamente com o Zika, Oropuche, Mayaro. 
• 2014: ocorreu a primeira transmissão autóctone no 
Amapá e na Bahia. 
• Atualmente, o único estado em que não há casos de 
transmissão autóctone é o RS. 
• PERÍODO DE INCUBAÇÃO: 2-10 dias após a picada pela 
fêmea do Aedes aegypti ou o Aedes albopictus 
infectadas pelo CHIKV. 
• Um indivíduo infectado consegue transmitir o CHIKV 
dois dias antes da manifestação dos sintomas caso o 
inseto o pique. 
• PATOGÊNESE DO CHIKV: 
↪ o vírus possui tropismo pelos fibroblastos, células 
endoteliais e macrófagos. 
↪ seu maior problema associado é a replicação do 
vírus que gera um grande recrutamento de células por 
conta do processo inflamatório - com isso, podemos ter 
danos em diversas articulações. 
↪ 70% dos casos são SINTOMÁTICOS - casos divididos 
em formas típicas e atípicas: 
* formas típicas: fase aguda, srubaguda e crônica. 
* formas atípicas: evoluem para os casos graves. 
• FASE AGUDA OU FEBRIL - FORMA TÍPICA: duração 
média de 7 dias. 
↪ indivíduo pode apresentar poliatralgia, febre de início 
súbito. 
↪ a poliatralgia em punhos, mãos e pés pode ser 
simétrica ou assimétrica, além de geralmente ser 
debilitante e bilateral. 
↪ presença de Rash cutâneo (exantema) em mais de 
50% dos casos - muitas pessoas são tratadas com 
antibioticoterapia devido ao diagnóstico errôneo de 
erisipela.
↪ outros sintomas: cefaléia, conjuntivite, fadiga, mialgia, 
náuseas e vômitos. 
* muitos indivíduos produzem anticorpos que degradam 
a bainha de mielina e apresentam síndrome de Guilain 
Barre. 
• FASE SUBAGUDA - FORMA TÍPICA: 
↪ desaparecimento da febre; 
↪ a poliatralgia pode se estender por anos e em 
múltiplas articulações. 
↪ pode ocorrer edema persistente. 
↪ existem casos relacionados à tenossinovite (síndrome 
do túnel do carpo. 
• Síndrome do Túnel do Carpo: devido à uma 
compressão do nervo mediano em decorrência do 
estreitamento do túnel do carpo o indivíduo pode 
apresentar formigamento, dor e perda de sensibilidade 
nas mãos. Tratamento: fisioterapia e em alguns casos 
cirurgia. 
↪ demais manifestações: lesões cutâneas (bolhas e 
vesículas), púrpuras, prurido e exantema nas mãos e nos 
pés. 
• FASE CRÔNICA - FORMA TÍPICA: 
↪ artropatias crônico-degenerativas musculoesqueléticas 
e neuropáticas - ex: síndrome de Guilain Barre. 
↪ duração 3-6 anos. 
↪ mais da metade dos pacientes evoluem para fase 
crônica, sendo os fatores de risco para cronificação: 
idade > 45 anos, sexo feminino, desordem articular 
preexistente e maior intensidade das lesões articulares na 
fase aguda.
• D IAGNÓST ICO D I FE RENC IAL DENGUE X 
CHIKUNGUYA: